E-Books, ler ou não ler? Eis a questão.

Saudações, caros leitores, como vocês estão?

Desde o surgimento dos E-Books, uma discussão vem se desembolando entre os leitores. Seria essa plataforma responsável pela “extinção” do livro físico? Creio que essa é uma das perguntas que podemos fazer em uma discussão saudável e amigável, levantando argumentos válidos e consistentes. Espero que gostem e participem nos comentários. \o/


Muito se diz a respeito da forma como os avanços tecnológicos vêm moldando a maneira de pensarmos e até mesmo a nossa escrita. Tudo nesse mundo passa por grandes transformações - até nós, seres humanos - e o exemplo disso é a evolução dos objetos pelos quais propagamos a escrita, o que nos remete desde as pinturas em paredes utilizadas no Egito Antigo - bem como esculpir em pedra as palavras - até a criação do papiro e por consequência do papel. Independente do meio utilizado, é fato que o homem está sempre buscando meios de substituir esses itens que fazem parte do nosso cotidiano por meios mais modernos e de fácil propagação da palavra. 

A recente "solução" encontrada foi o E-Book, criação que surgiu no projeto Gutenberg, liderado por Michael Hart, em 1971, que a princípio tinha como objetivo a disponibilização de livros e documentos gratuitamente. Porém, com o passar dos anos esse conceito foi se desviando e eles passaram a ser comercializados.

Atualmente, existem diversos programas responsáveis pela leitura dos arquivos PDF, HTML e o ePUB. Contudo, até aproximadamente duas décadas atrás, esses tipos de software não existiam. Então em 1993, cerca de 22 anos após o surgimento do E-Book, eis que surge o programa Digital Book v1.


Creio que a transição dos livros físicos para os meios digitais está muito longe de ser concluída, visto que há diversas barreiras que de certa forma limitam o poder de ação desses meios, pois há leitores que odeiam ler e-book pelo computador visto que a luz emitida pela tela pode incomodar a leitura. Além disso, há o fato da segurança, já que é mais seguro estar em um local público com um livro do que com um E-Reader ou tablet, vez que por serem objetos eletrônicos de alto valor podem atrair a atenção de pessoas indesejadas.

Vamos entrar no mundo das possibilidades? Mas, e se os E-Books “convencerem” o mundo de que eles são os melhores, como ficaria a situação das livrarias e bibliotecas? Acredito que as mesmas sofreriam grandes impactos durante a transição, físico – digital, e as grandes empresas/municípios responsáveis por administrar esses estabelecimentos terão que investir muito em grandes Bancos de Dados que substituirão as lojas físicas. Um grande exemplo de uma companhia que já faz isso é a Amazon nacional, que até o presente momento vende apenas livros digitais. 

Atualmente já existem diversos aparelhos eletroeletrônicos responsáveis pela facilitação da leitura dos E-Books, como os E-Readers. Temos como exemplo o Kindle, que já tem no seu "curriculum" diversas versões. Entretanto, há aplicativos para tablets e celulares que simulam uma experiência de uso de um E-Reader. Mas Gustavo, qual é a vantagem de ter um desses apetrechos? A resposta se resume a uma única palavra: ARMAZENAMENTO. Pois é, você pode andar com uma "biblioteca" dentro do seu bolso.

Vários livros em um só lugar.

Uma vantagem dos E-Books em comparação com os livros físicos é o seu custo-benefício, pois, as obras em versões digitais têm os seus preços reduzidos quase pela metade, salvo raros casos onde a empresa vendedora do E-Book joga o bom senso fora e coloca-o a quase R$60,00, como já foi visto em lojas virtuais como a PlayStore. Porém, todo o investimento em um E-Reader deixa a sua compra mais cara. Sem contar que você não poderá ter a nostalgia de fazer todo o ritual antes de ler, no qual, alguns leitores tem a necessidade se sentir o cheiro, de pegar no livro e etc. 

Pode ser que essa transição, em um futuro distante, possa se concluir e que os seres humanos já estarão adaptados para lidar com essa plataforma. Porém, neste exato momento, não podemos confirmar tal proeza, já que, a meu ver, os livros físicos serão indispensáveis. Eu e o Matheus compartilhamos a opinião de que, mesmo que em alguns casos seja mais fácil manusear o E-Book (Matheus lê nesse formato mais que eu) não abrimos mão da leitura do livro físico. E você? Leria E-Books? 

Abraços,
Gustavo Demétrio
GUSTAVO DEMÉTRIO
É Resenhista e CDC aqui no Vida De Leitor. Um ávido leitor que sonha um dia se tornar um Arquiteto de renome. Admirador do universo e grande fã do Stephen King. Seus livros favoritos são: Série Torre Negra, Sherlock Holmes Sob a Redoma. 
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.