Lobos de Loki - K. L. Armstrong & M.A. Marr

Olá Vintagers, como estão?

Hoje apresento a vocês uma história com elementos de uma cultura que aprendi a gostar e que me apaixonei: A cultura Nórdica. Lobos de Loki – As Crônicas de Blackwell, escrito pelas amigas K. L. Armstrong e M.A. Marr, nos convida a mergulhar em uma história repleta de monstros, seres mitológicos e muita aventura. Preparados?





Aos 13 anos, Matt Thorsen, não dava muita importância ao fato de ser um dos descendentes de Thor, o deus do Trovão. Até porque, na pequena Blackwell, a maior parte da população é descendente de deuses. Mas, quando as runas revelam que o Ragnarok – uma batalha capaz de provocar o fim do mundo – está próximo, Matt se vê obrigado a cumprir um destino pelo qual ele não esperava e embarca numa incrível aventura para salvar o mundo, com a ajuda dos primos Fen e Laurie, descendentes do deus Loki. Repleto de ação, fantasia e reviravoltas, Lobos de Loki é um início arrasador para uma saga única.






Resumo

Todos em Blackwell - uma cidade na Dakota do Sul- possuem uma vida serena, pois seus moradores são descendentes de deuses Nórdicos. Para Matt Thorsen, ser um descendente do Deus do Trovão não era nada demais, o garoto sempre soube das histórias e dos mitos, porém nunca deu a devida importância às suas origens. Quando uma Vidente revela através das Runas que o Ragnarök está próximo e que Matt é o escolhido para cumprir seu papel e derrotar a Serpente de Midgard, o garoto não consegue acreditar. Conhecer as lendas é uma coisa, viver em uma é outra totalmente diferente.

Agora que o fim do mundo está próximo, Matt precisa encontrar outros descendentes dos Deuses e preparar uma equipe invencível para a batalha. Para isso ele contará com a ajuda dos primos Fen e Laurie Brekke - descendentes de Loki - para encontrar o Martelo e o escudo de Thor e tentar evitar a trágica destruição do mundo.

O famoso Martelo de Thor, conhecido também como Mjölnir

Como os velhos deuses foram... burros, eles todos estavam mortos havia muitos anos. De acordo com a Vidente, isso significa que, quando o Ragnarök chegasse, alguns dos descendentes teriam que assumir o lugar dos deuses originais na batalha final. Estariam tomados pelos poderes dos deuses, e enfrentariam os monstros conforme fora predito. Felizmente o Ragnarök não viria durante a vida de Matt.
Pág.: 44

Opinião

Como havia dito anteriormente, sou bem fascinada pela mitologia Nórdica - apesar de ainda não ser uma expert no assunto - e a cada dia busco conhecer um pouco mais. Posso dizer que me surpreendi com o livro, é nítida a grande pesquisa realizada pelas autoras e é fascinante a forma como elas conseguiram pegar a cultura viking, incorporar as histórias dos deuses Thor, Loki, Freya, Odin e “jogar” para o mundo moderno. Entretanto, apesar de todos esse fascínio, achei a história bem parecida com a saga de Percy Jackson: Três adolescentes em busca de um artefato dos deuses para evitar uma grande catástrofe, no caso de Lobos de Loki os jovens tentam evitar o Ragnarök (que é a versão Nórdica do Apocalipse).

Os personagens são bem construídos, Matt é a ovelha negra da família e não acredita em si mesmo e a todo o momento se sente inseguro quanto à suas grandes responsabilidades. Conhecemos também a fofa da Laurie, que é descendente de Loki, que no início gostei muito, pois me parecia muito mimada, mas que durante a história se revelou uma bela guerreira que topa “qualquer parada” e é muito fiel aos amigos. Porém, o personagem com quem mais me identifiquei foi Fen (primo de Laurie e também descendente de Loki), com sua personalidade forte – meio turrão – mas que no decorrer da história revela ser um bom amigo e além de tudo muito protetor. Um dos pontos bem interessantes do livro é que cada descendente dos deuses traz consigo uma habilidade bem legal, bem característica e que agregou muito à trama.

A capa é LINDA! *-*

Matt não entendia muito bem como aquilo poderia dar certo. Mate a serpente; salve o mundo. Era assim que deveria ser. No mito do Ragnarök, os deuses enfrentavam os monstros. Se derrotassem os inimigos, o mundo continuaria legal. Se fracassassem, os monstros dominariam tudo. Se os dois lados morressem – como acontecia nos mitos que previam o Ragnarök -, o mundo mergulharia numa era de gelo.
Pág.: 65

As ilustrações são LINDAS, amo livros assim (não porque eu tenho preguiça, mas porque adoro ver as imagens e dar asas à minha imaginação >.<), todos os créditos vão para a artista Vivianne To, que com todo o seu talento conseguiu transmitir em seus desenhos todas as características da história.

Lobos de Loki – As Crônicas de Blackwell é o início de uma saga que promete ganhar os corações de muitos leitores. O mix da pegada teen, a presença de criaturas mitológicas e uma bagagem cultural adquirida ao longo da leitura resultam na receita de sucesso que muitos autores buscam.

Ilustrações

A diagramação do livro merece uma atenção especial, a capa traz os personagens enfrentando os famosos Lobos de Loki, com o título em alto relevo e brilho localizado dando um ar bem elegante. A fonte possui um tamanho que facilita a leitura. Recomendo a leitura a todos que gostam de uma história repleta de aventuras do início ao fim e com um gostinho de “Quero Mais”.


Rock kisses e uma boa leitura a todos!