Casa de Segredos - Chris Columbus e Ned Vizzini

Saudações, caros leitores, como vocês estão?

Casa de Segredos foi uma leitura que eu desejei desde o seu lançamento e apesar desse livro ter uma trama engraçada e, obviamente, divertida, ela faz jus ao seu gênero - infanto-juvenil. Porém, o que percebi foram acertos e alguns erros que poderiam ter resultado no encurtamento de algumas passagens, caso fossem solucionados. Além disso, ela é bastante frenética e está sempre colocando os protagonistas diante de novos desafios e muitas revelações. 



Brendan, Eleanor e Cordelia Walker um dia tiveram tudo: uma bela casa em São Francisco, pais adoráveis e todo o tipo de bugiganga eletrônica que podiam desejar. Mas tudo mudou depois que o pai perdeu o emprego em um misterioso incidente. A família está em dificuldades e precisa se mudar. À primeira vista, a mansão Kristoff parece perfeita. Mas a casa que pertencia ao misterioso escritor Denver Kristoff é cheia de segredos, e os três irmãos vão parar em um lugar selvagem que parece se misturar ao terreno da casa. Guerreiros medievais patrulham as florestas, piratas fantasmagóricos rondam os mares e uma rainha sedenta por poder governa aquelas terras. À medida que desvendam o mistério, Bren, Délia e Eleanor vão descobrir o verdadeiro significado de lar e perceber que não apenas sua família — está mais para a humanidade — que está correndo perigo.


Logo no começo já percebemos que a família Walker possui um grande conflito de interesses entre si e vivem discutindo, fato que ocorre com mais frequência entre os briguentos irmãos: Cordelia, Brendan e Eleanor, de 15, 12 e 8 anos, respectivamente. Os mistérios por trás da Mansão Kristoff já começam quando eles não encontram uma placa de "Vende-se", algo que soou um pouco estranho para Brendan. Após muitas conversas e relutâncias, o Dr. Walker adquire a residência, cujo estilo era o vitoriano. Porém, o que a família não esperava era uma grande surpresa que os colocariam em um mundo desconhecido, dominado por uma bruxa que desejava um peculiar objeto que fora achado pelo seu falecido pai.

Image and video hosting by TinyPic
Chris Columbus e Ned Vizzini, autores desta obra
"- Essa casa foi construída para recepções desde o início - falou Diane com um gesto abrangente.
- Quem dava festas aqui? - perguntou Cordelia.
- A Lady Gaga - brincou Brendan tentando esconder o incômodo. Primeiro não havia uma placa de VENDE-SE, depois, uma estátua sinistra, agora uma casa com um antiquário dentro..."
Pág. 19
Como eu disse no começo desta resenha, o livro apresenta acertos e falhas. Um dos pontos positivos foi justamente a sua narrativa, que se mostrou bastante fluida, apesar dos capítulos serem curtos, e é feita em terceira pessoa, possibilitando os autores de detalharem o mundo construído. Porém, a trama em certos momentos toma rumos muito infantis, o que pode acabar estressando alguns leitores. Aliás, o que percebi em quase toda a obra foram clichês já conhecidos e que poderiam terem sido cortados, já que não prejudicariam o contexto e até melhorariam os argumentos utilizados para explicar algumas passagens que foram expostas, que facultaria na eliminação de alguns furos gravíssimos que foram deixados, uma vez que me deparei com alguns trechos que se não forem bem interpretados, podem acabar gerando a ambiguidade. 

Apesar dos personagens serem cativantes, eles não demonstram emoções reais e que realmente condizem com sua respectiva idade, dado que percebemos, por exemplo, Eleanor tomando em certos momentos atitudes mais coerentes e adultas do que a dos seus irmãos mais velhos. Outro fato, é a arquitetação falha da vilã, posto que esta poderia ter sido mais trabalhada, investindo mais em poderes dignos de uma protagonista atroz. Entretanto, alguns tiveram suas características bem manipuladas e aplicadas em ocasiões pertinentes, como: coragem, traição, liderança, amor e sofrimento. 

Image and video hosting by TinyPic
Capa estrangeira de "House of Secrets: Battle of the Beasts", segundo volume
"Cordelia parou no momento em que a velha memória retornou. A Bruxa do Vento rapidamente notou e pegou a mão da menina, a fim de transportá-la de volta ao estado de confusão mental que só permitia um único sentimento: desejo egoísta."
Pág. 279
Deprimente e decepcionante, são as melhores palavras para definir os acontecimentos finais, visto que todos os argumentos utilizados para explicar as eventualidades não foram bem pensados e tornaram-se um grande furo, que se fosse meditado antes, poderia ter encurtado boa parte da trama. Contudo, apesar do enredo ser falho, adorei muito a proposta dos autores, que aparenta ter uma continuação cujo nome é "House of Secrets: Battle of the Beasts". A editora disponibilizou o primeiro capítulo e caso queiram ler, cliquem aqui.

Na capa é muito bela e podemos perceber uma ilustração da Mansão Kristoff com seus atributos vitorianos, além disso, as páginas tem coloração amarelada e o tamanho da fonte é agradável. Ademais, a diagramação está simples e a revisão muito bem feita. Recomendo que cada uma leia para tirar suas próprias conclusões.


Abraços,
Gustavo Demétrio
GUSTAVO DEMÉTRIO
É Resenhista e CDC aqui no Vida De Leitor. Um ávido leitor que sonha um dia se tornar um Arquiteto de renome. Admirador do universo e grande fã do Stephen King. Seus livros favoritos são: Série Torre Negra, Sherlock Holmes Sob a Redoma. 
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.