Quando eu era Joe - Keren David

Saudações, caros leitores, como vocês estão?

Quando eu era Joe, da Keren David, foi o pontapé para alavancar minha animação sobre livros que fogem ao tema sobrenatural. Um livro para mexer com nosso consciente, fazendo-nos refletir acerca dos sentimentos humanos. 


Imagine o que é perder, em uma única noite, sua casa, seus amigos, Como é possível viver mentindo sobre todas as coisas? Sua escola e até mesmo o seu nome. Aos 14 anos, Ty presencia um crime bárbaro num parque de Londres. A partir desse momento, tudo muda para ele: a polícia o inclui no programa de proteção à testemunha, e Ty é obrigado a assumir uma vida diferente, em outra cidade. O menino ingênuo, tímido, que costumava ser a sombra do amigo Arron, matricula-se na nova escola como Joe... E Joe não poderia ser mais diferente de Ty: faz sucesso com as meninas, torna-se um corredor famoso... Joe é tão popular que acaba incomodando os encrenqueiros da escola. Ser Joe é bem melhor do que ser Ty. Mas, logo agora, quando ele finalmente parece ter se encaixado no mundo, os atentados e ameaças de morte contra sua família o obrigam a viver no anonimato, em fuga constante e sob a pressão de prestar depoimentos sobre uma noite que ele gostaria de esquecer. Um livro – de tirar o fôlego! – sobre coragem e sobre o peso das consequências do que fazemos.



O livro conta a vida do jovem Ty que tem 14 anos e vive com sua mãe em um pequeno apartamento em Londres. Porém, a vida dele muda completamente quando ele vivência um crime em um parque. Depois desse ocorrido, ele é conduzido para a delegacia acompanhado de sua mãe, onde prestará depoimento, algo que poderá custar a sua vida. Vendo que não é seguro deixá-los em Londres, devido à possível ameaça de morte de uma gangue perigosa, a policia abre um programa de proteção a testemunhas. Assim eles terão a suas vidas como Ty e Nicki praticamente jogadas ao ar, e a partir dali eles assumirão as identidades de Joe e Michelle.

Capa de uma das edições dos EUA mostrando as tonalidades dos olhos de Ty/Joe

Quando corro, não importa se sou Joe ou Ty. Correr não é simplesmente uma fuga, tem a ver com poder e força, espantar o medo do desconhecido, as pessoas que querem me silenciar. Quando eu tinha 8 anos, achava que seria um super-herói quando crescesse, e aqui estou eu, voando pela pista de corrida como o Super-Homem, tão poderoso quanto o Incrível Hulk!
Pág.: 31 

A temática dessa obra foi um dos propulsores para fazer a minha leitura literalmente decolar, já que ela aparentou mesclar vários gêneros de uma forma que, particularmente, achei sensacional e feita nas medidas certas. Com uma pitada de Thriller, Keren David adicionou um pouquinho de Crime e Drama de maneira moderada, já que o livro é cheio de altos e baixos emocionais.

Confesso que fiquei de boca aberta com a forma que a autora desenvolveu a narrativa do livro, já que ela é bem fluída. Porém, creio que isso seja uma consequência do linguajar presente no mesmo, já que ele apresenta palavras do nosso cotidiano e até mesmo uma linguagem retirada da internet, como as abreviações, mas estes se mostraram um pouco tímidos e só aparecem quando um dos personagens está mandando uma mensagem de texto. 

A autora em nenhum momento me convenceu que o Ty/Joe tem 13/14 anos, já que, tanto ele como os demais personagens tomam atitudes de um adulto e isso fica mais gritante quando as emoções afloram. Além disso, o livro tratou de assuntos bem recorrentes, como a gravidez na adolescência e as possíveis consequências. Esse ocorrido fica destacado quando Nicki conta ao seu filho que ela ficou em gestação aos 16 anos, já que ele sempre ficava assustado com a "juventude" dela, chegando até ser confundido como seu irmão. 

Uma adolescência interrompida por uma gravidez.

Na hora do recreio, as vozes, as vozes que eu fingia não ouvir. Sua mãe é uma vadia. Sua mãe é uma prostituta. Sua mãe transaria comigo?
Pág.: 209 

O ponto negativo desse livro é exatamente a forma como o crime acontece. Inicialmente, achei um verdadeiro exagero da parte da autora em colocar um crime consideravelmente leve como algo grave que poderá resultar na morte do Ty e dos seus familiares. Quando li a sinopse e vi que a trama era sobre programa de proteção a testemunhas, pensei que teria um acontecimento em grandes proporções, envolvendo a máfia ou algo do tipo. Contudo, o livro faz parte de uma trilogia, por isso espero que nos próximos volumes a temática "crime" seja melhor abordada.

A diagramação está um pouco simples, porém a edição está digna, trazendo na capa um rosto caracterizando Joe, uma fonte mediana a ponto de ser legível e satisfatória, e papel pólen (aquele com uma tonalidade amarelada *--*). 

Abraços,
Gustavo Demétrio
GUSTAVO DEMÉTRIO
É Resenhista e CDC aqui no Vida De Leitor. Um ávido leitor que sonha um dia se tornar um Arquiteto de renome. Admirador do universo e grande fã do Stephen King. Seus livros favoritos são: Série Torre Negra, Sherlock Holmes Sob a Redoma. 
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.