A Bela e a Adormecida - Neil Gaiman

Olá Vintagers, como vão?

Estou me sentindo em casa com a resenha de hoje. Sabem por quê? Porque sou super-ultra-mega fã de histórias psicodélicas e com um toque de bizarrice. Além disso, estou muito feliz por resenhar um livro do Neil Gaiman (autor de Coraline, uhuu!!!). Se você também gosta desse tipo de livro, vem comigo porque você vai curtir. 



Em uma sombria e fascinante história, as mais queridas princesas dos contos de fadas são reinventadas de maneira brilhante pelo inglês Neil Gaiman e o ilustrador Chis Riddell. Em A Bela e a Adormecida, uma jovem rainha é informada, na véspera de seu casamento, sobre uma estranha praga que assola as fronteiras do seu reino, um sono mágico que se espalha pelo território vizinho e ameaça os seus domínios. Na companhia de três anões, a rainha abandona o fino vestido da festa, pega sua espada e armadura e parte pelos túneis dos anões para o reino adormecido. Uma viagem repleta de ação e suspense que leva a uma surpreendente descoberta. Misturando o conhecido e o novo com perfeita sintonia, Gaiman cria mais uma obra repleta de magia e aventura capaz de hipnotizar o mais exigente dos leitores.



 Resumo

Uma jovem rainha está prestes a se casar, porém se questiona constantemente a respeito de seu futuro, como será sua vida como uma Majestade, e consequentemente surge o receio em dar este grande passo.

Em virtude do casamento, três anões viajam pelo subterrâneo em busca do tecido mais lindo para presentear a futura rainha, porém, no decorrer da viagem, ao se abrigarem em uma estalagem eles descobrem que o Reino está sofrendo uma terrível maldição do sono invocada por uma Bruxa para amaldiçoar uma jovem princesa. Ao chegar ao castelo os anões contam à futura Rainha o que está acontecendo e, com suas dúvidas, ela vê uma ótima oportunidade para fugir desta obrigação partindo em uma jornada.

Ilustrações presentes no livro.

– Em uma semana – pensou em voz alta. – Em uma semana, estarei casada. Isso parecia ao mesmo tempo improvável e extremamente definitivo. Ela ficou se perguntando como se sentiria na condição de esposa. Seria o fim da sua vida, concluiu, se a vida fosse um tempo de escolhas. Em uma semana não teria mais o que escolher . Reinaria sobre o seu povo. Teria filhos. Talvez morresse durante o parto, talvez de velhice, ou em batalha. Mas o caminho para sua morte, a cada batida de seu coração, seria inevitável. 
Pág.: 14

Nesta história, ao contrário do que você pensa, não há ninguém esperando que apareça um nobre príncipe em seu cavalo. Esse conto de fadas é tecido com fios de magia negra, que viram e reviram, brilham e refletem. Nesta história, uma rainha pode acabar se revelando uma heroína, se uma princesa precisar ser salva... 

Opinião

Gente, eu sou alucinada com histórias meio bizarras, sejam em livros, filmes ou o que for, (quem sabe um dia faço um post para vocês mostrando esse universo que eu amo?) e neste universo eu considero bastante o Tim Burton e o Neil Gaiman. Acredito que eles possuem um estilo bem parecido de ver as coisas. No livro A Bela e a Adormecida eu não poderia esperar menos, nele vi uma releitura maravilhosa e psicodélica do clássico onde, bem no estilo Gaiman de ser, existem coisas bizarras acontecendo a todo o momento. 


O núcleo é em sua maioria composto por mulheres, dentre elas uma Rainha determinada, astuta e valente, desmistificando o conceito do “macho alfa” dos Reis. A personagem da Rainha, que em nenhum momento é revelado o nome (mas no decorrer temos uma ideia de quem seja), se vê em um momento de dúvidas e não sabe ao certo o que esperar do futuro. Diante do perigo que ronda o Reino, nossa heroína não delega cavaleiros, muito menos o príncipe, ela é quem veste a Cota de Malha e vai à luta para salvar seu reino e seus súditos. Essa abordagem de empoderamento feminino vem ganhando mais força na literatura e me deixa muito feliz ver a cada dia personagens independentes e bem resolvidas.

O que faz dessa obra algo ímpar? A Bela Adormecida é acordada com o beijo da Rainha e isso causou certo alvoroço por parte da mídia, pois muitas pessoas condenaram Gaiman por ter “acabado com a inocência das histórias infantis”, porém, venhamos e convenhamos, as histórias dele não são nada infantis, exemplo disso é o livro Coraline, onde mostra um universo paralelo tenebroso e assustador. O beijo das princesas neste sentido não se referiu a nada a respeito de amor ou relacionamento, e sim ao desejo de uma heroína em salvar seu reino. Ele foi lindo e muito importante para a história.


Eu ainda era praticamente uma criança. Nunca tinha ido tão longe, mas subi os degraus, subi e subi, girando e girando, até chegar ao cômodo mais alto. Eu vi essa cama, essa mesma que você vê, mas não tinha ninguém nela. Só havia uma velha sentada no banquinho fiando lã com seu fuso. Eu nunca tinha visto um desses. Ela me perguntou seu eu queria tentar. Pegou a lã e me entregou o fuso. Segurou meu polegar e furou-a com a ponta do fuso até sair sangue e molhou o fio no sangue.
Pág.: 52

Sabe aquele famoso ditado: “Não julgue o livro pela capa”? Às vezes, tenho que confessar que sou levada pelas capas dos livros. A Bela e a Adormecida, além de uma obra muito bonita, possui uma das diagramações e ilustrações mais belas que eu já vi. Estava pesquisando sobre o ilustrador, Chris Riddell, e pude perceber que ele se superou neste livro. Tudo foi desenvolvido com uma riqueza de detalhes impressionante, cada desenho, cada teia de aranha, foram precisamente desenvolvidas. A capa dura, a jacket em papel semi-transparente e todos os desenhos em Black and White com detalhes dourados enriqueceram de uma forma extraordinária o livro. Considero um presente para nós leitores, pois podemos desfrutar e sentir cada detalhe desta obra em todos os aspectos.


Em A Bela e a Adormecida pude refletir sobre nossas responsabilidades e a busca pelas coisas que nos fazem bem. Identifiquei-me bastante com a personagem central, pois assim como ela, não me prendo a certas coisas e sempre me considerei corajosa em buscar novos rumos. Indico esta obra a todos os amantes das histórias fantásticas, pois tenho certeza que vocês vão se encantar assim como eu por cada página desse livro.

Rock kisses e até a próxima!