Aubiobooks, Tecnologia Sem Fio e os Fones Perdidos


Hey pessoal, tudo bem?

Em um mundo onde estamos sempre correndo, com prazos no limite e com hora marcada para tudo, nós leitores usamos qualquer folguinha para dedicar pelo menos alguns minutos do nosso dia aos nossos queridos livros e às leituras do momento. Contudo, a menos que você esteja de carona com um amigo, ou que o transporte público que está usando esteja vazio, fica difícil dirigir lendo, ou manobrar um livro em pé quando você está sendo empurrado por todos os lados, e é aí que começam as vantagens do audiobook

Recentemente vi que muitas das vezes que andava de ônibus ou metrô, nunca conseguia parar para ler, em decorrência dos motivos descritos acima, e isso me deixava incomodado, pois normalmente ficava 3 horas em média dentro dos referidos transpores, momento este no qual poderia estar imerso no mundo da tia Richelle Mead. Foi quando decidi que iria começar a acompanhar minhas leituras através dos audiolivros, afinal, poderia fazer isso em pé na lotação ou enquanto dirigia, e tudo o que precisava era de um celular, um fone e um cabo auxiliar (quando estamos dirigindo não é bom usar fones, e esse cabo tem a função de reproduzir o som do celular nas caixas de som do automóvel). E qual foi o resultado? Desastre total! HAHAHA Logo nos primeiros minutos de direção já ficava preso à história e só percebia que estava parado no transito quando o carro de trás começava a buzinar e a me amaldiçoar até a minha décima geração. Na lotação foi pior, pois no meio daquele "empurra-empurra", toda hora alguém batia o braço no cabo do fone e o arrancava da minha orelha, ou ele ficava preso em algum gancho e acabava arrebentando (quinto fone que perco só esse semestre T_T).

O Headphone da promoção + meus livros favoritos *__*

Eis que decido fazer meu ritual noturno - colocar 500 livros no carrinho do Submarino e fechar a aba do navegador pois não tenho dinheiro para comprar - e vejo que eles haviam colocado um Headphone Bluetooth da Aquarius, edição comemorativa de 30 anos do Rock in Rio, com um desconto de mais de R$100,00 (de R$189,90 ele saiu por R$80,00 já com o frete), foi quando pensei "essa é a solução dos meu problemas", com um coro angelical de trilha sonora dentro da minha cabeça. Comprei o bendito do fone e já aproveitei para comprar na Amazon o audiobook de The Name of The Wind (O Nome do Vento aqui no Brasil) que é um dos meus livros favoritos, afinal, é sempre melhor testar coisas novas usando variáveis do que você já conhece *__*. O resultado foi fenomenal, pois, como o audiolivro é particionado por capítulos, consigo ouvir a história quando estou no ônibus e quando chego em casa posso pegar o livro físico e dar continuidade à leitura sem ficar perdido ou procurando onde havia parado na história. É uma situação que classificaria como win win. ;)

Ah, Matheus, mas o audiobook tem aquela voz robótica, como você consegue se concentrar? Não, eles não tem. Infelizmente aqui no Brasil, com a pirataria e seus derivados, muitos sites começaram a passar os PDFs dos livros em programas dedicados aos deficientes visuais, ou seja, um programa que pega o que está escrito e "traduz" em uma linguagem falada de forma robótica, algo bem similar à voz do Google Tradutor quando pedimos para que algo seja lido. São poucos os livros em português que possuem narração humanas, e a maioria dos que existem são clássicos da literatura e não os livros que estão circulando atualmente no mercado. Esse é um dos pontos negativos e que pode impedir que algumas pessoas consigam aproveitar essa experiência que tive, pois a maioria dos audiobooks que achei para comprar na Amazon são em inglês. Contudo, pelo lado positivo, todos possuem narração humana e as vozes são de pessoas com formação própria em dublagem e teatro, o que torna a "leitura" bem mais prazerosa pois eles interpretam as falas, ou seja, mudam a voz para um tom mais grave quando o personagem é homem, ou mais lento e rouco quando é um idoso.

Seus livros favoritos de um jeito diferente.
Com esses acontecimentos percebo o quanto a tecnologia sem fio é libertadora, não preciso mais ficar me preocupando em derrubar meu notebook no chão só porque levantei e esqueci que estava com o fone ainda, o que fez com que o aparelho ficasse pendurado na beirada da escrivaninha e meu coração parasse por alguns segundos. Ou ir deitar ouvindo música e ficar preocupado se vou quebrar a tela do celular se eu deitar em cima dele sem querer, afinal, posso deixar o smartphone em cima da mesa de cabeceira e não me preocupar mais, pois posso controlar volume, play/pouse e atender ligações pelo próprio fone. Depois dessa experiência, estou abolindo os cabos da minha vida e minha próxima aquisição será um mouse sem fio e uma corda de pular sem corda, assim posso ficar deitado assistindo Netflix e usar a desculpa de que não preciso me levantar pois é tecnologia Wifi. ^_^