O Leão Ferido - Mia Sheridan

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Após conhecer a história de Evie em O Coração do Leão - resenha AQUI -, tive a oportunidade de reler este romance pelo ponto de vista do Leo, e isso me proporcionou a chance de ver os detalhes de diversas situações que não ficam muito claras no livro anterior. 

Essa resenha pode conter spoilers de O Coração do Leão

Cada livro da coleção Signos do Amor é inspirado nas características de um signo do Zodíaco. Esta história se baseia na mitologia de Leão e fala sobre as segundas chances que a vida nos dá.
Leo se apaixonou por Evie quando os dois ainda eram crianças, no lar adotivo temporário em que viviam. No futuro difícil que parecia guardado para ele, a única certeza de seu coração era que nada jamais o afastaria daquela garota.
Mas, na adolescência, ele foi adotado e teve que se mudar para outra cidade. Durante oito anos eles ficaram afastados contra a vontade e, nesse tempo, Leo precisou superar muitos obstáculos – sobretudo os problemas criados pela mãe adotiva – para se tornar o homem que merecesse Evie e pudesse finalmente buscá-la.
O reencontro, porém, não foi fácil e Leo teve que se esforçar para se reaproximar de Evie, reconquistar seu amor e, com sua ajuda, deixar para trás toda a tristeza de uma infância de abandono.
Em O Coração do Leão, Evie narrou seu lado desse romance. Agora, em O Leão Ferido, é a vez de Leo contar tudo o que lhe aconteceu e revelar o desfecho dessa história de amor.


Adotado aos quinze anos, Leo acreditava que teria chance de fazer parte de uma família e dar um futuro melhor para sua amada quando ela fosse maior de idade. Durante os primeiros dias em seu novo lar ele se dedicou a escrever uma carta para Evie, contudo, um dia antes que ele a enviasse, sua nova mãe o embebedou o seduziu a fazer sexo com ela. Envergonhado e sem saber como explicar para sua companheira o que tinha acontecido, ele resolve não entrar em contato.

Nos anos que antecederam sua ida para a faculdade, Leo manteve relações sexuais com a mãe adotiva. Durante a festa de formatura ela tenta uma nova investida e ele recusa, irritada, Lauren dá a notícia da morte do irmão mais novo de Leo que havia permanecido em um lar adotivo para crianças especiais. Furioso por ter falhado com as pessoas que mais amava, ele decide dirigir seu Porsche em alta velocidade e acaba capotando. Após ter feito várias cirurgias plásticas e passado meses se recuperando do acidente, ele decide se abrir com um psicólogo que o aconselha a procurar por Evie. Assim se inicia o romance entre a jovem camareira do Hilton e Jake (ele muda de nome ao ser adotado), seu perseguidor sorrateiro.

O amor que nasce na infância pode crescer e se tornar mais forte.

-Ah, não, filho. A complexidade do coração humano é algo impressionante. Se as pessoas sempre agissem de modo previsível, determinadas apenas por um conjunto de dados, você e Evie seriam pessoas muito diferentes. Respeite o mistério.
Pág.: 23

A história de Leo é dividida em dois tempos, em alguns capítulos suas sessões com o psicólogo são relatadas e nos outros é apresentado o desenrolar do romance entre ele e Evie. Esse livro complementa o volume anterior, preenchendo os pontos vagos deixados pela narrativa da protagonista. Após ler essa história consegui compreender melhor o relacionamento dos dois e passei a gostar mais de Jake.

Em O Leão Ferido encontraremos personagens mais intensos e problemáticos, Gwen e Lauren ganham mais destaque e podemos perceber como são ardilosas e calculistas. Descobrimos como ocorreram  algumas situações que despertaram o ciúmes de Evie e conheceremos um pouco melhor os motivos de seu amado para mimá-la tanto e ser superprotetor - atitude que achei clichê no anterior, mas que agora percebo os motivos que ele tinha para ser assim.

Sua melhor escolha foi ir atrás de quem amava.

Volto para a reunião sorrindo e me perguntando como vivi sem ela por todos esses anos. Como consegui? Então percebo que, na verdade, eu não estava vivendo. Estava existindo. Colocando um pé na frente do outro e apenas seguindo em frente. Nos melhores dias, entorpecido. Nos piores, infeliz.
Pág.: 136

O desenvolvimento do enredo é bastante semelhante com do volume que o antecede, em certos momentos isso é um pouco cansativo, contudo, como toda história tem dois lados vale a pena conferir essa versão. No epílogo descobrimos o que aconteceu com o casal depois do “felizes para sempre”, confesso que adoro quando as autoras incluem cenas extras depois do final das histórias. *__*

A capa segue o mesmo padrão da coletânea, é em preto em branco com a lombada e o título coloridos. A diagramação é simples e agradável aos olhos, a fonte é grande e há um bom espaçamento entre as linhas. Leitura recomendada.