Assassin's Creed: Revelações - Oliver Bowden


Hey pessoal, tudo bem?

Depois de algum tempo de espera, finalmente tive a oportunidade de ler mais um livro da série Assassin's Creed e assim dar continuidade às aventuras de Ezio Auditore, o Mestre Assassino. O livro Revelações ainda não conseguiu superar minha predileção por Renascença, mas confesso que este foi o volume que mais conseguiu me deixar abalado - acho que nunca senti um vazio tão grande no peito como o que senti ao terminar de ler esta obra. Preparem suas lâminas ocultas, e deem seus saltos de fé. 












Escrito por Oliver Bowden, o livro traz de volta o herói de Renascença, o primeiro livro da coleção. Mais velho, sábio e ainda letal como nunca, o Mestre Assassino Ezio precisa refazer os passos do legendário Altaïr numa jornada de descoberta e revelações. Uma perigosa jornada que o leva até Constantinopla, o coração do Império Otomano, onde um exército de Templários planeja desestabilizar a região.
O livro gira em torno da busca de Ezio pela tão misteriosa e cobiçada Biblioteca de Altair que, segundo informações secretas, se encontra sob as ruínas da antiga fortaleza de Masyaf onde outrora foi o quartel general mais poderoso da Irmandade dos Assassinos. Contudo, os Cavaleiros Templários chegaram primeiro ao local e uma batalha de proporções épicas pelo domínio de tal conhecimento faz-se necessária. Uma jornada que mostrará a Ezio o significado de liberdade, tempo e amor e o acompanhará ao local onde a morte acena para todos os membros do Credo. 

Fortaleza de Masyaf

"- Esse é um dos paradoxos morais com os quais a humanidade terá de lutar até o dia em que se tornar realmente civilizada - retrucou Piri. - É um mal usar o mal para combater o mal? Concordar com essa argumentação é meramente uma simples justificativa para algo que nenhum de nós faria realmente?"
Pág. 129

Como já esperado, o autor narra a história de Ezio por todos os lugares em que passa - que são muitos - e cada uma dessas "micro" aventuras contribuem para que ele consiga novos aliados ou itens que o ajudarão em sua missão principal: a completa destruição dos Templários. Em face aos vários locais em que a história se passa, não só consegui aprender sobre a geografia e arquitetura de várias das mais famosas cidades - como Roma, Constantinopla, Florença, etc... - como também temos a criação de personagens que mesmo sendo "coadjuvantes" sempre carregam um pedaço de nós com suas mortes, o que é uma prova de que a construção de personagens feita por Bowden é incrível.

Ao contrário dos volumes anteriores, as passagens de tempo em Revelações são menores. Enquanto no primeiro livro da série são contatos mais de 35 anos da vida de Ezio, neste volume temos a narração de apenas alguns anos que antecedem sua "aposentadoria" como o Mestre Assassino e isso foi excelente, vez que não sou muito fã de livros que narram anos e  mais anos de acontecimentos. 


Altair e Ezio - Mestres Assassinos

"Quando era jovem, tinha liberdade, mas não a via; tinha tempo, mas não o conhecia; e tinha amor, mas não o sentia. Muitas décadas se passariam até eu entender o significado dos três."
Pág. 381

Um dos pontos mais fortes da obra e o que me deixou mais alegre, foi o fato de que FINALMENTE a família Bórgia foi destruída, o que não quer dizer que os Templários deixaram de existir, infelizmente. Outro aspecto que me agradou muito neste livro foi o fato de que para entrar na tão almejada biblioteca, faz-se necessário o uso de 5 chaves que estavam escondidas pelo globo, tornando as viagens de Ezio muito mais interessantes já que tinham um ar de "caça ao tesouro".

Como disse no inicio desta resenha, este livro me abalou de uma maneira surpreendente e isso se deve ao final - que eu não vou contar para vocês, obviamente XP - triste, porém essencial para que o Credo dos Assassinos obtenha sucesso em sua missão milenar. Quem ainda possui dúvida se deve ou não ler esta série, o que digo é simples: LEIA! Sim, é uma série um pouco sangrenta e as mortes são descritas com detalhes, mas afirmo que vale a pena cada momento.


Abraços,
    Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Cursa o 8º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos
Twitter/Facebook/Skoob/Ask - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.