Você não deveria estar na escola? - Lemony Snicket

Hey pessoal, tudo bem?

Todos sabem que sou um grande fã da narrativa do Snicket e que essa é a minha série favorita do autor. Entretanto, infelizmente não gostei muito deste volume como gostei dos anteriores e confesso que estou na dúvida se realmente irei ler o último volume.





O jovem Lemony Snicket começou seu aprendizado em uma organização misteriosa e partiu para Manchado-pelo-mar, uma cidade decadente onde se criavam polvos para a produção de tinta. Acompanhado de sua excêntrica tutora, S. Theodora Markson, ele agora precisa investigar incêndios que estão ocorrendo nesse vilarejo cada vez mais envolto em mistério. Quem é o incendiário? Que segredos esconde o Departamento de Educação? Por que tantos estudantes estão em perigo? Será que tudo isso faz parte do plano maligno do vilão foragido Tiro Furado?






Mais uma vez Tiro Furado coloca em risco a população de Manchado Pelo Mar, contudo, dessa vez seu alvo são as crianças e a escola do vilarejo. Após uma série de incêndios suspeitos e da acusação de uma pessoa inocente, Snicket e seus aliados precisam correr contra o tempo e achar o verdadeiro culpado antes que ocorra o julgamento e alguém que não cometeu o crime seja mandado para a prisão. Em meio a um turbilhão de acontecimentos e com a ajuda de uma "tutora" que dá um novo significado para a palavra inútil, nosso jovem herói precisará de toda ajuda que conseguir, mesmo que isso coloque sua própria vida em risco.

Uma das ilustrações do livro.

Olhe para o que está à mostra. A cama, a mesa, cada objeto que você vê provavelmente está no mundo há mais tempo que nós, e eles vão continuar aqui depois que formos embora. São as coisas que tem histórias, L.
Pág.: 110

A narrativa de Snicket continua deliciosa como sempre, contudo, o que me aborreceu nesse livro é que ele usou seu talento para enrolar o leitor de uma forma um tanto quanto desnecessária. Várias cenas poderiam ter sido cortadas e não faria diferença nenhuma para a história. Concordo que ele deixa várias pistas espalhadas pelo livro, para ao final juntar tudo de forma mirabolante, mas em alguns momentos ele cria cenas inteiras apenas para deixar uma pista minuscula que poderia ter sido dada junto com outra, entendem?

Outro fator que me desagradou muito foi a "tutora" do protagonista, Theodora. Em uma organização cuja qualidade do investigador é atribuída em um ranking, ela recebe a numeração mais baixa, tem conhecimento disso, e ainda assim ela é teimosa e tira conclusões precipitadas de maneira a ignorar o que está na frente dela. Aí vocês me perguntam: mas se ela é uma péssima investigadora, é normal isso acontecer, não?! NÃO! Pois ela tem consciência de que ela é ruim e mesmo assim quando Lemony apresenta para ela uma solução plausível e embasada, ela prefere dar o caso como encerrado para ir comemorar com as amigas sob a desculpa de que ele é apenas uma criança, mesmo que nos livros anteriores ele já tenha provado seu valor e que em vários momentos ela estava errada. Isso é frustante em um nível que só quem leu esse livro vai entender.

Capas dos livros da série.

- Espero que isso não signifique que a gente tenha que fazer tatuagens - disse Moxie.
- Nunca gostei disso - confessei, fazendo uma careta pro meu tornozelo. - É insensato fazer uma marca permanente em um mundo que está sempre mudando. Talvez chegue o dia em que este símbolo signifique algo perverso e terrível em vez de algo nobre e erudito.
Pág.: 202/203

O final foi o que salvou a obra, pois não esperava que um certa pessoa estivesse trabalhando ao lado de Turo Furado, e é em momentos assim que vejo o quão brilhante o autor é, mesmo com todos os fatos citados acima. Apesar disso, ainda não decidi se irei ler o último livro da série. Por um lado, estou curiosos para saber qual será o destino do vilarejo e o que o "S" significa. Por outro, tenho medo dele trazer outra investigação conduzida pela Theodora que irá me fazer arrancar os cabelos do braço de ódio à medida que for lendo. 

A edição está nos mesmos padrões das anteriores, mas agora a cor utilizada é o laranja. A capa é feita em papel soft touch e possui ilustrações muito bonitas e condizentes com a história, como pode ser visto na imagem acima. A diagramação está perfeita e as ilustrações foram muito bem trabalhadas. Não encontrei nenhum erro de revisão. Recomendo a leitura dos dois primeiros livros sem pensar dua vezes, contudo, acho que esse terceiro volume pode não agradar alguns leitores.