A Costureira - Kate Alcott

Olá pessoal, tudo bem com vocês ?

Creio que quando falamos sobre acidentes náuticos uma das primeiras imagens que vem à cabeça de muitos é a colisão do navio Titanic com um iceberg. No livro A Costureira somos levados a conhecer o que ocorreu com alguns dos sobreviventes.

Uma jovem ambiciosa e uma estilista célebre sobrevivem ao maior naufrágio da História, mas são arrastadas pelo turbilhão de escândalos que se segue à tragédia. Tess Collins, uma jovem inglesa que sonha ser mais que uma empregada e ver reconhecido o seu talento para a alta costura, consegue emprego com a famosa estilista lady Duff Gordon a bordo do Titanic, que ruma para os Estados Unidos. Porém, a viagem que se iniciou de forma tão auspiciosa acaba se tornando a maior tragédia marítima de todos os tempos. Tess e lady Duff sobrevivem, a primeira para viver as aflições do amor e as chances de ascensão social, a segunda para se ver envolvida nos escândalos do inquérito sobre o terrível desastre naval. Com um pano de fundo histórico, mas sob um ângulo inédito, este soberbo romance acompanha a trajetória dessas duas mulheres apaixonadas pela linha e agulha, tão parecidas e tão diferentes, deleitando-nos com um retrato emocionante de uma época conturbada e de uma sociedade dividida. Tess simboliza a modernidade livre de preconceitos de classe e rica em oportunidades, enquanto lady Duff representa a decadente Belle Époque, um mundo de glamour e privilégio com os dias contados, assaltado pelas contestações sociais, indústria de massa incipiente e pressões da mídia.
O livro conta a história de Tess Colins, uma talentosa costureira que consegue a oportunidade de trabalhar para a famosa estilista Lucile a bordo do Titanic. Apresentada a um mundo de luxo e belezas, Tess se vê cada vez mais encantada e decidida a mostrar seu valor, mas o acidente com o navio faz com que muitas coisas mudem não somente em sua vida, mas também na de todos os que sobreviveram.

As máscaras começam cair assim que pisam em terra firme, alvoroçada por novas informações a imprensa não mede esforços na busca de heróis e vilões para o incidente e Tess terá que conviver com o gênio complicado de sua patroa e ao mesmo tempo tentar ignorar as verdades que a rodeiam enquanto tenta alcançar seus sonhos.

Uma noite abordo de um dos mais luxuosos navios já construídos pode mudar sua vida.
"Está vendo isso? Talvez você tenha que fazer serviço doméstico por agora, mas eu ensinei você a costurar. Isso vai ser a saída daqui. Não abaixe a cabeça, tenha orgulho."
Pág 33
Cheia de desejos e manias, Lucile consegue se revelar uma verdadeira megera em alguns trechos. Entretanto, não consegui odiá-la por completo pois gostei da forma como sua personalidade é destacada quando mostra sua imponência. Tess é o tipo de personagem que luta pelo que quer e não abaixa a cabeça para ninguém, porém se dobra aos desejos de sua chefe colocando-a em uma espécie de pedestal e isso faz com que seja uma personagem um pouco contraditória apesar de sabermos que tudo que ela faz é por admiração e desejo de se tornar uma famosa estilista assim como Lucile. O que mais me incomodou nela foi que esse deslumbre acaba tornando-a extremamente inocente e ingênua. 

Pinky é uma jornalista que me despertou amor e ódio, com uma língua afiada, um jeito desleixado e uma mente feminista, tem mania de querer consertar o mundo e acabar com todas as injustiças. É ardilosa e  com isso consegue as principais informações sobre o acidente.

O livro é narrado em terceira pessoa e mostra um pouco do ponto de vista de cada personagem, o que se torna interessante pois somos levados a tentar entender o que ocorreu durante o acidente, principalmente no bote numero um, além de acompanharmos o desenrolar do envolvimento de Tess com um marinheiro e presenciarmos os escândalos que envolvem Lucile, ou seja, por existirem vários pontos interligados não ficamos presos somente a um dilema.

Entre para o luxuoso mundo da moda de Lucile Duff Gordon.
"Ela via manchas brancas ao longo de todo o mar escuro. O que estava vendo? Os rostos dos mortos, percebeu. Rostos acima da água. Eles não tinham se afogado; haviam se congelado. Aquilo era um cemitério, seus rostos pareciam lápides."
Pág. 70
O que achei mais incrível dessa história é o fato de que a autora se baseou em fatos e personagens reais e isso faz com que o leitor se sinta mais próximo da realidade da época. A narrativa é muito boa tornando a leitura agradável, apesar dos parágrafos serem longos e alguns trechos um pouco confusos. Uma coisa que me incomodou bastante foi a série de erros que variam desde frases sem espaçamento a palavras escritas de forma inadequada, todos nós cometemos erros mas essa foi a primeira vez que encontrei tantos em um livro da Geração Editorial, o que para mim indica que houve uma falha na revisão. A diagramação é harmoniosa e orna perfeitamente com o estilo clássico presente na obra. 

De todas as capas que vi desse livro, a presente na edição brasileira é simplesmente a mais bonita, já que o ar levemente dramático combina perfeitamente com todo o contexto relatado. O título possui verniz localizado e o restante é feito de um material mais fosco. As páginas (para o bem dos nossos olhos) são de um tom mais amarelado e as letras são de um tamanho agradável, o que torna a leitura ainda mais fácil. Recomendo a leitura pelo caráter histórico presente.

Abraços,
  Tamires Souza
TAMIRES DE SOUZA
É Resenhista aqui no Vida De Leitor. Desenvolveu sua paixão pela leitura ainda criança através de revistas em quadrinhos e desde então não vive sem um livro dentro da bolsa. Está terminando o Ensino Médio e sonha um dia cursar uma faculdade de Direito. Seus livros favoritos são: Série Rangers Ordem dos Arqueiros, A Seleção e a Série A Mediadora
Twitter/Facebook/Skoob - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.