Por Um Toque de Sorte - Carolina Munhóz

Olá Vintagers, sentiram saudades das minhas resenhas? *__*

Ando meio sumida daqui ultimamente, por questões acadêmicas, mas pretendo em breve voltar com tudo! Porém, esse livro me fez sair da rotina de estudos e eu me senti no dever de compartilhar com vocês a minha experiência literária. Não é novidade para ninguém que sou fã da Carolina Munhóz e sempre fico mega ansiosa quando ela lança um livro. Hoje é a vez de Por um Toque de Sorte, a tão esperada continuação de Por um Toque de Ouro, lançado ano passado pela editora Rocco.




De Dublin a Paris, Rio de Janeiro e Hollywood, eles estão por toda parte. São os donos das marcas que você usa, comandam os canais de televisão a que você assiste, criam os aplicativos de celular que você baixa. No segundo livro da série Trindade Leprechaun, iniciada com Por um toque de ouro, Carolina Munhóz dá continuidade à história da jovem Emily O’Connell, uma garota bonita e rica, dona de um império fashion, que descobre ser herdeira de uma rara linhagem desses pequenos seres mágicos considerados guardiões de potes de ouro escondidos. Ela só não esperava que esse legado sobrenatural pudesse levá-la para o centro de um esquema perigoso e cruel. Em “Por Um Toque de Sorte”, Emily deixa seu mundo de glamour para trás em busca de um impostor que rouba toques de ouro. Será que ela será capaz de cumprir sua jornada? Isso ela só vai descobrir no final do arco-íris. Se chegar até lá.



Resumo

Os Leprechauns estão em todos os cantos do mundo. Quem são eles? Ninguém sabe ao certo, só sabemos que eles são donos de grandes empreendimentos, ganham milhões em dinheiro e conseguem sair ilesos de muitos acontecimentos catastróficos, ou seja, eles têm a felicidade e a sorte ao seu lado. 

Porém, Emily O’Connell não poderia imaginar que ao ter esse dom, esse legado, ela estaria sujeita à ser vítima de um esquema cruel e desumano armado pelo homem que ela acreditava ser seu grande amor.


Com ódio e muita mágoa no coração, a garota deixa de lado o glamour de uma vida regada a farras e vai em busca de vingança para com o homem inescrupuloso e sem sentimento que roubou o seu toque de ouro. Será que Emily terá forças o suficiente para capturar esse monstro? Será que seu dom está perdido para sempre?

Emily nunca havia sido um exemplo de bom comportamento. Sexo, drogas e festas faziam parte de algum tipo de lema que ela costumava seguir à risca até pouco tempo atrás. Mas, contraditoriamente, muitas vezes ela se pegava censurando pessoas que se deixavam tragar pelos próprios dramas pessoais. Diversas vezes condenou mulheres e homens que permaneciam com os companheiros apesar de maus-tratos e julgou celebridades enganadas repetidamente pelos empresários ou agentes. Antes achava que eram pessoas fracas e burras. Com tudo que lhe acontecia agora, começava a se perguntar se fazia parte daquele grupo.
Pág.: 83 

Opinião

Neste livro conhecemos uma Emily O’Connell muito diferente da história anterior, como os acontecimentos do livro anterior foram devastadores, a garota se tornou uma pessoa amarga e muito vingativa, porém de alguma forma esses acontecimentos foram positivos para que ela amadurecesse e deixasse mais ou menos aquela garota mimada e cheia de vontades para trás. Além da nossa personagem principal, continuamos com a presença do querido e fiel Darren, que apesar de todas as dificuldades em momento algum abandonou Emily, mantendo o juramento de sempre estar ao seu lado. Ele continua divertido como sempre e é ele quem dá um toque colorido ao coração da garota e à história, em geral. 

A palavra que define a sensação que tive ao ler essa obra é: Mágica. Sempre me pergunto como a Carol é tão mística e boa em adicionar elementos mágicos às histórias, o que faz qualquer amante de fantasia saltitar. Em Por um Toque de Sorte a presença da magia é muito mais forte, pois é nele que nossa querida Emily começa a entender o poder que a rodeia, mesmo que não o tenha mais. Munhóz conseguiu mais uma vez, e com louvor, pegar um mito folclórico, que na minha imaginação não seria possível de se criar um enredo, e colocá-lo em um romance contemporâneo. 

Emily

Liam poderia ter suas ideias, porém ela não ficaria parada. Buscaria os próprios caminhos. Talvez eles também fossem repletos de pedras, contudo, os obstáculos podiam não ser tão ruins no final. 
Pág.: 133

Nesta história, diferente do primeiro volume, não temos somente a maravilhosa Dublin como cenário principal, pois para nossa surpresa temos lugares bem conhecidos e amados como destino dos personagens, isso mostra o desafio da autora com as constantes pesquisas para explorar ao máximo esses cenários no livro.

Como eu sempre digo, a escrita da Carol é muito gostosa, seu estilo jovem e antenado fazem a história ficar bastante empolgante. A narrativa é em terceira pessoa, o que favorece bastante, pois conseguimos ver todos os lados da trama. A diagramação não deixa a desejar e a capa – de muito bom gosto, inclusive – traz Emily com seus cabelos ruivos estonteantes de frente para Paris como se estivesse ansiosa por respostas e para chegar ao seu alvo: Aaron.


A história é linda e nos mostra, além da superação, que ter pessoas que nos amam ao nosso lado faz toda a diferença em nossa vida. Refletindo, consegui entender que Emily precisava sim passar por todas as dificuldades para se tornar uma pessoa melhor, mais íntegra e madura. É na ficção, assim como na vida real: são as adversidades que nos tornam mais humanos e dignos da felicidade que está no final do nosso arco-íris. Recomendo esse livro e espero que se deliciem com essa linda história cheia de aventura e misticismo.


Rock kisses e até a próxima!