Corte de Espinhos e Rosas - Sarah J. Maas

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

A minha reação quando terminei de ler o livro Corte de Espinhos e Rosas foi querer sair indicando para todo mundo. Estou maravilhada com essa história que parece ser uma recontagem de a Bela e a Fera, só que mais complexa, com mais ação e carnificina. Um conto de fadas para adultos.


Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação.
Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira — que ela só conhecia através de lendas —, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... ou Tamlin e seu povo estarão condenados.




Prythian era uma ilha habitada por humanos e feéricos (seres mágicos e imortais que podem parecer com humanos ou monstros dependendo da classe). Durante muito tempo os Grão-Senhores a governaram com mãos de ferro, mas os humanos, cansados de serem escravizados, decidiram se rebelar e iniciar uma guerra que terminou com um tratado que dividia Prythian em terras feéricas e mortais. As gerações que sucederam o contrato cresceram ouvindo sobre o quanto as criaturas do outro lado da fronteira poderiam ser cruéis e letais, e o ódio e o medo eram semeados entre a população. Foram esses sentimentos que impulsionaram uma jovem caçadora a disparar uma flecha de freixo contra um lobo com características feéricas.

Após matar a criatura, ir para casa e vender a pele, Feyre acreditava que sua vida continuaria sendo a mesma e que seu sonho de casar as irmãs e ter um futuro confortável ao lado do pai permaneceria inabalado. O que não esperava era que uma besta derrubaria a porta de sua casa e como forma de retaliação ao que ela fez com o lobo a levaria para viver em suas terras. A fera na verdade era um Grão-Senhor com poder de transmutação cujas habilidades estavam sendo ameaçados por uma praga que, além de fazer com que criaturas terríveis ameaçassem a segurança de seu povo, fazia com que toda a corte ficasse presa a uma máscara. 

 A Corte Primaveril é um lugar lindo. E letal.

-Você não é o que eu esperava... Para uma humana – Disse Tamlin.
Pág.: 117

Trono de Vidro era um dos livros que estava na minha lista de compras há um bom tempo e depois de ter lido Corte de Espinhos e Rosas decidi que preciso comprá-lo urgentemente. A escrita de Sarah J. Maas é cativante, surpreendente e viciante, ela equilibra a doçura de um romance com a crueldade de um livro de ação. Inicialmente acreditei que essa história teria um desenvolvimento bastante simples, mas me surpreendi com um desfecho inesperado.

Os personagens são bem construídos e cativantes, um em especial me chamou a atenção, só não alego que ele se encaixaria perfeitamente a uma história de George R.R. Martin porque estou com o pressentimento de que algo pior está por vir nos próximos volumes. Freyre é teimosa, sarcástica, fria e calculista, mas isso não a torna chata, pois percebemos que ela precisou se tornar uma pessoa assim para conseguir sustentar a família. Tamlin inicialmente é bastante rude, mas aos poucos seu charme é revelado.

Autora

Ali estavam as criaturas das lendas sangrentas, aquelas que escapavam pela muralha para atormentar e trucidar mortais. Aquelas que eu ficaria feliz em matar naquele dia, no bosque nevado. Os olhos imensos, com formato amendoado, observavam vorazmente o Suriel e eu.
Pág.: 141

O inicio da história tem um ritmo um pouco lento, a autora foca na maldição que está rondando Pryntian e no desenvolvimento do romance de Tamlin e Feyre. A cena onde a praga é revelada e a que a sucede é eletrizante a ponto de fazer com que abandonar a leitura se torne uma tarefa impossível. O vilão e os personagens que passam a figurar o enredo são excepcionais, e o que a protagonista é obrigada a fazer para superar tudo isso e provar seu amor é impressionante. Estou aguardando ansiosa a estreia do próximo volume, pois além de querer saber qual será o próximo tormento que Pryntia enfrentará, quero desvendar um mistério que a autora deixou sem explicação.

Achei a capa linda, as rosas e o título possuem verniz localizado para dar destaque. A diagramação está impecável, cada começo de capítulo possui ramas de espinhos que combinam com o título e com a personalidade da protagonista (em determinada cena ela alega ser uma pessoa coberta de espinhos, afiada, azeda e teimosa). As páginas são de tom amarelado e a fonte é de tamanho mediano. Encontrei apenas dois erros de digitação, mas nada que atrapalhe o entendimento da frase. Leitura super recomendada.