Pensar, Elaborar e Realizar: Escrevendo um Livro

Saudações, caros leitores, como vocês estão? 

Antes de mais nada, gostaria de deixar claro que o presente texto nada mais é que minha humilde opinião. Não estou criticando o gosto literário, autores ou religião de ninguém. Estou apenas propondo uma discussão saudável e expondo o meu ponto de vista sobre o assunto. Espero que gostem e participem da discussão nos comentários.


Um dos benefícios que o ser humano carrega consigo a séculos é o processo de imaginação e registro da mesma em páginas ou em desenhos, como muitos ainda fazem. Nada distante dessa realidade, os livros são justamente isso, pensamentos e criações postos em prática, envolvendo assim, todos os procedimentos para a estruturação das histórias que lemos diariamente. A criação de um livro, por mais que muitos não acreditem, é uma atividade complicada, porém, gratificante quando vemos o resultado final. Contudo, ainda há sempre aquele projeto deixado de lado ou que tenha ajudado no embasamento de um novo, e é justamente aí que entram muitas desistências e frustrações. 

Antes de começar um projeto, é recomendável analisar quais etapas futuramente se tornaram um obstáculo para sua criação. Assim sendo, avalie bem seu vocabulário para dar vida aos acontecimentos da trama e não deixá-los sem emoções ou algo que reflita no leitor. Além disso, o estabelecimento de uma grade será crucial para a continuação, uma vez que será por meio desta que ocorrerá as possíveis alterações e, por sua vez, a organização de todos os processos que vão desde a construção dos personagens principais e secundários a pré-finalização dos capítulos e do livro como um todo, já que podemos ter uma visão ampla. Ademais, é no meio desse processo que o autor irá definir se sua obra terá alguma continuação ou não. 

Nós, leitores, sabemos que personagens cativantes são partes indispensáveis em uma trama, visto que são eles os responsáveis por transmitir ao leitor as suas emoções e reações, tais como tristeza, felicidade e/ou derivados. Além disso, eles devem respeitar a idade estabelecida pelo autor, porém, nessas horas devemos levar em consideração o ambiente/região em que a trama se passa ou até mesmo a época, uma vez que, o comportamento humano tem suas variações devido alguns fatores como cultura, relações familiares e sociais. Fora isso, o criador deve estar ciente que alterações são imprevistas e podem aparecer a qualquer instante devido a oscilação criativa do mesmo, cabendo assim, a sua decisão final avaliando o passado, presente e futuro que seu personagem terá, além de caracterizá-lo por inteiro.

Image and video hosting by TinyPic

Escritores, meditem muito e corrijam pouco. Fazei as vossas rasuras no vosso próprio cérebro - Victor Hugo

Pensar, elaborar e realizar, são três simples palavras, mas de suma importância, uma vez que o ato do pensamento influencia no processo de criação e, como consequência, a elaboração da sua linha de raciocínio, podendo surgir algumas mudanças quanto a trama e personagens para finalmente haver a realização em forma de escrita de todos os termos aqui mencionados. Depois disso tudo, ainda há alguns que acreditam que essa é a última etapa e que a revisão deve ser assumida pelos membros da editora que irá publicar a obra. Contudo, devemos mencionar aqueles que escrevem por prazer e sem fins lucrativos, surgindo assim, algumas fanfics de alguns livros já conhecidos.

No entanto - acredito que isso já seja de prévio conhecimento -, sabemos que publicar um livro no Brasil acaba se tornando algo caro. Assim sendo, percebemos que algumas editoras, seja ela grande ou pequena, acabam cobrando (ou não, em alguns casos) um alto valor para publicarem as obras e mesmo assim, não as tratam (revisão e tratamento visual, inclusos capa e diagramação) de uma forma que fará jus ao valor pago, fazendo com que muitos desistam dessa tarefa. Além disso, devo ressaltar que em certos casos quase nem há divulgação, cabendo ao autor recorrer a outros meios de publicidade, aumentando ainda mais a margem de gastos.

Como vocês perceberam, o simples ato de escrever, independentemente de sua natureza, é uma atividade complicada e que requer tempo, concentração e dedicação, além dos gastos com a publicação. Por mais que esse texto tenha sido um breve resumo das etapas e que não confere com minha realidade, já que não tenho nenhum livro escrito, mas projetos arquivados dos quais pretendo finalizar, deixo essas dicas para quem queira pensar, elaborar e realizar uma obra.

Texto redigido ao som da playlist Electro Swing no Spotify.

Abraços,
Gustavo Demétrio
GUSTAVO DEMÉTRIO
É Resenhista e CDC aqui no Vida De Leitor. Um ávido leitor que sonha um dia se tornar um Arquiteto de renome. Admirador do universo e grande fã do Stephen King. Seus livros favoritos são: Série Torre Negra, Sherlock Holmes Sob a Redoma. 
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.