Sem Esperança - Colleen Hoover

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Quando soube que receberia Sem Esperança, o livro que reconta a história de Um Caso Perdido - resenha aqui - pelo ponto de vista de Holder, fiquei um pouco receosa porque não cultivo o hábito de reler histórias que já conheço. Contudo, à medida que fui me aprofundando no enredo criado por Collen Hoover, percebi que conhecer outro ponto de vista de uma mesma história é uma experiência interessantíssima.





Assombrado pela culpa e pelo remorso por não conseguir salvar Hope nem Less, Holder desenvolveu uma personalidade agressiva. Mas, quando finalmente se depara com Hope depois de tantos anos, não poderia imaginar que o sofrimento seria ainda maior após o reencontro. Em Sem esperança, Holder revela como os acontecimentos da infância de Hope, que agora se chama Sky, afetaram sua vida e sua família, fazendo-o buscar a própria redenção na possibilidade de salvá-la. Mas é apenas amando Sky que ele finalmente será capaz de começar a se reconciliar com si mesmo.






A história se inicia um pouco antes da morte de Less e o personagem principal descreve todo seu processo de luto, dando mais sentido ao seu jeito agressivo e intenso que tanto apavorou Sky e os leitores que leram a história pelo ponto de vista dela. Também descobrimos um pouco mais do que aconteceu a Holder e sua irmã depois que Hope foi sequestrada.

Este livro é tão extasiante quanto o primeiro da série, e apesar de ter conhecimento de boa parte dos acontecimentos antes mesmo deles ocorrerem, a emoção de lê-los continua sendo a mesma porque o olhar do protagonista traz ao enredo uma nova forma de reagir aos fatos. Nesse volume também acompanhamos o processo de escrita de uma espécie de coletânea de cartas que Holder faz para Less contando como estão as coisas desde sua morte. Alguns detalhes não narrados em Um Caso Perdido também são apresentados nessa nova versão.


"A felicidade pode ser encontrada mesmo nas horas mais sombrias, se você se lembrar de acender a luz..."

Qual a probabilidade de eu ter... perdido... as únicas garotas que já amei na vida?Está acabando comigo de pouquinho em pouquinho, todos os dias. Sei que devia encontrar uma maneira de tentar superar isso... de me livrar da culpa. Mas, para ser sincero, não quero superar isso. Não quero esquecer que o fato de eu ter sido incapaz de proteger vocês duas é a razão pela qual só sobrei eu. Mereço ser lembrado em todos os segundos da minha vida que desapontei vocês, pois assim vou prestar mais atenção e nunca mais me deixarei fazer isso com outras pessoas.
Pág.: 47

Como disse na primeira resenha dessa série, a escrita de Collen Hoover é capaz de prender o leitor da primeira à última página, pois cada uma contém novas surpresas que tornam o contexto fascinante, dentre elas as já citadas cartas de Holder, que definitivamente foram cruciais para tornar essa obra ainda mais interessante. A único lado ruim de ler algo sob outra perspectiva é que você fica tentando se recordar como o outro protagonista ou determinado personagem reagiu em certas cenas na primeira versão da história. Confesso que tive que ficar com ambos os livros em mãos para saciar essa minha vontade. Só eu que faço isso? O_O

No primeiro volume achei Holder um pouco intenso demais, contudo, a partir do momento que redescobrimos a história dele conseguimos compreender que uma série de fatores o levaram a ser assim, e um deles é a culpa que sente por não ter conseguido proteger as pessoas que mais amava. A justificativa para a tatuagem Hopeless também fica mais interessante quando descobrimos o passo a passo o que o levou a fazê-la. A forma como ele enxerga Sky desde o primeiro momento faz com que nos encantemos ainda mais por esse bad boy. Less também se faz mais presente nessa história, o que é bom, pois eu realmente queria saber maiores detalhes a respeito dela.

Autora

Tento não encará-la, mas é tão difícil quando ela está praticamente sem roupa e cada curva de sua boca e pescoço e ombros e peito e barriga parecem ter sido feitos só para mim. Se eu pudesse encomendar a garota perfeita, nem chegaria perto da versão que está parada na minha frente bem agora.
Pág.: 70

Se eu me impressionei com o final de Um Caso Perdido, no de Sem Esperança “fiquei sem chão”. Collen se supera de uma forma que chega até mesmo a ser um pouco injusta com o leitor, já que criamos a ideia de que a história irá terminar de forma bem parecida com a primeira, mas um pouco antes do final um acontecimento me tirou completamente a reação, e isso é tudo que posso revelar.

A capa segue a mesma linha do primeiro volume da série, é simples e conta com verniz localizado no título. A diagramação é simples e fiquei um pouco incomodada com a fonte escolhida para as cartas de Holder, acredito que era para ela se assemelhar ao máximo à escrita dele, contudo algumas letras acabaram borrando e ficando um pouco emboladas, mas em compensação a fonte do restante do livro é mais simples e de um bom tamanho, e as folhas são amareladas. Não encontrei erros de revisão. Leitura super recomendada.