A Profecia do Pássaro de Fogo - Melissa Grey

Olá Vintagers, como vão?

Que tal mais uma boa dose de distopia para alegrar o dia? Hoje apresento a vocês A Profecia do Pássaro de Fogo, primeiro livro da trilogia Echo, da autora Melissa Grey.




No subterrâneo de lugares onde é muito difícil chegar, duas antigas raças travam uma guerra milenar: os Avicen, pessoas com penas no lugar de cabelos e pelos; e os Drakharin, que têm escamas sobre a pele. Ambas possuem magia correndo nas veias, o que os esconde de todos os humanos menos de uma adolescente chamada Echo. Echo conheceu os Avicen quando era criança, e desde então eles são sua única família. A pedido de sua tutora, a garota começa uma jornada em busca do pássaro de fogo, uma entidade mítica que, segundo uma velha profecia, é a única forma de acabar com a guerra de vez. Mas Echo precisa encontrar o pássaro antes dos Drakharin, ou então os Avicen podem desaparecer para sempre.





Resumo

Quando Echo conheceu Ala – uma estranha coberta de penas pretas – ela era apenas uma criança solitária com um passado misterioso. A partir desse dia a garota que era sempre sozinha e adepta na arte dos pequenos furtos passou a ter uma família: os Avicen. Com o passar dos anos, Echo foi conhecendo e praticando a magia desse povo, se tornando cada vez mais parte deste misterioso mundo. Foi lá que ela conheceu Ivy, sua melhor amiga, e Rowan, por quem é apaixonada desde a infância. 

A guerra com os Drakharin (pessoas que possuem escamas sobre a pele) se iniciou há tanto tempo que nem os mais sábios e antigos podem dizer como tudo começou. Porém, essa guerra se intensifica mais a cada dia. Os Avicen só vêem a falta de humanidade nos Drakharin, ao passo que estes culpam nossos amigos de penas pela perda da magia de sua raça. No meio deste conflito, Caius, o Príncipe Dragão, deverá conter a nobreza e a rebeldia de sua irmã, Tanith.

A única maneira de se conseguir paz entre os dois povos estaria em uma antiga profecia que diz que apenas o Pássaro de Fogo pode enfim acabar com o caos e conceder poderes e glória a quem o encontrar. Por ser uma lenda, nem todos acreditam que o Pássaro é real, mas Echo, com sua habilidade de furtar coisas preciosas, acaba encontrando uma possível pista sobre o paradeiro dessa entidade, e Ala não irá medir esforços para mandar a garota em uma jornada em busca de respostas. Será que uma simples humana será capaz de desvendar um mistério tão antigo?

Os Drakharin culpam os Avicen pelo desaparecimento de seus poderes no decorrer dos anos. Uma acusação ilegítima, claro. Como se uma coisa assim fosse possível! Mas o desespero faz as pessoas acreditarem em coisas malucas. A magia flui por este mundo como um oceano invisível. Ela vai e vem como as marés... Mas sei, em minha alma, que a maré esta mudando. O pássaro de fogo não é uma simples lenda contada aos pequenos Avicen antes de dormir. Ele está se elevando. Posso senti-lo como o movimento de uma onda no horizonte.
Pág.: 41

Opinião

Que a linha distópica está na moda todo mundo já sabe, e você pode esperar absolutamente tudo dessas histórias. A Profecia do Pássaro de Fogo (um belíssimo nome para um livro) possui um universo um tanto quanto curioso, e digo isso como uma adoradora do que é bizarro. Nesta trama temos duas raças em guerra, os Avicen, que são pessoas-pássaros (ainda estou tentando formular uma imagem mental dessa espécie) e os Drakharins, que são descendentes de dragões, mas possuem uma aparência humanoide. A criatividade da autora me chamou muito a atenção, principalmente pela conceituação dos Avicen, uma vez que ela sempre os descreve como seres extremamente belos, e cada um é representado por um pássaro diferente como um pavão, uma gralha, e até uma pomba. A minha maior dificuldade foi conseguir unir os elementos desses pássaros nos traços humanos, mas essa dificuldade de forma alguma prejudicou minha opinião sobre o livro.

Como personagem principal temos a espevitada Echo, uma garota que desde criança esteve sozinha no mundo e em função dessa adversidade precisou se sustentar da maneira que pode: roubando coisas e morando em uma biblioteca em Nova York. Ela com certeza não é o padrão de mocinhas que vemos nos livros, a garota é maliciosa em algumas coisas e bastante durona, diferente das demais personagens que vemos que adquirem o "poder" de serem fortes no decorrer da história. Conhecemos também o misterioso Caius, que é o Príncipe Dragão dos Drakharin, ou seja, o soberano supremo de seu povo. Apesar da tirania de sua espécie, ele é altruísta e bondoso (eu preciso parar de me encantar com todos os mocinhos de livros que eu vejo T_T). Também somos apresentados a Ala, uma curandeira Avicen que é quase uma mãe para Echo, foi ela quem a acolheu quando a garota ainda era uma criança 

É bem difícil uma história de distopia não me prender completamente, sou encantada por mundos desconhecidos, magia e seres diferentes. E foi essa mistura louca e empolgante que me fez crer que A Profecia do Pássaro de Fogo é uma história que tem tudo para agradar vários leitores, pois possui um pacote que vai desde uma trama bem elaborada, até o carisma e ótima construção dos personagens. E como uma boa história precisa de um romance para dar “aquela liga”, o nosso casal não deixa a desejar. Tudo foi se desenrolando de maneira equilibrada e gostosa de ler, e a sensação de proteção que Caius tem por Echo é linda, como se fosse um afeto de eras antigas.


Echo olhou pra Caius e o viu sorrindo para ela, com os olhos brilhando de curiosidade. O jogo estava rolando, e eles estavam jogando juntos. Drakharin ou não, talvez ele não fosse um parceiro tão ruim nesta aventura, afinal.
Pág.: 192

A escrita de Melissa Grey me agradou bastante, o livro é narrado em terceira pessoa e nos presenteia com as sensações de todos os personagens. É impressionante a riqueza de detalhes que a autora trabalha, e sua habilidade em construir personagens sólidos é digna de louvor. O livro é repleto de citações poéticas e lindas frases de efeito que em conjunto formam uma obra perfeita. A capa do livro é muito bonita e nos trás o Dragão que é símbolo dos Drakharin, e o Cisne que é símbolo dos Avicen,  o que nos faz refletir que não existe um lado ao no qual Pássaro de Fogo irá pertencer, ele está entre os dois mundos e sua chegada trará mudanças para todos.

Recomendo a obra para todos os amantes de fantasias. A Profecia do Pássaro de Fogo nos apresenta um universo impossível de esquecer e nos faz ficar ansiosos pelo próximo volume e as revelações que conseqüentemente vêm com ele.

Espero que aproveitem. Rock kisses e até a próxima!