A Quase Honrosa Liga de Piratas: O Terror das Terras do Sul - Caroline Carlson


Saudações, caros leitores, como você estão?

Um dos benefícios de ler a série A Quase Honrosa Liga de Piratas é a sua narrativa, uma das grandes proezas que a autora consegue realizar. Tendo como primeiro volume O Tesouro da Encantadora - resenha aqui -, é seguro dizer que essa saga, apesar de ser um infanto-juvenil, irá encantar até os adultos e em O Terror das Terras do Sul não poderia ser diferente. 



Em 'O tesouro da Encantadora', Hilary viveu grandes peripécias em alto - mar até encontrar o maior tesouro do reino, desaparecido havia muito tempo, e sua dona, a Encantadora das Terras do Norte. Como recompensa, recebeu um certificado de filiação à 'Quase Honrosa Liga de Piratas' e o título de 'Terror das Terras do Sul'. Neste novo volume da série, a Encantadora voltou ao seu posto, e Hilary acompanha a redistribuição dos objetos mágicos pelo reino. Mas o presidente da QHLP não está satisfeito - Hilary precisa se envolver numa atividade verdadeiramente pirática logo, como matar um monstro marinho ou derrotar um líder pirata num duelo, senão perderá seu título - e sua filiação à Liga. Antes que consiga recuperar sua reputação, a garota fica chocada ao descobrir que a Encantadora foi sequestrada. Contrariando as ordens do presidente da Liga, Hilary se junta à gárgula e a seus amigos para investigar o caso, ainda que resgatar Encantadoras não esteja na lista de atividades próprias a um pirata.



Depois de trancafiar seu pai nas masmorras reais devido ao seus maus feitos ao reino de Augusta, Hilary Westfield conseguiu provar ao mundo que meninas podem se tornar piratas, recebendo até mesmo o título de O Terror das Terras do Sul. Sem nenhuma aventura pela frente, ela é advertida pelo presidente da QHLP, o capitão Dentenegro, que classifica suas atitudes como nada piráticas, chegando a propor a ela alguns desafios que iriam provar sua ousadia e coragem para com a Liga. Porém, com o repentino sumiço da Encantadora (Srta. Pimm), ela e parte da tripulação do Pombo partem em uma nova jornada que vai contra as recomendações feitas por Dentenegro. Será que Hilary conseguirá provar novamente sua ousadia e coragem ao mundo?

Um pirata nunca consegue ficar muito tempo longe de aventura.

- Em todo caso - disse Jack Bala-de-Canhão -, ninguém jamais encontrou um pedacinho sequer da magia que ele roubou. Não o deixam sair das masmorras, é claro, mas a srta. Pimm achava que ele tinha cúmplices. Outras pessoas da alta sociedade que ainda queriam ficar com uma grande quantidade de magia só para elas. Esse pessoal também não gosta dela, e achariam melhor ficar sem uma Encantadora, no fim das contas.
Pág.: 105

Em seu livro, Caroline Carlson conseguiu um desempenho satisfatório, vez que sua narrativa, unida aos pequenos mistérios inseridos no decorrer da leitura, chegam a ter um destaque maior sobre as demais qualidades. Dessa forma, sendo narrada em terceira pessoa, ela consegue equilibrar ação e drama dentro da história, além de proporcionar uma visão dinâmica dos acontecimentos. Diferentemente do primeiro volume, a sua narrativa está centrada exclusivamente nas atuais ocorrências, o que dispensa detalhamentos sobre o passado do reino, uma vez que este já foi apresentado em O Tesouro da Encantadora

Nem só de narrativa vive um livro. Por assim dizer, pude perceber que a autora fez um uso maior de personagens dados como secundários no primeiro volume, o que acabou culminando em seu maior aproveitamento, sem mencionar que alguns tem grandes influências e importâncias dentro da trama. Em consequência desse aprofundamento, passamos a conhecer mais sobre a vida de algumas personalidades, que adicionadas aos mistérios da obra, consegue estabelecer alguns questionamentos que só serão respondidos no decorrer da leitura. 

Caroline Carlson

- Nunca abri um buraco no Rangedor, abri? 
- Para a nossa sorte - disse Charlie. - Não sei quanto a vocês, mas não estou nem um pouco a fim de ir parar no fundo do mar. - Ele se virou e foi em direção ao ninho da gárgula. - Talvez vocês, garotas da alta sociedade, considerem um naufrágio emocionante e romântico - ele disse enquanto caminhava -, mas juro que não é.
Pág.: 235

Como cada livro da série conta com histórias fechadas, aqui temos um final um tanto quanto previsível, mas apesar disso, o leitor ainda é surpreendido por pequenos detalhes que terão grandes efeitos no próximo volume. O que não falta em A Quase Honrosa Liga de Piratas: O Terror das Terras do Sul são qualidades, dado que a trama, composta é por mistérios, aventuras, dramas e humor, conseguindo prender a atenção do leitor. 

Em relação ao volume anterior, nada foi alteração quanto a diagramação. Sendo assim, temos um tamanho de fonte e espaçamento satisfatórios, ilustrações no início de cada capítulo e um mapa do reino de Augusta logo no começo do livro. Contamos com folhas amareladas, título em alto-relevo na capa e uma ilustração retratando uma das cenas da obra. A revisão está impecável.