Escola de Vilões - Jen Calonita

Hey pessoal, tudo bem?

Quando a editora Única anunciou o lançamento desse livro, fiquei em êxtase. Além de conter uma das capas mais lindas que vi esse ano, a obra traz uma premissa muito bacana e com grande potencial. Confesso que inicialmente a obra me passou um ar um pouco infantil, principalmente por ter como protagonista uma jovem de doze anos e uma cidade chamada Encantadópolis, mas ao longo da obra fui vendo que Escola de Vilões é uma obra para todas as idades, basta acreditar em Contos de Fadas.




Será que um vilão pode se recuperar? Gilly não se considera exatamente uma garota má... Porém, quando se tem cinco irmãos e irmãs mais novos, é preciso ser criativo para ajudar nas despesas. Ela é uma ladra muito boa, e disso tem certeza e pode se gabar. Até ser pega. Depois de roubar uma presilha, é sentenciada a passar três meses no Reformatório de Contos de Fadas – no qual os professores são aqueles antigos vilões que já conhecemos, como o grande Lobo Mau e a malvada Madrasta da Cinderela. Quando, porém, ela faz amizade com alguns estudantes, como Jax e Kayla, aprende que esse reformatório vai muito além de sua missão heroica. Há uma batalha ganhando forma e Gilly precisa descobrir: os vilões podem realmente mudar? Descubra o Lado B dos contos de fadas.



Muitas pessoas sempre se perguntaram o que aconteceu com os príncipes e princesas após o famosos "Felizes para sempre...", mas poucos se deram ao trabalho de questionar qual foi o verdadeiro destino dos vilões de todas essas histórias, e é com essa premissa que esse livro é construído. O Reformatório de Contos de Fadas (RCF) foi criado por Flora, madrasta da Cinderela, e tem por objetivo reeducar os criminosos e vilões do mundo dos Contos de Fada, pois ela acredita que todo mundo pode mudar. Entre seus professores temos: Xavier Lobão, o Lobo Mau, que é professor de História; Madame Cleo, a Bruxa do Mar, que é especialista em Etiqueta; e Harlow, a Rainha Má, que leciona Psicologia e supervisiona sessões de terapia em grupo. 

Dentro desse mundo temos Gilly, uma jovem de doze anos que realiza pequenos furtos para ajudar a sustentar seus cinco irmãos e irmãs, afinal, depois que a tão benevolente Fada Madrinha plagiou a ideia dos Sapatos de Cristal do pai de Gilly, os negócios da família iam de mal a pior.  Em uma de suas aventuras clandestinas ela é pega depois de furtar uma presilha de cabelo e acaba sentenciada a ir para o RCF, dando inicio assim à nossa aventura.

 Rainha Má

- Uma vez vilã, sempre vilã - ela diz, numa voz inexpressiva que não se parece em nada com a dela. - O mal está vindo e não pode ser detido. Encantadópolis, cuidado... - Sua boca se curva num sorriso sinistro. - O Reformatório de Contos de Fadas vai incendiar.
Pág.: 114

Como disse no começo do texto, a obra como um todo passa um ar mais infantil, afinal, estamos trabalhando com Contos de Fadas, mas nem por isso o livro é ruim, muito pelo contrário. Escola de Vilões veio em um momento chave para mim. Como tinha acabado de ler o último livro de uma de minhas trilogias favoritas, acabei entrando em uma ressaca literária tão profunda que não consegui começar uma leitura nova por quase um mês. Eis que decido tentar dar uma chance para a escrita de Jan Calonita e me vi imerso em um mundo de faz de conta simples e despretensioso, mas que conseguiu me fazer viajar para um lugar onde tudo é possível. 

A ambientação e os personagens também merecem seu devido destaque. Adorei toda essa ideia dos vilões serem os professores, bem como as matérias que eles lecionam, afinal, quem imaginaria que a Rainha Má, toda complexada e narcisista, daria aula de Psicologia? Gostei também da personalidade de Gilly, pois, apesar de ser jovem, ela não é aquela personagem fresca, mimada e cheia de "não me toque"; ela é alguém madura para a idade e que não te medo de colocar a mão na massa. Os personagens secundários também tiveram seu devido destaque na história, mas infelizmente não consegui me conectar com nenhum deles ao ponto de achar necessário citá-los aqui na resenha. 

 Outro livro publicado pela autora nos EUA.

O final me deixou um pouco dividido. Por um lado, achei bastante satisfatório e condizente com o ritmo apresentado ao longo da leitura (odeio quando o autor  narra uma história em um ritmo, e depois acelera tudo no final). Por outro, penso que a autora poderia ter desenvolvido um pouco mais alguns acontecimentos que infelizmente não posso citar sem dar spoiler, mas isso é uma questão de gosto pessoal. Escola de Vilões é o primeiro livro da série, o segundo livro se chama Charmed (ainda não possui título no Brasil) e tem previsão de lançamento para 2016 nos EUA.

A edição está linda! Já de inicio podemos ver o quão bela é a arte da capa, bem como a atenção que a editora deu aos detalhes, como é o caso do verniz localizado do título, do nome dos livros que estão empilhados na imagem, do sapatinho de cristal e do livro dos Irmãos Grimm aberto no chão. A diagramação está muito bonita e em todo começo de capítulo temos um desenho perto da primeira letra, as mensagens e edições do jornal que circula na região são apresentados em uma cor e fonte diferentes. Recomendo a leitura para quem gosta desse tipo de história e está querendo algo mais leve e descontraído.