O Irresistível Café de Cupcakes - Mary Simses


Olá pessoal, tudo bem com vocês?

O Irresistível Café de Cupcakes foi um livro agradável em alguns pontos e tedioso em outros, o enredo é previsível e não possui um clímax empolgante a ponto de nos prender totalmente a narrativa, a escrita de Mary Simses é o que faz essa história despretensiosa ser aprazível. Quem busca um romance simples, porém um pouco menos dramático que os do Tio Nicholas Sparks, com certeza se sentiria deliciado ao acompanhar essa história.





Ellen é uma advogada de Manhattan e seu noivo está prestes a se tornar um importante político. Tudo em sua vida parece estar perfeito e no caminho certo. Até que ela decide realizar o último desejo de sua avó e entregar em mãos uma carta. Para isso, ela precisa ir para Beacon, uma charmosa cidadezinha do interior. Entre cupcakes de blueberry e deliciosas rosquinhas, Ellen desvenda os mistérios da vida de sua avó. Aos poucos, ela descobre os simples prazeres da vida e que "perfeito" nem sempre é o que parece.






O livro conta a história de Ellen, uma advogada bem sucedida que a apenas três meses de seu casamento com um candidato à Câmara Municipal decide ir a uma cidade interiorana, chamada Beacon, para entregar uma carta a um homem chamado Chet, pois este era o último desejo de sua avó.

Acostumada a conviver nas mais bem frequentadas rodas sociais, a cultuar a boa aparência e a ter uma vida agitada, Ellen não vê a hora de ir embora daquele lugar pacato, e esse desejo só aumenta quando ela cai de um píer e após ser resgatada de um possível afogamento acaba beijando seu herói e indo parar em todas as páginas do jornal local. Apesar de tentar cumprir sua missão o mais rápido possível, encontrar Chet se mostra um desafio difícil que desperta nela o desejo de descobrir o passado de sua avó, o que ela não percebe é que enquanto busca pelo pelo passado, seu futuro passa a ser uma incerteza ainda maior.

Cupcake de blueberry, você sentirá muita vontade de experimentar um.
"Não tinha certeza de como me senti a respeito da observação de Hayden. Sim, eu vivi na cidade durante anos e não, não tinha nenhuma vontade de viver em outro lugar... Mas isso queria dizer que eu não poderia fazê-lo se de fato quisesse? Para ele, parecia que eu era incapaz de mudar."
Pág. 163

A narrativa da autora é agradável, ela relata todas as cores, sabores e texturas presentes, fazendo com que o leitor sinta maior afinidade com a arte existente em cada pintura descrita e fotografia capturada, a idealização dos cenários é feita com precisão capaz de nos fazer imaginar as cenas com nitidez. Achei o romance pouco trabalhado e muito sem graça, como disse no início da resenha, falta emoção para o contexto. O que mais gosto nos livros é que eles conseguem me emocionar, fazer com que me sinta apreensiva, encantada ou com raiva e, infelizmente, O Irresistível Café de Cupcakes não me ofereceu nenhuma dessas sensações.

A personagem principal inicialmente é uma antipática exigente que não se encaixa na cidade onde está e age feito uma ingrata orgulhosa, ela é chata, metida e no começo do livro senti muita vontade de abandonar a leitura somente por causa das atitudes dela, porém sua personalidade muda no decorrer de algumas páginas fazendo com que se torne um pouco mais simpática, conformada e sociável. Apesar de ser uma mudança necessária, me senti incomodada pela maneira como ocorreu, em uma página ela estava agindo feito uma esnobe e então logo em seguida percebe que está em uma cidade maravilhosa e passa a agir de forma totalmente diferente. Os demais personagens são pouco cativantes, boa parte deles ressaltam como a personalidade da protagonista muda em comparação ao que ela costumava ser.

Autora
"Talvez ele estivesse certo. Talvez, junto com a entrega da carta, ela tivesse esperança que eu descobrisse seu passado."
Pág. 189

Este é o tipo de obra perfeita para relaxar (já que não somos levados a levantar questionamentos ou a tirar conclusões muito elaboradas), sair de uma ressaca literária e claro, engordar, pois chega a ser um desafio não ir a cozinha após ler sobre tantos pratos deliciosos. O final é um pouco corrido, os acontecimentos são mal desenvolvidos e a forma como todos os envolvidos reagem aos fatos só prova como o romance foi mal trabalhado, portanto não espere um final grandioso e comovente. Se existisse uma receita para descrever a fórmula utilizada pela autora ao criar este livro creio que seria: Água, açúcar e uma pitada de enrolação, sirva cru pois o público merece ao menos uma surpresa.

A capa é maravilhosa, mas como é feita de um material que se assemelha ao emborrachado, os cuidados necessários para conservá-la devem ser redobrados. A fonte utilizada é agradável aos olhos e existe um bom espaçamento entre as linhas, as falas são separadas por aspas, um recurso utilizado em livros estrangeiros e que agora está sendo introduzido aos nacionais por algumas editoras, algumas vezes isso incomoda, contudo é tolerável. Encontrei poucos erros de revisão. Apesar de não recomendar a leitura do livro, afinal ele não me cativou, penso que cada um deve formar sua própria opinião. Um livro que não foi bom para mim, pode ser o supra sumo das galáxias para outra pessoa. 

Abraços,
  Tamires Souza
TAMIRES DE SOUZA
É Resenhista aqui no Vida De Leitor. Desenvolveu sua paixão pela leitura ainda criança através de revistas em quadrinhos e desde então não vive sem um livro dentro da bolsa. Recém formada e sonha um dia cursar uma faculdade de Direito. Seus livros favoritos são: Série Rangers Ordem dos Arqueiros, A Seleção e a Série A Mediadora
Twitter/Facebook/Skoob - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.