Redenção e Submissão - Nana Pauvolih (18+)

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

A história se inicia no Catana, um clube mega exclusivo que Matheus e seus dois melhores amigos frequentam desde que completaram dezoito anos. Por muito tempo Matt tentou entender os motivos que o levavam a ser um dominador, até que compreendeu que, assim como Yin e Yang, ele também tinha dois lados: um que foi criado por pais amáveis com quem aprendeu a ser sensato, educado, bondoso e romântico, sendo essa a personalidade que a maior parte das pessoas o conhece; e o outro lado revelava um dom mestre em Shibari e chicotes longos, sedento por controle e em busca de uma submissa perfeita.




Se em Redenção de um cafajeste, estreia de Nana Pauvolih na Rocco pela coleção Violeta, do selo Fábrica231, o foco era a relação de Arthur e Maiana, agora, no segundo livro da trilogia, a autora volta a atenção para Matheus Sá de Mello, um dos melhores amigos de Arthur. Mais conhecido por Matt, ele concilia a aparência de bom moço e uma rotina normal com sessões de sexo recheadas de sadomasoquismo no Clube Catana. Numa dessas noitadas, ele conhece Sophia, bela morena que é uma típica dominatrix. Mas a atração sexual é apenas a ponta do iceberg que vai unir os dois. Em Redenção e submissão, Nana Pauvolih mostra, mais uma vez, por que se tornou um fenômeno da autopublicação no segmento erótico nacional, com uma trama recheada de sexo e romance.





Por ser linda e sedutora, Sophia está acostumada a atrair os olhares de todos os homens por onde passa, uma mulher que apesar de ter tido uma infância traumática batalhou muito para se tornar bem sucedida e nunca se deixar submeter. Em sua primeira visita ao Catana ela vê Matt e julga que ele tem tudo o que ela procura em um submisso, mas ao descobrir que ele também é um dominante decide que irá mudá-lo. Assim se inicia uma verdadeira batalha entre um casal de gostos idênticos que provará que não são apenas os opostos que se atraem.

A arte da dominação não é para todos.

Seus olhos eram de um anjo. Cálidos, quentes, ternos. Não dava para ver cor, mas eram claros, talvez de um tom mel ou verde. E infinitamente doces, puros, lindos. Era impossível não fitar aqueles olhos e pensar em doçura, bondade e... submissão. Eram olhos de um submisso a espera da mulher certa, que mostraria a ele o que era o desejo absoluto, a entrega perfeita. E essa mulher era eu.
Pág.: 53

Desde o primeiro volume dessa trilogia me vi fisgada pela narrativa de Nana Pauvolih, estou acostumada a ler livros que abordam as práticas de BDMS e em grande parte deles vi a mulher como submissa, o diferencial desse é que a protagonista é uma Dominatrix e por isso gosta de assumir o controle da relação e submeter seu parceiro. Outro ponto que me agradou bastante foi a preocupação da autora em explicar com riqueza de detalhes as características de uma prática de Dominação e Submissão para quem não conhece absolutamente nada desse assunto, ou que imagina que esse fetiche é limitado a algemas, chicotes e ordens, mostrando que tal prática vai muito além disso.

Não sei se foi porque ele me faz lembrar de uma pessoa que conheço ou se foi apenas pelo fato de ser um personagem bem construído que me vi completamente encantada por Matt, definitivamente ele se tornou um dos meus protagonistas favoritos. Com olhos verdes, cabelos loiros e um jeito romântico capaz de conquistar qualquer mulher, ele é o equilíbrio perfeito entre um anjo e um demônio. Sophia é uma personagem admirável, sempre gostei de mulheres fortes, decididas e cheias de atitudes, daquelas que sabem bem o que quer e simplesmente vão atrás. A história do passado dela é um dos pontos mais altos do livro e justifica o porquê de ser tão arisca.

Ser amarrado, chicoteado e submetido, essas coisas não eram pra mim. Não faziam parte da minha personalidade nem do meu desejo. Por isso, não via como eu e Sophia poderíamos nos entender sem que um dos dois cedesse. E não seria eu.
Pág.: 89

Estou super ansiosa para ler o último volume, cada um dos três amigos apresenta características tão opostas que chega a ser impossível não ficar intrigada para conhecê-los um pouco mais. Até o momento o Matheus é o que mais me encantou e na história dele percebemos o quanto Arthur está feliz com a vida ao lado de Maiana, e que Antonio é o mais misterioso, reservado e infeliz do grupo. Eu adoro romances eróticos e essa trilogia é de tirar o fôlego, estou louca para ler mais alguns livros dessa autora.

A capa é LINDA, na parte da frente encontramos o belo Matt e na de trás a sedutora Sophia, e próximo a cada um eles há um breve resumo que nos apresenta suas principais características. A borda das páginas em cor de rosa confere a esse volume um charme a mais tendo em vista que essa é uma edição bastante caprichada que conta com uma diagramação impecável e nenhum erro de revisão. Leitura recomendada.