As Crônicas de Bane - Cassandra Clare e Outros


Hey pessoal, tudo bem?

Quem não é fã do Alto Feiticeiro do Brooklyn que atire o primeiro feitiço. A editora Galera Record decidiu juntar em uma única edição os vários contos que Cassandra Clare, Sarah Rees Brennan e Maureen Johnson publicaram sobre Magnus Bane, um dos feiticeiros mais conhecidos do Submundo






Nesta edição ilustrada, são narradas as mais diversas aventuras do feiticeiro imortal Magnus Bane, das aclamada séries de Cassandra Clare. Entre escapadas no Peru e resgates reais na Revolução Francesa, acompanhe fragmentos da vida do enigmático mago ocorridos em diversos países e períodos históricos, com aparições de figuras conhecidas como Clary, Tessa, Will e Alec, personagens de Os Instrumentos Mortais e As Peças Infernais.







O livro é uma coleção de contos, como foi dito acima, por isso não temos uma história contínua, mas sim pedaços do passado e presente de Magnus que não foram relatados na série original. Alguns textos mostram a "juventude" do feiticeiro, sem muitas conexões com a história original, como é o caso de O Que Realmente Aconteceu no Peru e A Rainha Fugitiva. Contudo, outros como A Ascensão do Hotel Dumort e Salvando Raphael Santiago apresentam maior relevância para entender o papel de Magnus no mundo de Instrumentos Mortais e Peças Infernais, vez que um fala de um personagem muito presente e o outro do principal covil dos Vampiros.

Godfrey Gao, interpretou Magnus na adaptação de Cidade dos Ossos para o cinema.

Além disso, às vezes, os vampiros cometiam crimes piores do que um assassinato. Eles cometiam crimes contra a moda. Quando uma pessoa é imortal, tende a se esquecer de que o tempo passa. Mas isso não é desculpa para vestir uma boina que foi moda na época de Napoleão I.
Pág.: 87

A narrativa me deixou um pouco dividido. Tudo bem que os contos não eram escritos somente pela tia Cassie, mas em alguns momentos parecia que ela estava apenas assinando o texto junto com outro autor e que não fez parte na elaboração dele. Digo isso pois ela possui um estilo único de escrever, estilo este que acompanhei por 9 livros, e o que vi em alguns textos me fez duvidar que ela realmente os tenha escrito. Um deles, o primeiro (O que Realmente Aconteceu No Peru) quase me fez desistir da obra, tanto pelo estilo narrativo, quanto pelo final frustante, mas me recomendaram tanto a obra que decidi continuar, afinal, estava curioso para saber sobre Bane.

Os personagens são cativantes. Conseguimos conhecer mais sobre Ragnor Fell e Raphael Santiago, bem como outras nuances de Camille Belcourt, e isso foi muito bom, pois mostra um lado que não foi apresentado durante a série, o que serve para enriquecer ainda mais a obra. Temos também a participação de Tessa e algumas gerações de Herondales (devo dizer que foi esclarecedor o motivo pelo qual essa linhagem odeia Patos HAHAHAHAHA).

Camille Belcourt

- O que aconteceu? - perguntou o feiticeiro, pensativo. - Bem, deixe-me ver. Ele roubou uma bicicleta e pedalou, sem usar as mãos, pela Trafalgar Square. Tentou subir a coluna de Nelson e lutar contra ele. Então, o perdi por um breve período de tempo e, quando o alcancei novamente, ele tinha andado até o Hyde Park, entrado no lago Serpentine, aberto os braços e gritava: "Patos, reconheçam-me como seu rei!"
Pág.: 134/135

Um fator que me chamou a atenção foi a edição. A arte da capa é feita em tons de azul e possui aquele efeitos comum nos livros da série, com pedaços de papel furta cor que brilham em tonalidades diferentes dependendo da incidência de luz. Cada conto possui uma página dedicada ao título e uma outra com uma arte - como pode ser visto abaixo - que relata alguma cena daquele conto. A diagramação está linda e não achei erros de revisão ou digitação. Leitura recomendada. 

Artes usadas no começo dos contos.

Abraços,
      Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Bacharel em Direito pela UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos.

Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.