Star Wars: Estrelas Perdidas - Claudia Gray

Saudações, jovens padawans, como vocês estão?

A franquia de Star Wars é conhecida por suas histórias de guerras interestelares, seus personagens marcantes e por seus romances inusitados. Star Wars: Estrelas Perdidas é um dos mais recentes livros que fazem parte do universo expandido da saga. Além disso, é um livro introdutório para novos fãs com uma narrativa YA (Young Adult), onde acompanhamos a trajetória de dois jovens que estão atrás de seus sonhos. 



Ciena Ree e Thane Kyrell se conheceram na infância e cresceram com o mesmo sonho: pilotar as naves do Império. Durante a adolescência, sua amizade aos poucos se transforma em algo mais, porém diferenças políticas afastam seus caminhos: Thane se junta à Aliança Rebelde e Ciena permanece leal ao imperador. Agora em lados opostos da guerra, será que eles vão conseguir ficar juntos?
Através dos pontos de vista de Ciena e Thane, você acompanhará os principais acontecimentos desde o surgimento da Rebelião até a queda do Império de um jeito absolutamente original e envolvente. O livro relata, ainda, eventos inéditos que se passam depois do episódio VI, O retorno de Jedi, e traz pistas sobre o episódio VII, O Despertar da Força!



Jelucan é um isolado planeta da Orla Exterior, onde a expansão imperial havia acabado de chegar. Ainda crianças, Thane Kyrell, um garoto cuja família pertence a segunda leva de colonizadores, conheceu Ciena Ree, uma garota do campo, após ele ter defendido e salvado ela de um grupo de jovens que pretendiam agredi-la. Como este fato ocorreu em um importante evento do Império, os olhos dos mais atentos seriam atraídos para a pequena confusão, e dentre estes, estava Wilhuff Tarkin, um imperialista que ficou impressionado com a coragem e moral dos dois e decide dá-lhes uma chance para entrarem na Academia Imperial.

Após treinarem voo por 5 anos, juntos em uma das naves da família Kyrell, os dois, aos 13 anos, conseguem passar na prova que lhes permitiam ingressar na referida Academia. Escolhidos para a academia de Coruscant, uma das mais disputadas de toda a galáxia, os dois passarão por por momentos terríveis que colocará em jogo a amizade e confiança existente entre eles, algo que mudará não só o futuro, mas como a visão de Thane sobre os feitos do império, fazendo com que ele se alie a Aliança Rebelde. Mesmo assim, uma paixão irá aflorar em seus corações.

Banner oficial de Star Wars VII: O Despertar da Força

Até onde Ciena sabia pelos poucos holos que tinha visto, a maioria das pessoas na galáxia não acreditava mais na Força, um campo de energia que envolvia todos os seres vivos. Até mesmo ela se perguntava às vezes se um cavaleiro Jedi poderia ter existido. As histórias incríveis que os anciãos contavam sobre heróis valentes com sabres de luz, que podiam influenciar mentes e levitar objetos... certamente eram apenas histórias.
Mas a Força tinha que ser real, porque havia trazido o Império a Jelucan para mudar o futuro de todos aqueles para sempre.
Pág.: 17

Star Wars: Estrelas Perdidas provavelmente não é um livro que agradará todos os fãs pelo fato da trama ser simples e menos complexa que outras histórias da saga, e também por haver romance excessivo entre os dois personagens, o que sobrepôs os elementos políticos e ideológicos do enredo. Quem já leu Romeu e Julieta possivelmente irá perceber as semelhanças quando fica claro que há certo preconceito e rejeição dos pais quanto a amizade de Thane e Ciena, uma vez que ele pertence a uma família com boas condições financeiras, e ela por sua vez é considerada inferior por ser uma nativa do planeta e uma garota "simples" do campo. 

O começo do livro é totalmente dedicado em mostrar o quão grande é a amizade entre eles. Neste quesito a autora foi bem-sucedida, uma vez que seus personagens são bem desenvolvidos e apresentam uma gama de detalhes que compõem suas personalidades e seus passados. Além disso, não só neste início, mas em toda a trama, são abordados temas que dizem respeito a lealdade, seja ela entre amigos ou a seus ideais, e amizade.

A narrativa é feita na terceira pessoa em sua maioria, o que possibilitou a riqueza de detalhes presente na obra. Contudo, vez ou outra,  ela também apresenta a história pelo ponto de vista de ambos os personagens, ou exclusivamente por um deles. Um fato que irá agradar, ou não, alguns fãs é que a história se passa algum tempo depois dos acontecimentos do Episódio III: A Vingança dos Sith e se estende para além do Episódio VI: O Retorno de Jedi. Desta forma, os fatos da Trilogia Clássica são mostrados sobre a perspectiva de ambos quando a trama adentra os assuntos de guerra e política. 

Claudia Gray, autora.

- Ela sempre disse que um juramento era para sempre, que uma promessa era uma promessa, que você tinha que ser fiel à sua honra. - Kendy começava a soar furiosa. - Nunca imaginei que ela pudesse mentir. Agora descubro que quebrou uma promessa para salvar você, mas que ainda serve a frota estelar imperial. Como ela consegue fazer isso? Se pode desafiá-los pelo seu bem, por que não faz o mesmo pelo bem de toda a galáxia?
Pág.: 291

O encerramento deste livro talvez seja a parte mais aguardada pelos fãs, uma vez que é nela que há uma grande ligação com Star Wars: O Despertar da Força, novo filme da franquia que estreia dia 17 de dezembro. Obviamente fiquei extasiado quando li tal parte, até mesmo pelo fato de eu estar ansioso pela minha ida à pré-estreia do longa. Para tristeza de alguns, não entrarei com demais detalhes sobre o final por ser considerado spoiler. Star Wars: Estrelas Perdidas é uma ótima história que dá um outro panorama à Trilogia Clássica, além de ser uma obra introdutória para aqueles que estejam querendo conhecer o universo da saga. 

A diagramação está simples, porém, com um ótimo espaçamento entre linhas e um tamanho de fonte agradável. Já na edição contamos com páginas amarelas, um marcador de páginas na orelha para ser recortado e uma bela ilustração na capa, que por sinal é feita em Soft Touch. Quanto a revisão, não encontrei erros aparentes.

A Força guiará vocês!