A Primavera Rebelde - Morgan Rhodes


Hey pessoal, tudo bem?

Finalmente, depois de alguns meses de espera, consegui ler a continuação da quadrilogia Queda dos Reinos e confesso que, mesmo que a autora ainda tenha um certo problema para narrar passagens de tempo, sua escrita sofreu um amadurecimento sem proporções. Ela não só conseguiu desenvolver mais seus personagens, como também não perdeu o foco e em meio a tantos acontecimentos conseguiu juntar todas as pontas, mesmo que algumas respostas ainda não tenham sido dadas.

Depois que o rei Gaius de Limeros conquistou as terras de Auranos e subjugou o povo sofrido de Paelsia, passou a dominar toda a Mítica com seu punho de ferro. A rica população de Auranos parece não se importar com o novo governante, desde que seus privilégios sejam mantidos; os paelsianos, como sempre, aceitam seu destino de exploração. Mas a tranquilidade é só aparente - grupos rebeldes começam a surgir nos reinos dominados, questionando as mentiras e os métodos sangrentos do novo rei. Enquanto isso, Gaius obedece à sua mais nova conselheira e dá início à construção de uma estrada passando pelas temidas Montanhas Proibidas. Mas essa via não servirá apenas para interligar os três reinos - ela faz parte de uma busca pela magia elementar, perdida há mil anos, que conferirá ao tirano um poder supremo. O que ninguém esperava era que essa obra desencadearia uma série de eventos catastróficos, que mudarão aquelas terras para sempre e forçarão Cleo, Magnus, Lucia e Jonas a tomar decisões até então inimagináveis.

O livro dá sequencia aos acontecimentos que finalizaram o livro anterior, quais sejam, com Auranos sendo subjugada pelo Rei Gaius, conhecido como o Rei Sanguinário, Lúcia em um estado comatoso em face à quantidade de magia que usou para ajudar seu pai a tomar o reino, Cleiona em um luto supremo pela morte de toda a sua família e usurpação de seu trono e por último, mas não menos importante, com Magnus fazendo de tudo para agradar - ou não ser objeto de ódio - seu pai, ao passo que continua a nutrir sentimentos "impróprios" por sua "irmã".

Entretanto, a narrativa não foca somente na sequencia desses acontecimentos. Temos também mais sobre a mitologia envolvendo os vigilantes, a organização e ataque dos rebeldes e a visita de uma misteriosa dama aos sonhos do Rei Sanguinário e seu incentivo para  construção de uma estrada de sangue que irá unir toda Mytica e encontrar a tão cobiçada - lendária para alguns - Tétrade.

Autora. Não sei se comentei aqui, mas li o primeiro livro todo pensando que ela era um homem. 
"- Não, não vou deixar você! Você é tudo o que me resta!
Gregor segurou o queixo dela com força.
- Venha comigo - ele resmungou - e eu mesmo cravo uma flecha no seu coração para livrá-la do destino de nossos amigos e vizinhos.
E então se virou e correu de volta para a vila.
Tudo o que Lys podia fazer era vê-lo partir.
"
Pág. 18
Como disse no inicio do texto, a narrativa de Rhodes sofreu um amadurecimento assombroso. Seus personagens são mais bem desenvolvidos, as jogadas políticas são mais intrínsecas entre os reinos e a encarnação de G.R.R. Martin ao trazer tanto sangue e mortes de personagens queridos para um livro cujo primeiro volume quase não tivemos tanta violência (em comparação com este volume, claro), demonstram uma grande evolução por si só. Contudo, devo ressaltar que ela ainda demonstra uma certa falta de habilidade para narrar passagens de tempo, o que me incomodou um pouco. 

Certos acontecimentos são estendidos por páginas e mais páginas sem necessidade, ao passo que outros mais importantes, como um certo "passeio de casamento" que dois personagens fizeram pelo reino para fazer jus à política do "pão e circo", são narrados de uma maneira que me levou a entender que a autora estava com pressa para que aquilo acabasse logo para que ela pudesse dar seguimento na história. Não reclamo do fato dela correr com certos acontecimentos, mas sim da falta de proporção. Ora, se ela narra um pífio acontecimento em 10 páginas, espera-se que um acontecimento de grande porte tenha o devido foco e extensão, e não parcas páginas sem detalhes.

Capa do 3º livro da série. Lançamento previsto para Dezembro nos EUA.
"- O mal é uma escolha que se faz, não um estado natural do ser."
Pág. 241
Os personagens sofreram um desenvolvimento muito grande. Cleiona, que apesar de ainda ter atitudes muito imaturas e impróprias para uma herdeira ao trono que me fizeram querer entrar no livro só para empurrá-la do penhasco mais próximo (como quando ela não deixou cortarem a língua daquele personagem - não falo quem por ser spoiler), foi a que mais teve essa evolução de caráter. Era como se no primeiro livro ela fosse uma criança e agora se tornasse uma adolescente que está quase virando uma verdadeira mulher. Magnus continua sendo um personagem "doente", mas que consegue conquistar seu espaço no gosto do leitor. Seu constante conflito interno entre o que ele acha certo e o que ele faz para não atrair o ódio do pai é um dos ápices do livro, vez que acho esse tipo de dilema algo fascinante. Jonas possui maior participação neste volume, mas a meu ver continua o mesmo, o que acontece com quase todo os demais personagens, não tendo uma aparente evolução, mas sim, um maior espaço e destaque.

O final me deixou com muita raiva, não por ser ruim, muito pelo contrário, mas por saber que agora vou ter que esperar até 2015 para ler a sequência da história, já que o livro 3 lança em dezembro desse ano nos Estados Unidos. Já a edição está nos mesmos moldes da anterior, com uma capa chamativa, folhas amareladas e uma diagramação simples, porém com uma letra de tamanho mediano que facilita a leitura. A revisão está excelente e durante a leitura de toda a obra achei apenas um erro. Leitura recomendada para todos que gostam de uma aventura medieval.

Abraços,
  Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Cursa o 9º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.