Voos e Sinos e Misteriosos Destinos - Emma Trevayne


Saudações, caros leitores, como vocês estão?

Então uma porta foi aberta e um mundo com infinitas possibilidades foi descoberto. Poderia resumir o livro com essa simples frase, vez que Voos e Sinos e Misteriosos Destinos apresenta um mundo complexo movido exclusivamente pela força estridente das engrenagens, mas que carrega no fardo uma premissa similar a de Coraline, famosa obra do Neil Gaiman. 


Nesta fábula moderna, com gosto das aventuras clássicas que encantam os jovens leitores há tantos anos, conhecemos a história de Jack Foster, um garoto de dez anos que, como qualquer um da sua idade, sonhava viver grandes aventuras. Ele morava em Londres mas estudava em um colégio interno, voltando para casa apenas nas férias, quando ficava completamente entediado. Mas, um certo dia, Jack atravessa uma porta mágica e, do outro lado, encontra uma cidade ao mesmo tempo muito parecida e muito diferente daquela que conhecia. Em Londinium, apesar de reconhecer as ruas e prédios, ele encontra um cenário steampunk, com engrenagens e fuligem por todos os lados. Por ali era raro encontrar alguém que não tivesse nenhuma parte do corpo feita de metal. E era justamente isso que a Senhora - uma mulher rígida e temperamental que governava a cidade desde sempre - buscava: um filho de carne e osso. Jack logo descobre que aquele lugar era extremamente perigoso, e que voltar para casa não seria tão fácil quanto tinha sido chegar até ali...



Jack Foster é conhecido por seus familiares por ser um garoto mimado, estranho e teimoso, devido a suas atitudes anormais. Como a família do garoto faz parte da alta sociedade londrina, é de se esperar um rígido comportamento, principalmente nas celebrações e grandes jantares que sua mãe participava, e como ele não tinha acesso a estas reuniões, ele tentava espioná-las. Partindo desse ponto, em um dessas tentativas ele acaba ficando fascinado com os truques mágicos do espiritualista Lorcan Haverlock, mal sabendo que esta pessoa seria o estopim para o que estaria a vim a seguir.

Ao tentar uma aproximação, o menino acaba seguindo o "mágico" que por uma misteriosa porta na base do Big Ben e, nos confins da escuridão, acaba saindo em Londinium / Império das Nuvens, uma Londres mais poluída, com densas camadas de fumaça e fuligem, e habitantes com estranhos implantes metálicos em alguma parte do corpo, além de seres mecânicos como fadas e autômatos formados por engrenagens e um sistema complexo de cordas. Porém, esse mundo alternativo é governado pela Senhora, uma mulher com temperamento indeciso que vive em busca de um filho para mimar.

Londinium

Jack sabia, da mesma maneira que as pessoas sabiam de um sonho do qual não conseguiam se lembrar. Apesar da superfície difusa, a verdade estava lá, no fundo, fugindo de seus esforços para tentar entendê-la.
Pág.: 73

Voos e Sinos e Misteriosos Destinos é um livro que apresenta uma trama metaforizada e imaginativa, o que pode despertar o lado criativo de seu público-alvo, os jovens. Assim como a abertura de uma porta, a narrativa possibilita alguns atos imaginários, uma vez que a autora cuidou perfeitamente de detalhar com extrema riqueza textual os cenários e acontecimentos, até porque esta é uma das características marcantes de um dos gêneros na qual a obra está inserida, o steampunk. Apesar disso, houve uma falha na passagem de emoções e acontecimento que prendam a atenção do leitor, sobretudo no começo da leitura, fato este que aos poucos vai sendo sobreposto por mistérios e ambientações sombrias um tanto quanto pesadas em termos de entendimento para leitores mais jovens. 

A narrativa é feita em terceira pessoa, apresentando o ponto de vista de todos personagens presentes na trama. Além da questão das viagens interdimensionais, a história trabalha assuntos políticos como dominação das colônias de Londinium e a declaração de guerra que ocorreu pela dominação das mesmas. Questões emocionais e psicológicas também foram bem empregadas, visto que de um lado temos uma mãe que vive ocupada preparando festas e reuniões para a alta sociedade, desprezando o garoto, e do outro uma que depois de viver anos em um mundo metálico e formado por pessoas com remendos tecnológicos, só queria um filho 100% humano. Não que a Senhora seja a "boazinha" da história, muito pelo contrário. São nessas horas que devemos nos questionarmos, já que podemos perceber que todas pessoas carregam características falhas, por menores sejam.  

Emma Trevayne, autora.

- Há portas entre esses mundos; você só precisa saber onde olhar. Ah sim, os sinais são sempre claros. Atravessei uma delas uma única vez, há muito tempo, na esperança de tomar sua terra para mim. Os erros alheios me amaldiçoaram. - Ela fez uma careta, seu rosto ficou feio por um instante. - Diga-me, pequeno Jack, é demais exigir perfeição?
Pág.: 174

O final é um pouco previsível, o que pode incomodar algumas pessoas. Mas apesar da previsibilidade, o desfecho é satisfatório. A minha recomendação fica para aquelas pessoas dispostas a abrir a imaginação para diversos detalhes e ambientações, e para os amantes do gênero steampunk

A diagramação está bem trabalhada; com um tamanho de fonte agradável, dois mapas representando Londres e Londinium e belas ilustrações feitas por Glenn Thomas. Na edição temos páginas amareladas, além de uma das mais belas capas que já vi, sem mencionar que a mesma é feita em papel soft touch, aquele com aspecto emborrachado. 

Abraços,
Gustavo Demétrio
GUSTAVO DEMÉTRIO
É Resenhista e CDC aqui no Vida De Leitor. Um ávido leitor que sonha um dia se tornar um Arquiteto de renome. Admirador do universo e grande fã do Stephen King. Seus livros favoritos são: Série Torre NegraTigana, Sherlock Holmes Sob a Redoma. 
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.