A Garota Sem Passado - Michael Kardos

Olá Vintagers, como vão?

Não é sempre que os romances policiais fazem “minha deusa interior” se despertar de entusiasmo, e acredito que seja em função de tudo ser tão clichê que algumas histórias se tornam previsíveis demais. Mas felizmente não vai ser hoje que vocês irão me ver “descascando” um livro, pois, digo de olhos fechado e em alto e bom som: Esse foi o melhor romance policial que eu já tive a oportunidade de ler.
 


Num domingo de setembro de 1991, Ramsey Miller deu uma festa em casa para os vizinhos. Depois, assassinou a esposa e a filha de 3 anos. Todo mundo na pacata cidade de Silver Bay conhece a história.
Só que todos estão errados. A menina escapou. Sob o nome falso de Melanie Denison, ela passou os últimos quinze anos escondida com os tios numa cidadezinha remota. Nunca pôde viajar, ir a uma festa na escola ou ter internet em casa, porque Ramsey jamais foi encontrado e poderia ir atrás dela a qualquer momento.
Mas, apesar das rígidas regras de segurança impostas pelos tios, Melanie se envolve com um jovem professor da escola local e engravida. Ela decide que seu filho não terá a mesma vida clandestina que ela e, para isso, volta a Silver Bay para fazer o que nem os investigadores locais, nem a polícia federal, nem o FBI conseguiram: encontrar seu pai antes que ele a encontre.


Resumo

Como pode ser visto na sinopse, em um domingo de 1991, na cidade de Silver Bay, Ramsey Miller deu uma festa, e logo depois assassinou a esposa e a filha de apenas três anos. Contudo, a criança sobreviveu e agora vive escondida com os tios sob o nome falso de Melanie Denison. Por medo que a sobrinha seja encontrada, os tios de Melanie submetem a jovem a várias regras, como não poder ir a festas, ter internet, etc, afinal, seu pai nunca foi encontrado e eles temem que ele a encontre.

Mas, apesar das rígidas regras de segurança, ela se envolve com um jovem professor da escola local e engravida. Ela então decide que o passado não vai assombrar a vida de seu filho e que ele não terá a mesma vida clandestina que ela, motivo pelo qual ela volta a Silver Bay para encontrar o seu pai antes que ele a encontre. Será que Melanie será capaz de encontrar a verdade e conseguir assim uma vida em paz com seu filho?

 Eram uma família como outra qualquer.

Se existia um motivo para o crime, ninguém foi capaz de descobri-lo. Na família não havia nenhum antecedente de violência. Até onde todos sabiam, Ramsey era totalmente dedicado ao seu papel de marido e pai. Seus problemas com a lei eram águas passadas. Não existia uma explicação plausível sequer para a realização da tal festa na véspera dos crimes. Segundo a maioria das reportagens, tratava-se de uma comemoração pelo aniversário de 35 anos de Ramsey, que na verdade seria dali a uma semana. Outros dizem ter sido apenas uma festa de confraternização entre vizinhos, mas até então não havia registro de nenhum evento semelhante entre eles, e as despesas ficaram por conta exclusivamente dos Millers. Seria possível que a tal festa fizesse parte das maquinações criminosas de Ramsey? E o mais estranho de tudo era o fato de ele ter vendido seu caminhão justo na sexta-feira anterior aos assassinatos. O automóvel era seu ganha-pão. Que motivo teria para vendê-lo?
Pág.: 17

Opinião

Como disse no começo do texto, não sou muito fã de thrillers e romances policiais, pois acredito que esse gênero está saturado e são poucos os autores que conseguem trazer aquele diferencial para  a trama. Nunca tinha ouvido falar em Michael Kardos e A Garota Sem Passado simplesmente excedeu todas as minhas expectativas, pois possui uma história que me surpreendeu desde o início, e um mistério que pega a gente de jeito, passa rasteira e engana todo mundo no final (hahahaha).

Os personagens são psicologicamente e brilhantemente bem construídos. Como personagem principal temos Melanie/Meg que, apesar de eu não perceber grandes mudanças ao longo da história, sempre se mostrou muito corajosa e determinada ao decidir (grávida ainda por cima) enfrentar o seu passado, procurando pelo pai que assassinou sua mãe de forma brutal. Um destaque super especial ao Ramsey Miller, pai de Melanie, que também temos como um personagem muito importante, ele foi o que eu mais gostei e mais me identifiquei (vocês devem estar pensando: ela é louca, gostando de assassinos), porém no livro o autor nos mostra o passado de Ramsey, bem antes do assassinato e pude perceber um personagem intrigante, que teve uma vida muito dura e que foi capaz de ser uma pessoa cada dia melhor por sua família (pelo menos até certo momento, segundo os fatos narrados no começo da história).

Os Miller

Sabem o que me fez cair nos encantos deste livro? Exatamente o suspense em si, durante a leitura sempre queria saber mais e mais, descobrir o interior de cada personagem, a cena do assassinato me deixou tão curiosa que eu precisava saber o levou Ramsey a praticar tal ato, o que se passava na cabeça dele. Me senti como uma investigadora, sempre tentando ligar os pontos para construir uma teoria, e para mim essa é uma das maiores funções dos livros: Instigar nossa mente a flutuar na história e nos fazer colocar a cabeça para funcionar. A forma como autor é capaz de desenvolver uma história e nos prender é surreal, quase sobrenatural.

Consumimos uma vida inteira procurando entender o coração e as ações das pessoas à nossa voltam, mas o resultado é só um: equívoco, equívoco, equívoco. 
Pág.: 292

O livro é narrado em primeira pessoa e dividido em três partes, em um momento vemos o presente de Melanie, e no outro somos transportados ao passado, para a vida de Ramsey. Tudo meticulosamente desenvolvido para instigar ainda mais sua curiosidade. A escrita de Michael é muito clara e de fácil entendimento, sem contar que os capítulos são curtos, o que não deixa a leitura cansativa e monótona. A capa é muito bonita e nos mostra Melanie viajando que busca do seu passado e as verdades que ele carrega consigo.


Preciso falar que recomendo este livro? Tive uma experiência de leitura muito satisfatória em função da capacidade do autor de conseguir encaixar todos os fatos de forma muito inteligente. E o que falar do final? Totalmente inesperado e surreal o desfecho do assassinato. E preciso contar a vocês um segredinho (não é spoiler, ok?): Fiquei tão perplexa com o desenrolar dos fatos que – vou fazer uma ponte – sabem quando a Hazel Grace de A Culpa é das Estrelas terminou o livro Uma Aflição Imperial e precisou entrar em contato com o autor para saber mais sobre a história após o fim? Então, eu gostei tanto dessa trama e fiquei tão intrigada que redigi um e-mail para Michael querendo mais, muito mais. Vocês acham que eu devo mandar? *__*. 

Fui capaz de refletir com este livro que é preciso superar nossos medos e receios e ir em busca do nosso destino. Enfim, recomendo A Garota Sem Passado a todos que curtem essa linha de suspense, pois garanto que não vão se arrepender.


Rock kisses!