Bruxos e Bruxas - James Patterson e Gabrielle Charbonnet

Saudações, caros leitores, como vocês estão?

Bruxos e Bruxas, de James Patterson e Gabrielle Charbonnet, é um livro que traz uma sinopse e uma temática bastante interessantes e isso acabou aumentando as minhas expectativas. Porém, todo o marketing produzido pela editora foi para vender um verdadeiro fracasso que não conseguiu me cativar o quanto eu esperava.


No meio da noite, os irmãos Allgood, Whit e Wisty, foram arrancados de sua casa, acusados de bruxaria e jogados em uma prisão. Milhares de outros jovens como eles também foram sequestrados, acusados e presos. Outros tantos estão desaparecidos. O destino destes jovens é desconhecido, mas assim é o mundo sob o regime da Nova Ordem, um governo opressor que acredita que todos os menores de dezoito anos são naturalmente suspeitos de conspiração. E o pior ainda está por vir, porque O Único Que É O Único não poupará esforços para acabar com a vida e a liberdade, com os livros e a música, com a arte e a magia, nem para extirpar tudo que tenha a ver com a vida de um adolescente normal. Caberá aos irmãos, Whit e Wisty, lutar contra esta terrível realidade que não está nada longe de nós.
A Nova Ordem (N.O.), um grupo coordenado pelo "O Único Que É O Único", que temia os bruxos, derrubou a democracia e instaurou um governo opressor, que acabaria de vez com a internet, a arte, os livros, as musicas e outros meios de comunicação e entretenimento. A N.O. como é chamada no livro, foi a responsável pela apreensão dos irmãos Allgood, Whit e Wisty, que até aquele ponto não faziam a mínima ideia que eram poderosos bruxos, o que foi outro fiasco. Como pode você ser um poderoso bruxo e nunca, nenhuma vezinha, fez nada de mágico ao pondo de descobrir seus poderes? 

Após serem detidos, os irmãos começam a desvendar todos os mistérios por trás dos seus poderes. Whit era forte, tinha certa rapidez e era imune a algumas armas. Já Wisty podia entrar em chamas quando estava nervosa e, além disso, podia transmudar os objetos. E são com essas características que juntos irão tentar sair da prisão, desvendar a profecia, e o mais importante, salvar seus pais da N.O.. Mesmo que isso signifique partir em uma aventura onde amigos e inimigos serão formados.   

Mapa ilustrativo presente no livro 

"...Você e o Whit são especiais, querida. Especiais mesmo. Às vezes, as pessoas têm medo de quem é diferente. E o medo faz com que elas fiquem bravas e irracionais. ..."
Pág. 22
A maior decepção desse livro foi o fato dos capítulos serem extremamente curtos (tem capítulo de uma página), pois isso me causou uma confusão durante a leitura e deixou transparecer que a obra foi escrita com certa pressa, visto que alguns capítulos pediam continuação. Além disso, eles vão intercalando entre os personagens, ou seja, em um é no ponto de vista da Wisty e no outro já é Whit. Sinceramente, o que faltou nesse livro foi uma organização bem estruturada e entendível e não algo fragmentado em mais de 100 capítulos. 

A falta de personalidade e características singulares nos personagens foi outro fato que notei durante minha leitura. Não consegui fazer nenhuma ligação Personalidades <-> Personagens nesse livro, a não ser com o maligno e odiado O Único Que É O Único, que tem um caráter rigoroso e opressor, um verdadeiro ditador. Sério, apeguei-me tanto nesse personagem que deu vontade de incorporar o Harry Potter e lançar um Avada Kedavra.... Hahahaha.

Muitos podem discordar de mim, mas James Patterson não teve criatividade para criar nomes nesse livro, pois é lastimável e torturador ficar lendo toda hora esse nome “O Único Que É O Único”, sem contar que chega um ponto da leitura que você começa a confundir as características dos principais personagens, os irmãos Wisty e Whit, dado que os nomes são parecidos, sem contar que os dois apresentam atitudes um quanto infantis, ou seja, são chatos e insuportáveis. 

James Patterson, autor da obra

"Havia uma placa presa ao peito dele, escrita na tipologia oficial da Nova Ordem, em letras maiúsculas, que dizia:
A FALHA AO CUMPRIR ORDENS DA NOVA ORDEM
IMPLICA EXECUÇÃO DAQUELE QUE FALHOU! "
Pág.226
Esperava mais do final, porém ele conseguiu renovar as minhas expectativas quanto a leitura do próximo volume, O Dom, mas espero que James Patterson e Ned Rust não tenham produzido um livro com as mesmas estruturas. 

A diagramação está simples e a edição está digna, visto que o tipo de papel utilizado para compor a obra é o Pólen, aquele com tonalidade amarelada que todos amam *---*, e a arte gráfica da capa está primorosa e perfeitamente bela, sendo feita com verniz localizado no "B" em chamas que faz referência as iniciais do livro. Recomendo que cada um leia para tirar as próprias conclusões. 



BookTrailer produzido pela Editora Novo Conceito

Abraços,
Gustavo Demétrio
GUSTAVO DEMÉTRIO
É Resenhista e CDC aqui no Vida De Leitor. Um ávido leitor que sonha um dia se tornar um Arquiteto de renome. Admirador do universo e grande fã do Stephen King. Seus livros favoritos são: Série Torre Negra, Sherlock Holmes Sob a Redoma. 
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.