Os Filhos de Odin - Padraic Colum

Saudações, caros leitores, como vocês estão?

Apesar da mitologia nórdica ser famosa pelas suas histórias e crenças, além de exercer uma grande influência na cultura escandinava, sabemos que, infelizmente, muitas das pessoas atualmente acreditam que ela se resume somente aos personagens que aparecem nos filmes de sucesso da Marvel. Recentemente, a editora Única lançou o livro Os Filhos de Odin, uma compilação de histórias sobre os deuses e alguns acontecimentos que antecederam o Ragnarök, o Crepúsculo dos Deuses.


 Antes de o tempo como nós o conhecemos começar, deuses e deusas viveram na cidade de Asgard, que significa Local dos Deuses. Uma era de mágica, quando seres míticos podiam usar seus poderes e definir os caminhos do futuro, e proteger o mundo. Entre as cruzadas de Odin para encontrar a sabedoria necessária para salvar o mundo, os feitos incríveis de Thor e seu martelo e as travessuras de Loki, o agente do bem e do mal, Padraic Colum reconta as sagas nórdicas revelando o tempo em que a magia, os poderes e as maravilhas fantásticas corriam pelo universo. Em Os filhos de Odin, descubra a origem das histórias de Odin, Thor e Loki, onde Asgard foi construída e o que estava escondido durante o Ragnarök, o Crepúsculo dos Deuses. As histórias que encantam a todos nós nos cinemas possuem um enredo ainda mais fascinante do que você imagina! Leia as maiores aventuras dos deuses nórdicos! A origem daqueles que ainda hoje nos surpreendem com sua força e seu poder!



Como já estava previsto, a obra de Padraic Colum não apresenta uma única trama, mas vários contos que vão se completando, como se fizessem parte de um grande quebra-cabeça. Desta maneira, as histórias narradas mostram a criação do mundo, a vida dos deuses nórdicos e alguns detalhes que compõem toda a mitologia. Consequentemente, o leitor passa a conhecer a origem desleal do Muro de Asgard, como o lar dos deuses foi erguido, como Thor ganhou o Mjölnir - o famoso martelo - e outros acontecimentos que antecederam o Crepúsculo dos Deuses.

Thor e Loki
Os Deuses seguiram até o topo de uma montanha alta e lá decidiram construir uma cidade maior para eles, a qual os Gigantes nunca pudessem derrubar. A Cidade seria chamada de Asgard, que significa Local dos Deuses. Eles construiriam numa bela planície no topo daquela montanha. E queriam erguer ao redor de sua Cidade o mais alto e mais forte muro que já fora construído.
Pág.: 11

Os Filhos de Odin é um livro com muitas qualidades, dentre elas, a escrita do Padraic. O fato dele dialogar com o leitor durante a leitura foi algo que achei muito interessante, visto que há bastante tempo não via algo similar em minhas leituras. A narrativa oscila entre a terceira e a segunda pessoa, e, apesar da obra ter sido escrita em 1920, achei a linguagem muito simples e de fácil entendimento. Acredito que o fato do autor ter sido uma das referências da Renascença Céltica - movimento que impulsionou a literatura céltica - , e também um pesquisador do folclore irlandês, tenha lhe ajudado a compor todos os detalhes presentes nos contos, mostrando até mesmo fatos que eu desconhecia. 

As histórias são bem desenvolvidas e envolventes. Os primeiros contos dão mais enfoque as travessuras de Loki, o agente do bem e do mal, mostrando suas maneiras um tanto quanto desleais e persuasivas, além das consequências. Apesar da possibilidade de ler alguns capítulos aleatoriamente, não recomendo, visto que eles vão se completando através de detalhes e acontecimentos até chegar ao clímax. Uma coisa que me incomodou bastante durante a leitura foram os títulos que constantemente vem posteriormente aos nomes, como Odin, o Pai dos Deuses, Ragnarök, o Crepusculo dos Deuses, e outros. 

Autor
Os filhos de Loki e da bruxa Angerboda não eram como filhos dos homens: eram sem forma como a água, o ar ou o fogo, mas foi dado a cada um deles tomar a forma que era mais próxima das próprias ganâncias.
Pág.: 141

Os Filhos de Odin não é um livro recomendado para aqueles que esperam encontrar histórias similares às de Percy Jackson, Os Heróis do Olimpo e HQ's/filmes da Marvel. Entretanto, felizmente, esta foi uma leitura que gostei, onde tive a oportunidade de conhecer mais um pouco essa mitologia que a cada dia vem ganhando um maior espaço no mercado do entretenimento.  

A diagramação está simples; com um tamanho de fonte agradável e um ótimo espaçamento entre linhas. Quanto a edição, contamos com páginas amareladas, capítulos iniciados com uma letra que lembra a cultura céltica e uma bela capa mostrando o martelo Mjölnir.