A Lenda de Luno: O Grande Torneio de Nyx - Michel Apsan


Hey pessoal, tudo bem?

Apesar dos erros de revisão, há muito tempo não lia um livro nacional tão bom quanto A Lenda de Luno. Sua história traz todos os requisitos de um livro best-seller: um protagonista destemido, um mundo próprio muito bem desenvolvido, espiões, magia e um torneio que promete mudar a balança de poder em Lumina.





No auge da sangrenta Guerra Divina entre a Luz e as Trevas, uma pequena vila chamada Myriade ainda sobrevivia escondida. Apesar de sempre ter sido protegida por seu líder Arten, a pacata vila é destruída em um ataque devastador pelo esquadrão de Rastreadores. Luno é levado para a capital da Luz, Lumina onde passa a viver com Marlow Landscape, o sobrinho do notório Ancião Amaro Deviace. Apesar de pouco saber sobre a vida na cidade e a Guerra que destruiu sua vida, Luno decide fortalecer‐se e usa sua intuição como guia com o único propósito de vingar‐se dos responsáveis pelo seu sofrimento.







O livro conta a história de Luno, um jovem que testemunhou sua única família e vila (Myriade) serem destruídas em nome da antiga guerra travada entre a Luz e as Trevas. Jurando se vingar daquela que tirou a vida de seu pai, Luno fará de tudo para se tornar um poderoso guerreiro, mesmo que isso signifique treinar e aperfeiçoar suas habilidades no coração de Lumina, capital da Luz e lar daqueles que foram responsáveis pela destruição de seu lar. 

Anita, a Raposa Flamejante

Maelina concentrou todas as suas forças para depreendê-las no golpe final. De repente, jogou seu corpo para frente, simulando uma queda livre no chão e colocando a mão desarmada na frente. Quando seu indicador tocou o solo, ela desapareceu por completo, movendo-se à altíssima velocidade, de nível nove. A maioria certamente ouviu apenas seu grito no golpe.
- Seis pétalas, Morte da Rainha Peônia!
Em um único lampejo sucedido por um estrondo, seis cortes foram feitos com tamanha força que uma peônia rosa foi desenhada em meio aos rasgos no ar.
Pág.: 213

A narrativa de Apsan foi algo que me agradou muito ao longo da leitura da obra. Seu estilo de descrever as lutas, magias e golpes especiais dos personagens me fizeram lembrar muito das cenas de meus animes favoritos, como Cavaleiros do Zodíaco e Fairy Tail. Outro aspecto que me agradou muito foi a originalidade com que o autor conduz as habilidades de cada personagem e a maneira como executa cada movimento durante o torneio, como o golpe Morte da Rainha Peônia, que ainda me dá calafrios só de tentar imaginar a cena na qual ele foi usado.

Os personagens em si possuem pontos positivos e negativos. Luno, por exemplo, não me cativou logo no começo e apenas quando ingressou na Academia que passou a me divertir com seu jeito de ser e habilidade como guerreiro. Já Elyna me conquistou desde a primeira página, com seu estilo frigido e calculista, capaz de passar por cima de tudo e todos para alcançar seus objetivos. Marlow por outro lado não me agradou muito, o personagem tem potencial, mas sua baixa estima e incapacidade de revidar o que fazem com ele não conseguiu despertar em mim nada além de um sentimento de que, se não fosse a função de mostrar a cidade para Luno e garantir que ele não entre em confusão, ele seria irrelevante para a história. 

Elyna, a Guardiã do Cristal

Aprenda: os verdadeiros heróis são aqueles que enxergam e lutam por algo maior do que por si próprios! Nós fizemos tudo o que podíamos. Agora, a escolha é sua. 
Pág.: 182

Desde a destruição da vila de Myriade, Luno passou por todos os tipos de provações e batalhas, fazendo com que desenvolvesse um forte caráter e fizesse bons amigos. Apesar de alguns acontecimentos do final da obra terem sido fáceis de prever, outros me surpreenderam completamente e aguçaram minha vontade de ler a continuação (vou precisar de mais uma vida para terminar todas as séries que comecei T__T). 

A edição está muito bem feita. As cores usadas na capa são bonitas e chamativas, mas penso que a fonte utilizada no título não foi a melhor escolha, assim como a sombra do homem segurando a lança. A diagramação está ótima, possuindo letras de tamanho mediano e espaçamento entre linhas proporcional à página, contudo, senti falta de um espaçamento entre as partes que narravam acontecimentos de personagens diferentes ou passagens de tempo. A Lenda de Luno entrou para minha lista de livros nacionais favoritos, por isso recomendo que todos leiam para ver se gostarão tanto quanto eu. 

Abraços,
  Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Cursa o 10º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.