A Noite dos Mortos-Vivos - John Russo


Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Quem gosta de zumbis com certeza já ouviu falar de George Romero e John Russo. Foi por causa do filme "A Noite dos Mortos-Vivos" que tais criaturas passaram a ser retratadas como os temíveis canibais que conhecemos hoje. Apesar de o filme apresentar uma história interessante, capaz de deixar os espectadores aflitos, a versão que encontramos no livro é muito mais desenvolvida e envolvente.



Se hoje os zumbis estão em alta – influenciados em grande parte pela série The Walking Dead e por games como Resident Evil e filmes como Zumbilândia, além de contracenar com Brad Pitt – é porque, em 1968, George Romero e John Russo se reuniram para escrever o roteiro de A Noite dos Mortos-vivos e mudar a história do cinema. O filme revolucionou o mito sobre as criaturas que voltavam do além: as superstições vodus das velhas produções B deram lugar à epidemia de fome canibal nas ruas norte-americanas. Criaturas similares já haviam aparecido antes nas telonas, mas foi em A Noite dos Mortos-vivos a primeira vez em que foram retratados como uma praga devoradora de carne humana.





A história começa narrando a ida de Bárbara e Johnny a um cemitério. Se aproveitando do medo que a irmã sente daquele local, o rapaz começa a aterrorizá-la dizendo que um senhor que passava ali por perto era um morto recém saído do túmulo, contudo, a brincadeira perde a graça quando o homem começa a atacar a moça e ela vê o irmão morrer para defendê-la. Tentando fugir do agressor, ela acaba se refugiando em uma fazenda, e depois de certo tempo um rapaz chamado Ben se une a ela no esconderijo.

Após passar um bom tempo reforçando a casa, Ben e Bárbara percebem que existem outras pessoas no porão e este fato faz surgir certas desavenças. Além de lutarem contra as criaturas que ameaçam invadir a casa, eles terão que encontrar um meio de conviver entre si.

Já escolheu sua arma?

"Tudo parece tão breve,tão...Inútil, não é ? Viver um pouquinho e depois morrer? Tudo parece resultar em nada. 
Ainda assim, de certa forma, é fácil invejar os mortos. 
Eles estão além da vida, além da morte.
Tem sorte de estarem mortos, de terem feito as pazes com a morte e não precisarem mais viver. Estão debaixo da terra, alheios... Alheios ao sofrimento, alheios ao medo de morrer."
Pág. 17
O enredo é um pouco previsível, a partir do momento que algumas situações são apresentadas já imaginamos qual será o resultado, mas mesmo assim ficamos apreensivos. A narrativa é em terceira pessoa e a cada momento aborda o ponto de vista de um personagem. Em comparação ao livro, o filme possui uma história mais resumida, ele pode ser encontrado em duas versões, a original que é de 1968 e um remake de 1990, que traz a mocinha histérica, Bárbara, como uma mulher ativa que luta contra os zumbis. Confesso que esta última versão é um pouco mais assustadora que a original, vez que o filme de 68 é em preto e branco e os efeitos especiais não são muito convincentes, mas se levarmos em consideração as condições em que ele foi filmado, é digno de admiração.

Como a situação em que se encontram é de total pânico, os personagens são a caracterização do que o ser humano tem de pior, portanto, ao mesmo tempo em que torcia para que a ajuda chegasse logo e eles ficasse bem, queria que os zumbis invadissem logo a casa e todos virassem petisco. Ben é o único que luta para manter a situação sobre controle enquanto Harry só consegue ser um covarde pessimista, Karen é uma ameaça que se torna evidente desde as primeiras páginas, mas ninguém parece dar muita importância para isso e Bárbara é uma descontrolada prestes a surtar a qualquer momento.

Lembre-se: Zumbis não são superficiais, eles gostam de você pelo o que você tem por dentro.¹
"A criatura morta se contorcia no chão e a encarava, com o olho saltado para fora e os primeiros sinais de putrefação no rosto e no pescoço."
Pág. 40
Sabe aqueles livros capazes de te fazer brigar com os personagens e suar frio só de imaginar que algo ruim está prestes a acontecer? É isso que te aguarda em "A Noite dos Mortos-Vivos". A história é envolvente a ponto de fazer o leitor pensar que aquilo poderia realmente acontecer um dia, já que a justificativa para o fenômeno é uma grande incógnita regada de especulações não muito precisas, o que atiça ainda mais o nosso imaginário. Sabemos o que leva ao surgimento de vampiros e lobisomens, mas e os zumbis? O que faz os mortos retornarem a vida? A conclusão do enredo é de tirar o fôlego.

A edição está luxuosa, podendo ser encontrada em uma versão de capa dura (edição de colecionador) ou brochura, ambas lindíssimas. O acabamento conta com imagens de cenas do filme e cada encerramento e abertura de capítulo contém uma arte caprichada, a diagramação está agradável aos olhos e a revisão é impecável. Leitura super recomendada e preparem-se para possíveis pesadelos.

¹ Créditos da imagem: Pausa Para Nerdices

Abraços,
  Tamires Souza
TAMIRES DE SOUZA
É Resenhista aqui no Vida De Leitor. Desenvolveu sua paixão pela leitura ainda criança através de revistas em quadrinhos e desde então não vive sem um livro dentro da bolsa. Recém formada e sonha um dia cursar uma faculdade de Direito. Seus livros favoritos são: Série Rangers Ordem dos Arqueiros, A Seleção e a Série A Mediadora
Twitter/Facebook/Skoob - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.