A Importância da Leitura na Formação do Cidadão

Saudações, caros leitores, como vocês estão? 

Antes de mais nada, gostaríamos de deixar claro que o presente texto nada mais é que nossa humilde opinião e que não estamos criticando o gosto literário de ninguém ou dizendo que quem não ler não é um bom cidadão. Estamos apenas propondo uma discussão saudável e expondo um ponto de vista sobre o assunto. O texto está um pouco extenso, mas esperamos que gostem e participem nos comentários. 

Image and video hosting by TinyPic

Afastando-se da sua utilização para as atividade de lazer, alguns livros tem o árduo trabalho de formar cidadãos pensantes, com embasamentos intelectuais e, consequentemente, contribuir na estruturação de um leitor dotado de conhecimentos oriundos da sua capacidade de absorver as informações impressas nas grandes páginas e meios eletrônicos para que, após assimilar tais informações, seja capaz de aplicar o conhecimento adquirido de maneira crítica no seu dia-a-dia, buscando sempre acrescentar algo à nossa sociedade. 

Apesar do desenvolvimento de uma leitura diária ser uma tarefa morosa e de longo prazo, pois nem sempre temos tempo disponível em face ao trabalho/estudos, os benefícios que essa pequena atividade faz ao cérebro é merecedor e compensatório, já que possibilita ao leitor uma visão mais minuciosa e ao mesmo tempo mais aberta do mundo que o cerca, desenvolvendo a habilidade de observar um determinado acontecimento sob diversos ângulos e, além disso, elevar sua capacidade de comunicação e escrita.


Assim como em algumas escolas - infelizmente não são todas-, os pais da criança/adolescente deveriam impulsionar esse hábito desde os primeiros anos após o aprendizado da leitura para que assim haja o desenvolvimento da criatividade e imaginação, vez que, quando estamos lendo, o nosso cérebro arquiteta os acontecimentos que estão sendo narrados em nosso consciente. Entretanto, a literatura é vista por boa parte dos olhos estudantis como uma atividade sem fim comunicativo e de aprendizagem, sendo muitas vezes tido como algo tedioso em face às opções de livros que lhe são apresentadas. Afinal, nenhuma criança ou adolescente se sentiria entretido ao ser obrigado a ler Sonhos de Uma Noite de Verão ou Hamlet, com seu vocabulário rebuscado e de difícil compreensão para pessoas desta idade, vez que a geração atual não possui a bagagem de leitura que foi recomendado no inicio deste parágrafo.

É inegável que assuntos que retratam política, filosofia e sociologia, nem sempre agradaram o jovem da atualidade. Contudo, devemos ressaltar que tais ensinamentos quando adquiridos, sejam em livros ou em outros meios de comunicação, ajudam no desenvolvimento humano, contribuindo para a formação de um cidadão detentor de conhecimentos e apto a questionar as situações que o rodeiam, agindo de forma ativa no sistema político que rege o país e com isso ajudando a criar um sistema de Leis que valoriza a cultura, sendo por meio da literatura, poesia, música, teatro, cinema e etc.

Abra a imagem em uma nova guia para visualizar no tamanho original.

Observando atentamente as mudanças que a globalização proporcionou, percebemos que os atributos tecnológico e conectivos, como a própria internet, acabaram por serem responsáveis na expansão da informação, possibilitando o surgimento das "bibliotecas virtuais" que oferecem gratuitamente algumas obras, como os clássicos literários e alguns títulos desconhecidos. Com isso, sabemos que o jovem da atualidade não tem "desculpas" (retirando a questão do tempo supracitada) para não desenvolver o hábito da leitura.

Ademais, é fato que o ser humano por muito tempo fora encarregado de usar seu cérebro para registrar momentos históricos que acabaram por gerar a História tal como a conhecemos, sendo imposto um complexo sistema de troca de informação a cada geração, fazendo do livro um importante instrumento de propagação de conhecimento e formação de caráter.


Concluímos então que a leitura e busca por informações é de suma importância para a formação do cidadão e que os investimentos em bibliotecas públicas, ambiente que até pouco tempo fora muito relacionado ao público "cult", e na expansão de projetos sociais com fins educativos e que além disso almejam a criação de uma geração leitora e pensante, seriam a forma mais adequada para a constituição de uma sociedade cultural, sábia e consciente dos seus direitos e deveres como membro do grupo de pessoas que o rodeia.

Este texto foi escrito por,
Gustavo Demétrio
GUSTAVO DEMÉTRIO
É Resenhista e CDC aqui no Vida De Leitor. Um ávido leitor que sonha um dia se tornar um Arquiteto de renome. Admirador do universo e grande fã do Stephen King. Seus livros favoritos são: Série Torre Negra, Sherlock Holmes Sob a Redoma. 
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com

  Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Cursa o 9º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.