Abused Werewolf - Grupo de Resgate ao Lobisomem, Catherine Jinks

Hey pessoal, tudo bem?

Estou impressionado com a maneira que Catherine Jinks conseguiu pegar mais um mito amplamente conhecido pela sociedade atual - até mesmo bastante usado em obras literárias - e transforma-lo em algo completamente diferente do usual, fazendo com que o leitor fique preso à história ao mesmo tempo que se aventura por um mundo inovador.


Não é porque se é um lobisomem que você não vai viver a sua vida do jeito que quiser. Quando Toby Vandevelde acorda em um hospital sem nenhuma lembrança da noite anterior, sua mãe, desesperada, conta que ele foi encontrado desacordado na jaula de um lobo. Toby primeiro acredita que seus dois melhores amigos estão de alguma forma envolvidos nisso, até descobrir que eles estão tão assustados quanto ele. Com o aparecimento do misterioso Reuben, dizendo que ele sofre de uma rara e perigosa “condição”, tudo fica ainda mais confuso. A partir daí, Toby se vê envolvido com estranhas pessoas que tentam persuadi-lo a aceitar ajuda. Nada parece convencê-lo até que ele é sequestrado e mantido em um calabouço sem janelas. Ai então Toby vai começar a entender o que significa ser uma criatura sobrenatural... Tendo transformado os vampiros em figuras frágeis e pouco glamorosas em Reformed Vampire, Catherine Jinks retoma essa história explorando agora o universo dos lobisomens. Nina, Reuben e o padre Ramon estão de volta e terão agora que ajudar a resgatar Toby dos inescrupulosos tra ficantes de lobisomens. Será que eles vão conseguir?
A obra conta a história de Toby Vandevelde, um adolescente de 13/14 anos que após uma noite da qual ele não se lembra, acordou nu dentro da jaula de um lobo no parque local onde tudo ao redor foi destruído de uma maneira que ninguém consegue explicar, muito menos Toby. Ao buscar tratamento psicológico, pois ele achava que estava ficando louco e sua mãe não parava de perguntar se ele estava usando drogas, ele se depara com dois estranhos alegando que sabem o que há de errado com ele e que as histórias que ele ouvia quando criança não eram apenas histórias. Monstros existem e o Toby era um deles. 

Reuben em sua forma animal

"- Estas são marcas de mordidas. Estas são marcas de garras. Eu matei seis pessoas, e elas morreram lutando. Você acha que é fácil viver com isso?"
Pág. 100

A meu ver, a história é dividida em dois grandes plots. O primeiro é o fato de Toby descobrir que é um lobisomens e aprender a lidar com essa mudança drástica em sua vida, o que leva um tempo já que ele fica bastante relutante no começo. O segundo, que por sinal é o mais interessante, é de que os vilões da história são os contrabandistas de lobisomens e as rinhas que eles faziam com os espécimes. Lembra de quando o Reuben foi resgatado no primeiro livro de uma família que trabalhava nesse ramo? Então, o esquema é algo muito maior do que pensávamos, alcançando um nível internacional e fazendo com que o leitor tenha grandes descargas de adrenalinas com cada cena em que nossos protagonistas estão face-a-face com uma possível morte ou ser mantido em cativeiro pelo resto da vida.

Como disse no inicio desta resenha, a tia Jinks conseguiu pegar um tema amplamente trabalho na literatura atual e dar uma roupagem completamente diferente do que temos no mercado e isso é um mega ponto à favor da obra vez que dado ao estado dos YA's atuais, nós, leitores, estamos buscando algo inovador e original e  Abused Werewolf cumpre ambos aspectos. Esta não é a primeira obra da autora - seu primeiro trabalho foi Reformed Vampire - e é notória a evolução em sua escrita e estilo de narrativa.


Capa americana da obra

"- Gostar de lobisomens quando eles fazem parte de um mundo de fantasia paranormal é uma coisa - ele disse. - Mas é outra coisa quando essa fantasia se torna realidade.
-Quero dizer, não podemos fingir que somos invencíveis, certo? - Embora ainda corado, Reuben matinha a raiva sob controle. - Não é como se fôssemos fadas ou unicórnios. Tivemos centenas de anos de má propaganda e isso não vai desaparecer assim, num passe de mágica."
Pág. 152

Outro aspecto que também chama a atenção durante a leitura é a construção de personagens. Toby é um personagem inconsequente e irritante, mas é apenas um jovem de 13/14 anos e tais atitudes são completamente condizentes com sua idade, ainda mais quando algum desconhecido bate à sua porta dizendo que você é um monstro homicida com garras e presas... Hahahaha. Apesar de Toby ser o protagonista, me identifiquei mais com Reuben em face a seu passado. Se hoje ele é considerado um monstro, foi porque fizeram dele um monstro. 

O livro em si possui uma diagramação simples e uma capa bem chamativa. Algumas pessoas não curtiram e tem como preferência a capa americana, eu já penso que a nacional se enquadra bem no estilo da narrativa e dá continuação ao padrão estabelecido em Reforme Vampire. Não achei erro de digitação ou gramática (pontos para a equipe de revisão o/). Sem mais delongas, recomendo sim esta série e garanto que Catherine Jinks irá mudar sua concepção dos seres fantásticos para sempre.


Para quem já leu: O que vocês acham que virá em seguida? Fadas? Bruxas? Elfos? *___*

Abraços,
    Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Cursa o 8º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos
Twitter/Facebook/Skoob/Ask - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.