A Escolha - Kiera Cass


Olá pessoal, tudo bem com vocês?

A Escolha era o lançamento mais aguardado por mim deste ano. O desfecho da série A Seleção foi tão impactante que por vários momentos precisei parar a leitura para absorver todas as informações, pois, Kiera consegue fazer com que acontecimentos previsíveis sejam retratados de forma impactante. Contudo, a autora deixou um pouco a desejar em relação a alguns detalhes.




A Seleção mudou a vida de trinta e cinco meninas para sempre. E agora, chegou a hora de uma ser escolhida. America nunca sonhou que iria encontrar-se em qualquer lugar perto da coroa ou do coração do Príncipe Maxon. Mas à medida que a competição se aproxima de seu final e as ameaças de fora das paredes do palácio se tornam mais perigosas, América percebe o quanto ela tem a perder e quanto ela terá que lutar para o futuro que ela quer. Desde a primeira página da seleção, este best-seller #1 do New York Times capturou os corações dos leitores e os levou em uma viagem cativante ... Agora, em A Escolha, Kiera Cass oferece uma conclusão satisfatória e inesquecível, que vai manter os leitores suspirando sobre este eletrizante conto de fadas muito depois da última página é virada.




Neste livro, América enfim resolve com qual de seus pretendentes quer ficar, porém essa decisão não depende mais apenas dela e enquanto seu outro candidato for mantido como segunda opção ela não poderá entregar seus sentimentos por completo a seu escolhido. Com medo de não serem correspondidos, Maxon decide procurar algo que o atraia nas demais participantes, e Aspen começa a se distanciar. A tensão entre as remanescentes da competição aumenta a cada dia, e enfim descobrimos as motivações que as levaram a continuar na luta pelo coração de do Príncipe.

Os ataques rebeldes tornam-se mais intensos fazendo com que a família real não seja a única afetada. A personalidade geniosa de Meri também será motivo para uma série de conflitos, em A Elite fica claro que ela deseja mudar a situação em que o povo de Illéa se encontra, porém seus atos impensados podem prejudicar seu relacionamento com Maxon e provocar a ira do Rei.

Eles terão que escolher o futuro que desejam.
"- Prenda a respiração, senhorita.
Obedeci, e mais uma vez fui espremida pelo vestido. Pensei em um soldado que se prepara para a guerra. A armadura era diferente, mas a ideia, a mesma.
Naquela noite, eu ia derrotar um homem."
Pág. 15

Enfim descobrimos as motivações dos ataques rebeldes, apesar das razões serem convincentes, poderiam ser mais bem trabalhadas, esperava maior riqueza de detalhes sobre os sulistas. Muitas mortes desnecessárias acontecem, se o intuito de Kiera era mostrar que nem todos têm um final feliz ela poderia ter sido mais descritiva ao relatar tais mortes, tornando as cenas comoventes ao invés de apenas citar os que não resistiram. Apesar de deixar um pouco a desejar nas cenas de drama, e apresentar as de ação de forma breve, as de romance são incríveis, e as rebeldias de Meri são de deixar qualquer um de queixo caído.

O amadurecimento da protagonista é algo notável e admirável, ao contrário dos volumes anteriores, America se mostra decidida e focada em seus objetivos. Algumas atitudes do Maxon não me agradaram muito, em um determinado momento ele passa a agir de forma mimada, imatura e precipitada. Todas as garotas da Elite possuem características marcantes e bem trabalhadas, mas acho que nenhuma tem amor próprio, elas acham compreensível brigarem por um homem que já beijou boa parte das participantes mas se sentem culpadas por olhar outros caras. Gostei bastante da personagem Paige, apesar de não possuir nenhum destaque significativo no enredo a história, ela é comovente e nos mostra um pouco mais sobre a situação em que vive o povo de Illéa.

Capa de The Queen
"- E daí? Não importa o que você pensa do seu caráter. Só importa o que você faz com ele. Você, mais que as outras, faz o que é certo antes mesmo de pensar nas conseqüências para si mesma. Maxon tem outras ótimas candidatas lá em cima, mas elas não sujariam as mãos para mudar as coisas. Não como você."
Pág. 55

Apesar de ter alguns pontos que eu gostaria que fossem mais bem trabalhados, o final da série A Seleção é arrebatador, como disse no início na resenha, por muitas vezes tive que parar a leitura para assimilar as informações e me peguei gritando de raiva sempre que algum acontecimento marcante me pegava de surpresa. Tenha certeza de que mesmo tendo sentido ódio ao saber algum spoiler, você conseguirá se surpreender com essa história e se entristecer ao perceber que este é o último volume da série, entretanto um conto cujo título é The Queen (A Raínha, em tradução livre) será lançado em breve e o leitor terá a oportunidade de saber a história da rainha Amberly. O piloto de uma possível série televisiva foi negado (ainda bem, achei a adaptação péssima), mas podemos esperar mais novidades ligadas a A Seleção.

A edição está um charme. A revisão está impecável, a diagramação é agradável aos olhos, a fonte é de um bom tamanho e cada começo de capítulo possui a ilustração de uma coroa. A meu ver a capa de A Escolha é a mais bonita da série e a tradução escolhida para o título combinou perfeitamente com a história. Leitura super recomendada!!!

Abraços,
  Tamires Souza
TAMIRES DE SOUZA
É Resenhista aqui no Vida De Leitor. Desenvolveu sua paixão pela leitura ainda criança através de revistas em quadrinhos e desde então não vive sem um livro dentro da bolsa. Recém formada e sonha um dia cursar uma faculdade de Direito. Seus livros favoritos são: Série Rangers Ordem dos Arqueiros, A Seleção e a Série A Mediadora
Twitter/Facebook/Skoob - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.