O Dom - James Patterson e Ned Rust

Saudações, caros leitores, como vocês estão?


Como eu havia dito no final da resenha de Bruxo e Bruxas - clique aqui para conferir - o encerramento do livro havia alimentado as minhas esperanças quanto ao segundo volume, O Dom, escrito por James Patterson em parceria com Ned Rust. Contudo, o livro aparentou ser outra vez um extenso fracasso. 

Essa resenha pode conter spoilers do primeiro volume da série. 


Os irmãos Allgood nunca desistem de lutar contra os poderes autoritários e desumanos d’O Único Que É O Único, mas, agora, eles estão sem Margô — a jovem e atrevida revolucionária; sem Célia — o grande amor de Whit; e sem seus pais — que provavelmente estão mortos... Então, em uma tentativa de esquecer suas tristes lembranças e, ao mesmo tempo, continuar seu trabalho revolucionário, os irmãos vão parar em um concerto de rock organizado pela Resistência onde os caminhos de Wisty e de um jovem roqueiro vão se cruzar. Afinal, Wisty poderá encontrar algo que lhe ofereça alguma alegria em meio a tanta aflição, quem sabe o seu verdadeiro amor... Mas, quando se trata destes irmãos, nada costuma ser muito simples e tudo pode sofrer uma reviravolta grave, do tipo que pode comprometer suas vidas. Enquanto passam por perdas e ganhos, O Único Que É O Único continua fazendo uso de todos os seus poderes, inclusive do poder do gelo e da neve, para conquistar o dom de Wisty... Ou para, finalmente, matá-la.
Em O Dom, somos levados novamente para o mundo onde os irmãos Allgood, Whit e Wisty, estão buscando a derrota e a queda do governo ditatorial do O Único Que É O Único, que havia proibido todos os meios de comunicação e entretenimento. Porém, eles verão que é complicado confiar em algumas pessoas, visto que, tanto no primeiro quanto neste volume, há muitas traições por parte dos que eram aliados à Nova Ordem (N.O.), tanto quanto aos que eram aliados aos rebeldes.

A jovem Wisty acaba descobrindo que ela tem o Dom, fato que o maligno e odioso O Único Que É O Único tanto deseja e, para consegui-lo, ele fará tudo que estiver ao seu alcance. Porém, nesse meio caminho os irmãos Allgood encontram a antiga equipe da fracassada missão do livro anterior, só que todos desse grupo ficam sentidos com a notícia que Margô foi morta pelas mãos do Único

O livro começa explicando tudo que aconteceu no primeiro volume da série, porém, esse fato aparentou ser apenas uma forma que o autor conseguiu para "encher páginas". Mesmo que em continuações seja normal esse tipo de "lembrete", em O Dom isso foi feito em excesso.

Lembram que na resenha de Bruxos e Bruxas disse que os capítulos da obra eram muito curtos? Então, tive que me contentar com esse fato, visto que o mesmo acontece neste livro também. James Patterson teve, literalmente, "O Dom" para receber esse tipo de critica sobre o primeiro livro e ainda assim produzir e escrever uma continuação com a mesma formula, mudando apenas o que acontece no enredo. Sem contar que há capítulos que são completamente dispensáveis, pois eles, em sua maioria, são demonstrações de sentimentos.

Capa americana.

"-Tragam-me O Único Que Comanda a Caçada! - Berrou O Único. Ele não aguenta mais essa incompetência, essa estupidez, essa quase captura tão recorrente de Wisteria Allgood e do Dom muito, muito poderoso que ela tem."
Pág. 26
A narrativa do livro continua fluida, porém ainda intercalada entre os irmãos. Contudo, dessa vez também temos a narrativa sob o ponto de vista do chato e insuportável Byron e do desumano Único Que É O Único. Perceberam que já citei o nome do Único inúmeras vezes nessa resenha? Então, fiz isso para demonstrar para vocês o que acontece no livro, ou seja, ele é citado tanto e por tantas pessoas durante a narrativa que acaba se tornando massante e muito, muito repetitivo. 

Nesse volume, os irmãos Allgood aparentaram estarem um pouco mais maduros e aptos para enfrentarem o "O Único Que É O Único", já que eles estão conseguindo controlar os seus poderes e aprendendo novos. Porém, em alguns momentos o enredo parece entrar em contradição, pois, se você é um bruxo com muitos poderes, como você se esqueceria de que tem magia?

A trama do livro é muito superficial, visto que há várias coisas sem respostas, como o que seria o Dom de Wisty? Além disso, o enredo não deixa claro qual é o objetivo do O Único Que É O Único, pois ele queria matar os pais dos irmãos Allgood, mas depois ele quer o "Dom" da jovem Wisty. Confuso, não?

O livro é um verdadeiro labirinto, uma história sem saída e com bastante enrolação, sem contar que James Patterson está sempre querendo fazer um romance entre a Célia e o Whit, porém ele se perde no meio do caminho, deixando algo falho e muitas vezes irritante. Sinceramente, nunca li um livro que me causou tanta dor de cabeça quanto esse.

Katn... ops, Wisty, a garota em chamas.

"Apesar dos acontecimentos esquisitos da última hora - da mensagem profundamente perturbadora de meus pais, da luta contra furacões, da experiência inesquecível de ver Byron Swain abraçando, absorvendo e respirando meu fogo -, saio daquele prédio me sentindo inexplicavelmente poderosa. Estou aprendendo coisas sobre mim, apesar de ainda não estar claro porque O Único deseja tanto meu Dom."
Pág. 264 
Há uma parte do livro que achei até engraçada, onde há pequenas referências de grandes livros, como Jogos Sedentos, claramente uma referência ao Best-Seller Jogos Vorazes, e A Invenção de Bruno Genet, que seria A Invenção de Hugo Cabret, entre outras. Assim como o primeiro volume, o livro termina com os seguintes dizeres: "A HISTÓRIA CONTINUA...", e o final não só não me surpreendeu, como também me deixou um sentimento de frustração e medo quanto à leitura da próxima obra. 

A edição está idêntica à de Bruxos e Bruxas, já que na capa há verniz localizado no "D" que faz referência ao título do livro e o tipo de papel é o amarelado. A diagramação está um pouco simples. Recomendo, ou não, que cada um leia para tirar as próprias conclusões.



BookTrailer produzido pela Editora Novo Conceito


Abraços,
Gustavo Demétrio
GUSTAVO DEMÉTRIO
É Resenhista e CDC aqui no Vida De Leitor. Um ávido leitor que sonha um dia se tornar um Arquiteto de renome. Admirador do universo e grande fã do Stephen King. Seus livros favoritos são: Série Torre Negra, Sherlock Holmes Sob a Redoma. 
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.