Metamorfose? - Gail Carriger

Hey pessoal, tudo bem?

Quem leu minha resenha de Alma? sabe que esse foi um dos romances steampunk que mais me agradaram no ano de 2013 e justo quando eu achava que Gail não conseguiria me surpreender, ela me apresenta mais um romance "sobre vampiros, lobisomens e dirigíveis". Embarque nessa aventura através das colmeias da rainha vampira, alcateias escocesas de lobisomens e políticas da Inglaterra Vitoriana.  

Essa resenha pode conter spoilers do primeiro volume da série. 

Nesta deliciosa e maldita sequência da série iniciada com ALMA?, Alexia Tarabotti se encontra envolvida, só pra variar, em um mistério sobrenatural. Alexia Maccon, a esposa do Conde de Woolsey, é arrancada do sono cedo demais, no meio da tarde, porque o marido, que deveria estar dormindo como qualquer lobisomem normal, está aos berros. Dali a pouco, ele desaperece – deixando a cargo dela um regimento de soldados sobrenaturais acampados no jardim, vários fantasmas exorcizados e uma Rainha Vitória indignada. Mas Lady Maccon conta com sua fiel sombrinha, seus artigos da última moda e seu arsenal de respostas mordazes. Mesmo quando suas investigações a levam à Escócia, o cafundó do Judas onde abundam abomináveis coletes, ela está preparada e acaba provocando uma verdadeira reviravolta na dinâmica da alcateia, como só uma preternatural é capaz de fazer. Talvez até encontre tempo para procurar seu imprevisível marido. Mas apenas se... lhe der vontade. A série de STEAMPUNK mais cultuada do mundo!
O livro continua exatamente de onde Alma? havia terminado, com Alexia  e Maccon casados e desfrutando dos prazeres de tal união. Contudo, nem tudo são rosas e uma parte da cidade de Londres estava apresentando alguns problemas quanto ao desaparecimento dos poderes sobrenaturais dos vampiros e lobisomens e do exorcismo dos fantasmas locais e como sempre a culpa recai sobre nossa protagonista desalmada. Como se não bastasse, a alcateia de Woosley retorna para casa e monta acampamento no jardim do castelo, deixando Lady Maccon muito irritada já que seu marido, o lobisomem Alpha, deixou Londres rumo à Escócia para visitar sua antiga alcateia que nesse momento encontra-se sem um líder.  Entre passeios na companhia de sua melhor amiga que usa chapeis nível "Carmem Miranda e Suas Bananas" e uma viagem de dirigível que quase acaba com sua vida, Alexia deve desvendar mais um mistério para garantir sua segurança e a de quem ela ama.

Elementos presentes no Steampunk
"Lady Maccon espetou com o garfo uma cenoura molenga e se perguntou se alguém sentiria falta de sua querida irmã caso ela despencasse da balaustra do convés superior."
Pág. 141
Tal livro é vendido como um romance steampunk sobre vampiros e lobisomens, mas o que realmente destaca esta obra das demais que estão no mercado é a presença da inesquecível e incomparável Alexia Tarabotti, conhecida agora como Lady Maccon devido a seu casamento com o Alpha da alcateia de Woosley, Lorde Maccon. Neste mundo só conseguem sobreviver à metamorfose aqueles humanos que possuem alma em excesso e Lady Maccon é exatamente o oposto disso pois nasceu sem alma e é isso que dá a ela a habilidade de anular qualquer efeito sobrenatural como a transformação dos lobisomens e as presas dos vampiros e sua aversão ao sol. 

Todos os personagens tiveram uma evolução de personalidade, exceto por Ivy, que continua a mesma. O temperamento explosivo e charme animalesco de Maccon também continuam presentes, mas muito mais moderados pois aparentemente a Srta. Tarabotti conseguiu domestica-lo. Lorde Akeldama continua com suas entradas espalhafatosas e uma rede de espiões que ultrapassam a rede de informação da própria Rainha e isso é um fator de grande importância no rumo que esta obra toma. 


A narrativa é feita em terceira pessoa e em suma mostra o que está acontecendo com Alexia, contudo, em alguns momentos temos uma narrativa mostrando Lord Maccon e Professor Lyall, vez que eles estão em locais diferentes como na Escócia ou no DAS (Departamento de Arquivos Sobrenaturais). Isso foi um ponto mega positivo pois assim as informações não "caem de paraquedas" para os leitores, ou seja, podemos acompanhar o desenvolvimento dos fatos passo-a-passo e não ter o autor simplesmente dizendo que tal objeto está em tal lugar pois "fulano" que levou-o para lá, sem dar nenhuma explicação de como ou porque. O final deste livro foi simplesmente SENSACIONAL! Não vejo a hora de ler a continuação da série.  

A edição está simples, porém com detalhes e caprichos que dão um grande charme à obra. A capa é toda em tons de azul e cinza e o título e a "Alexia" são feitos de verniz localizado. As páginas não amarelas (nossos olhos agradecem) e a diagramação foi feita de maneira que o espaçamento entre linhas e o tamanho da letra contribuam para uma leitura mais rápida e dinâmica. Toda página leva o símbolo do Polvo, que representa algo que não posso dizer a vocês pois é um grande spoiler. Leitura mais que recomendada para todos os que gostam de um bom romance de época e seres mitológicos. 

Abraços,
  Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Cursa o 8º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.