Entrevista Com a Autora Laura Conrado

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Na última sexta-feira, dia 13, a autora do livro "Só Gosto de Cara Errado", Laura Conrado, compareceu a um evento realizado na escola Sesi de Pedro Leopoldo onde ocorreram várias apresentações culturais, incluindo uma pequena palestra da referida autora sobre como ser "Uma autora jovem para jovens". Não preciso nem dizer o quão simpática e amável ela foi com todos os que estavam presentes no evento e gostaria de agradecê-la por ceder um pouco de seu tempo para responder algumas perguntas. Confira abaixo:


1 - Como foi sua trajetória até conseguir publicar seu primeiro livro?
R: "Sempre sonhei em ser escritora. A paixão por escrever me levou ao Jornalismo. Quando ainda estava na faculdade, escrevi o Miguel e o Pão dos Anjos, meu primeiro livro destinado ao público infantil. O tempo passou, lancei outro livro para crianças. Os livros tiveram boa aceitação, são vendidos até hoje, mas nada que se compara à repercussão de Freud, Me Tira Dessa!, meu primeiro romance chick-lit. Escrevi o FMTD enquanto atuava como jornalista. Não estava mais feliz na profissão; queria contar, inventar histórias."

Depois que o livro estava pronto, comecei a saga por uma editora. Levei muito fora e fui ignorada por várias delas. Acabei chegando à Novo Século, onde comecei pelo selo Novos Talentos."

2 - Você escreveu “Só Gosto de Cara Errado” por causa de e-mails de suas fãs adolescentes. Como é sua relação com elas?
R: "É ótima! Eu fico realmente feliz com os e-mails, tweets e mensagens. Alguns se abrem mais, me acompanham nos eventos e estão sempre mandando mensagem pela internet. Sendo assim, acabo me aproximando de alguns. 

Atualmente, reservo uma parte do meu dia para responder as mensagens de leitores."

3 - Em que se baseou para construir as características de cada personagem? Alguém do seu convívio diário?
R: "No livro Freud, Me Tira Dessa! eu me baseei muito em mim e em amigos próximos. Para escrever o livro teen, me inspirei em situações já vividas por mim, quando mais nova. Como minha irmã, que é 7 anos mais nova do que eu, saiu da adolescência há menos tempo do que eu e tenho primas adolescentes, usei alguns termos delas."

4 - Qual foi sua intenção ao usar uma psicóloga, e não uma amiga ou professor, para ajudar Priscila a chegar à raiz dos problemas pelos quais vinha passando?
R: "Quis seguir a mesma linha de Freud, me Tira Dessa! Minha editora achou que o mercado recebeu muito bem a ideia de colocar as sessões de terapia num romance e sou fascinada com o tema."

Amigos e pessoas mais velhas podem, sim, ajudar, mas não fazem um trabalho profissional. Infelizmente, algumas pessoas ainda têm preconceito com psicoterapia; acham que é só para quem é louco ou tem um problema enorme. Na verdade, todos precisamos rever nossos vínculos, escolhas e relações. Recebo muitos e-mails de psicólogos que indicam meus livros e de leitores que passam a ter vontade de fazer terapia depois que o leem. É compensador saber que a leitura provoca o autoconhecimento."

5 - Você pretende dar continuidade a trajetória de Pri, ou já está pensando em novos personagens para dar seqüência à série?
R: "Embora algumas meninas peçam a continuação da história da Pri, vou seguir minha ideia inicial de, a cada livro, colocar uma amiga para ser a protagonista. A próxima será a Rafaela e o título será Quero Ser Pop. Estou superanimada.

6 - Que conselho daria para as meninas que, assim como a protagonista de “
Só Gosto de Cara Errado
”, se encontram “cegas” pelo amor?
R: "Aceitar-se a si próprio é fundamental. O encantador das pessoas não a perfeição, mas sim a forma como lidamos com as imperfeições. Todo mundo gosta de gente para cima, com autoestima e de bem com a vida. Quando nos aceitamos, a opinião do outro deixa de ter tanta importância e sofremos menos.

Outro ponto que o livro me permite tocar é a ilusão que as mulheres carregam de que irão transformar o cara, como se importasse mais o desafio do que o amor em si."

7 - Quais autores você tem como fonte de inspiração?
R: "Curto muito Clarice Lispector, Lygia Fagundes Telles, Fernando Sabino e Nelson Rodrigues."

8 - Você se sentiu mais a vontade escrevendo qual livro: “Freud, Me Tira Dessa!”, que é voltado para jovens adultos, ou “
Só Gosto de Cara Errado
” que é uma versão mais Teen? 
R: "Com o Freud, Me Tira Dessa!, uma vez que a protagonista tinha uma idade mais parecida com a minha. Nos livros teen, embora me divirta muito, sinto a responsabilidade de escrever para um público ainda em formação. Estudo, me preparo e penso nos valores que desejo passar."

9 - Qual é a melhor parte do seu trabalho como escritora?
R: "Os leitores, sem dúvida. Se tivessem câmeras na minha casa, vocês veriam meu sorriso quando recebo mensagens deles.

Também gosto muito de colocar conflitos, dores e mágoas particulares na trama. É um bem que faço à mim mesma e, por incrível que pareça, um alívio que proporciono à quem lê. As pessoas reconhecem sentimentos ali e os elabora junto com a personagem."

10 - Como seus livros podem ajudar nos conflitos adolescentes?
R: "Eu faço romances chick-lits para jovens adultos e romances infanto-juvenis. Nunca tive intenção de produzir autoajuda, mas sei que os livros nos ajudam. Nesse sentido, acho que o Só Gosto De Cara Errado aborda autoestima, escolhas e, sobretudo, relacionamentos entre pais e filhos. Estar harmonizado com eles é um grande passo para uma vida adulta saudável."

11 - Você se identifica mais com qual personagem de “
Só Gosto de Cara Errado
”?
R: "Com a Rafa! Meio pirada e impulsiva."

12 - Qual seu livro favorito?
R: "Nossa, eu amo vários. Fui muito marcada pela “Hora da Estrela”, de Clarice Lispector, “Os Irmãos Karamazov” e “Crime e Castigo” de Fiódor Dostoiévski. "

13 - Você está trabalhando em outro livro? O que pode nos adiantar? #QueroSpoiler*_*
R: "Em abril sai a continuação de Freud, Me Tira Dessa, com a saga da Catarina, cujo título será Freud, Me Segura Nessa! 

Estou, agora, trabalhando no Quero Ser Pop, onde nossa Rafa fará pirações para ser popular na escola e na cidade. Vou trabalhar consumismo, autoimagem e a edição que alguns fazem da própria vida nas mídias sociais."

14 - Há muitos escritores mineiros proeminentes no mesmo perfil que o seu, escrevendo livros para o público juvenil, você tem contato com esses autores? 
R: "Tenho, sim! Sou amiga da Marina Carvalho antes dela publicar o primeiro livro. É um amor de pessoa e muito determinada. Também me dou muito bem com Carol Sabar. Com os demais colegas, me relaciono muito bem, embora com alguns não tenha oportunidade para o convívio."

15 - Você possui algum tipo de ritual para escrever?
R: "Não. O que faço hoje é escrever de forma mais profissional, uma vez que estudei técnicas de estruturação de romances. Então, antes de escrever, faço meu dossiê de personagens (é muito legal inventar pessoas!) e roteirizo o livro. Isso ajuda o autor a não se perder na trama."

16 - Acho que todas as meninas já passaram por situações parecidas com as da Pri. Você pode revelar quais delas você chegou a enfrentar quando tinha quatorze anos?
R: "Eu já gostei muito de cara errado! Sério! Acreditava que devia ter selo do destino me ferrando no amor!(hahaha). Mas isso passou e vi que a errada era eu, não eles. Mas tudo bem... Aproveitei o que vivi para criar meus livros. O mágico da vida é fazer bom uso dos limões que aparecem."


Fofildos, obrigada pelo carinho, viu?! Um enorme beijos a todos!

Nós é que agradecemos *__*. A equipe do Vida de Leitor deseja a você muito sucesso e vários livros publicados. o/

Abraços,
  Tamires Souza
TAMIRES DE SOUZA
É Resenhista aqui no Vida De Leitor. Desenvolveu sua paixão pela leitura ainda criança através de revistas em quadrinhos e desde então não vive sem um livro dentro da bolsa. Está terminando o Ensino Médio e sonha um dia cursar uma faculdade de Direito. Seus livros favoritos são: Série Rangers Ordem dos Arqueiros, A Seleção e a Série A Mediadora
Twitter/Facebook/Skoob - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.