Muito Amor, Por Favor - Arthur Aguiar, Frederico Elboni, Ique Carvalho e Matheus Rocha

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

O amor pode ser descrito em quatro elementos? A resposta é sim, e Arthur Aguiar, Frederico Elboni, Ique Carvalho e Matheus Rocha vão comprovar que ele pode ser fluido como a água, leve como o ar, quente como o fogo e seguro como a terra. Mergulhei em uma série de histórias que me ajudaram a entender um pouco melhor esse sentimento pelo qual todos buscamos, mesmo que seja de forma inconsciente. Para ajudá-los a entrar em um clima romântico, escolhi duas músicas para ouvirem durante a leitura da resenha, basta dar play nos vídeos abaixo. ^_^


Este livro reúne textos que mostram o amor do ponto de vista de quatro jovens que escrevem sobre relacionamentos legítimos e atuais, que souberam se reinventar. Sem medo de expressar seus sentimentos, deixam para trás estereótipos já obsoletos – como o controlador machista ou o piegas choroso – e falam sobre viver a dois e sobre a natureza das relações em todos os seus aspectos. Assim, cada autor reflete sobre o amor representado por um elemento: Arthur Aguiar escreve que “O amor é água”, dizendo que ele é fluido, mas por vezes gelado; ora tempestade, ora profundo. Fred Elboni explica que “O amor é ar”, mostrando a leveza de se amar sem sofrer, da brisa que envolve os apaixonados, mas que por vezes torna-se furacão. Ique Carvalho se debruça sobre quando “O amor é fogo”, que arde, aquece a alma, mas que também pode incendiar até doer. E Matheus Rocha conta que “O amor é terra”, estável, tranquilo, mas que não escapa dos terremotos da vida, que tiram tudo do lugar para que a rotina não o extermine. Um livro apaixonante, para quem ama e para quem quer amar um dia... e sempre.


Mais Amor, Por Favor é uma coletânea de textos breves que retratam o amor em suas diversas formas de se manifestar. Neste livro você encontrará histórias para todos os gostos, desde as mais tristes sobre fins de relacionamentos, até as mais inspiradoras que o levarão a ter vontade de sair do sofá e se jogar na vida, sem medo de ser feliz, sem receio de amar e sem temer o sofrimento. Estes autores irão mostrar que para tudo há um jeito, e que a beleza do sentir está no fato desse sentimento se reinventar de acordo com as necessidades.


Photograph - Ed Sheeran

O amor, apesar de tudo, também sabe ser impaciente. Ele não pede licença, mas invade. Ele não bate à porta; pula a janela. Não acalma o coração, mas bagunça. Não faz você ir dormir sorrindo sempre, mas o acorda sempre com um sorriso. Ele não cumpre promessas, mas supre (e vai além de todas as) expectativas. Ele não promete que será eterno, mas se vale de cada instante para ser plenitude.
Pág.: 88

Cada autor relata suas experiências através de textos breves e desconexos, isso nos dá liberdade para ler primeiro as histórias que mais chamarem nossa atenção. Me identifiquei bastante com a escrita do Matheus Rocha, mas acredito que essa opinião varia de acordo com o momento que estamos vivenciando, ele escreve sobre um amor mais pé no chão, sem amarras ou exigências, totalmente livre para ir e vir. Nas palavras de Frederico Elboni percebi uma certa exaltação à figura feminina, demonstrando o nosso lado que somente os homens reparam. Ique Caravalho é um “bobão” apaixonado e nos mostra que o amor pode ser belo e cheio de palavras doces. Arthur Aguiar foca mais nos términos através de algumas histórias tristes e outras de superação.

Esse livro tem a capacidade de fazer com que o leitor se sinta expectador de alguns contos e autor de outros, a intensidade deles cria a sensação de que já vimos ou vivenciamos o que estamos lendo, isso é capaz de despertar os mais diversos sentimentos, desde um frio na barriga por se lembrar de um momento bom, até um aperto na garganta ao relembrar palavras não ditas.

Amei Te Ver - Tiago Iorc

Tenho pressa de amar. Pressa de viver um amor. Pressa de ser amado. Pressa de ser o amor de alguém. Mas, como já disse, o amor tem um quê de paciência. Não se preocupa com nossas ansiedades, prazos, agendas, horários e compromissos. Ele está, quase sempre, atrasado. Mas, quando chega, é como se a solidão nunca houvesse existido.
Pág.: 88

Mais Amor, Por Favor poderia ser lido em questão de horas por conter uma escrita leve, de fácil compreensão e muito cativante, entretanto, o bacana dessa obra é ir “catando” os textos de acordo com nossas necessidades, é sempre bom ler palavras reconfortantes após uma briga ou textos românticos para ajudar a lidar com saudade. Um livro assim nunca cria poeira na estante, pois sempre surgirá a necessidade de buscar conforto em suas palavras. Outra característica interessante é que ele é ótimo para ler ao lado de alguém de quem gostamos, mas também ensina a superar fases ruins, ou seja: agrada a gregos e troianos (>.<)

A capa é lindíssima, meu caso de amor pela obra começou no momento em que a vi. A fonte é grande e cada autor é responsável por um capítulo no qual apresenta textos de duas/três páginas. Não encontrei erros de revisão. Leitura recomendada.