Enquanto Bela Dormia - Elizabeth Blackwell

Olá pessoal, tudo bem? Leram bastante no Carnaval?

Alguma vez vocês já chegaram a imaginar que os contos infantis podem ter um fundo de verdade? As versões originais das fábulas que povoaram nossas infâncias tiveram que passar por algumas modificações para se tornarem adequadas ao público infantil (Obrigado Disney!), mas já pararam para pensar que as princesas retratadas nessas histórias podem realmente ter existido? Há quem acredite que a Branca de Neve foi inspirada em uma Condessa, por isso, ao ler Enquanto Bela Dormia me deixei acreditar que todos os fatos narrados realmente ocorreram, e mergulhei em uma das melhores histórias de princesas que já li até hoje. 

Nos salões de um castelo, uma confidente leal guardou por muitos anos os segredos de uma rainha linda e melancólica, uma princesa que só queria ser livre e uma mulher que sonhava com a coroa. Esta é sua história.
Ambientada em meio ao luxo e às agruras de um reino medieval, esta releitura de A Bela Adormecida consegue ser fiel ao clássico ao mesmo tempo que constrói uma narrativa recheada de elementos contemporâneos. Nessa mescla, os dramas de seus personagens – um casal infértil, uma jovem que não aceita viver em uma redoma e uma família despedaçada pela inveja – tornam-se atemporais.
Quando a rainha Lenore não consegue engravidar, recorre aos supostos poderes mágicos da tia do rei, Millicent. Com sua ajuda, nasce Rosa, uma menina linda e saudável. No entanto, a alegria logo dá lugar às sombras: o rei expulsa de suas terras a tia arrogante, que então jura se vingar. Seu ódio se torna a maldição que ameaça a vida de Rosa. Assim, a menina cresce presa entre os muros do castelo, cercada dos cuidados dos pais e de Flora, a tia bondosa e dedicada do rei que encarna a fada boa do conto original.
Mas quando todas as tentativas de proteger Rosa falham, é Elise, a dama de companhia e confidente da princesa, sua única chance de se manter viva. E é pelos olhos dessa narradora improvável que conhecemos todos os personagens, nos surpreendemos com o destino de cada um e descobrimos que, quando se guia pelo amor – a magia mais poderosa do mundo –, qualquer pessoa é capaz de criar o próprio final feliz.


A história da Bela Adormecida não ocorreu de forma tão encantadora quanto pensamos, não existiram bruxas, fadas, ou feitiços capazes de fazer um reino inteiro dormir por cem anos. A verdadeira face desse conto é trágica e só poderia ser narrada pela única testemunha viva que acompanhou de perto - desde a notícia da gravidez de uma rainha aparentemente estéril até o último suspiro da princesa -. Após a morte de sua mãe e irmãos, Elise decide fugir da fazenda em que morava com o pai para buscar um emprego no castelo e, pouco tempo após ser admitida como camareira, ela se torna criada pessoal e amiga da monarca.

Durante anos Leonore tentou em vão ter um filho, desesperada, ela deixa que a tia do rei lhe apresente uma solução atormentadora, e pouco tempo depois nasce Rosa. Cansado de ver Millicent se intrometendo em todos os aspectos da vida de sua esposa, Ranolf decide expulsá-la do reino. Despertar a ira de uma pessoa rancorosa pode trazer sérias consequências, e Millicent não tardou em expô-las, pois, durante o batizado da princesa ela amaldiçoou o sobrinho e alegou que a criança morreria no auge de sua beleza. Tais afirmações foram suficientes para instaurar no reino um estado de medo capaz de fazer o rei tornar-se um homem desconfiado e superprotetor. Ele não imaginava que o mal o atingiria de maneira silenciosa.

Alguns temores não nos permitem ver a verdadeira maldição.

Duas forças poderosas tinham se erguido uma contra a outra. E lutas desse tipo só podem acabar em desastre.
Pág.: 107

A narrativa em primeira pessoa foi o que mais me encantou nessa história, Elise descreve sua vida de forma detalhada e é bem sincera ao falar o que sentiu ou pensou, e isso faz com que tenhamos a sensação de estarmos frente a frente com a narradora. A cada novo capítulo me vi mergulhando um pouco mais neste enredo viciante e percebendo que o tempo parecia parar durante a leitura.

Os personagens evoluem muito no decorrer da obra, a própria protagonista observa o quanto ela e as pessoas a seu redor mudaram. Há uma grande preocupação em tornar o contexto autêntico, portanto por mais que eu tenha gostado de algumas personalidades, tive que lidar com suas mudanças e seus destinos de forma imparcial. Posso garantir que vocês chegarão a amar alguns vilões, odiar vários mocinhos, xingar a protagonista e no final torcer bastante para que tudo dê certo.

Beijos são incapazes de consertar determinadas tragédias.

Consola-me pensar que a história da Bela Adormecida continuará viva depois de todos nós, uma história de maldade derrotada e amor triunfal que ressoará por séculos. E é assim que deve ser. Porque a verdade não é nenhum conto de fadas.
Pág.: 364

A leitura dessa história nos leva a ver um novo lado dos contos de fadas, os elementos apresentados fazem crer que apesar de a história da Bela Adormecida ter se embasado na vida de Rosa, a verdade sobre o que ocorreu é muito diferente. Ver o desenrolar pelos olhos de uma criada torna tudo ainda mais interessante, pois uma princesa fica restrita ao que lhe é permitido testemunhar, enquanto uma empregada tem liberdade para ver e ouvir a respeito de todos. A apresentação da vida no castelo não tem nada de extraordinário, acredito que se aproxima bastante da realidade na idade média.

A capa é maravilhosa e por ser em tons escuros transmite a atmosfera dark que o leitor encontrará na obra. A diagramação é agradável aos olhos, as páginas possuem tom amarelado e a fonte é de tamanho mediano. Não encontrei erros de revisão. Quando um livro é muito bom, o sentimento de saudade nos pega quando encerramos a leitura e Enquanto Bela Dormia despertou em mim essa sensação. Acredito que qualquer pessoa que cresceu ouvindo as histórias da Disney irá se encantar ainda mais por essa. Leitura recomendada.