Desventuras em Série: A Sala dos Répteis - Lemony Snicket

Hey pessoal, tudo bem?

Solicitei o segundo volume da série Desventuras em Série para ver se toda a série seguiria o mesmo padrão do livro anterior mas, mesmo mantendo o mesmo estilo de narrativa e uma escrita descontraída, A Sala dos Répteis não apresentou nenhuma reviravolta mirabolante no enredo, sendo o mesmo "tio Olaf quer nossa fortuna e vai fazer de tudo pra conseguir" mudando apenas o local onde ocorrem os fatos e os personagens secundários envolvidos. 




Lemony Snicket é um autor que não pode ser acusado de falta de franqueza. Sabe que nem todo mundo suporta as tristezas que ele conta e por isso - para que depois ninguém reclame - faz questão de avisar: "Se você esperava encontrar uma história tranquila e alegre, lamento dizer que escolheu o livro errado. A história pode parecer animadora no início, quando os meninos Baudelaire passam o tempo em companhia de alguns répteis interessantes e de um tio alto-astral, mas não se deixem enganar...".Os Baudelaire têm mesmo uma incrível má sorte, mas pode-se afirmar que a vida deles seria bem mais fácil se não tivessem de enfrentar o tempo todo as armadilhas de seu arqui-inimigo: o conde Olaf, um homem revoltante, gosmento e pérfido. Em Mau Começo ele deu uma pequena amostra do que é capaz de fazer para infernizar a vida de Violet, Klaus e Sunny Baudelaire - e aqui as coisas só pioram.
Nesta obra os irmãos Baudelaire são deixas sob a guarda do tio Monty, um cientista especializado na pesquisa e documentação das várias espécies de cobras existentes pelo planeta. Eis que, enquanto a vida dos irmãos está às mil maravilhas, tio Monty decide ir em uma expedição para catalogar mais espécimes dos referidos répteis e contrata Stephano, que não é ninguém menos que o Conde Olaf. A partir daí seguimos o mesmo padrão do primeiro livro: Olaf quer a fortuna dos irmãos > todos são enganados - novamente - pelo Conde e ninguém acredita nas crianças > alguém morre > os planos do Conde são frustados > ele some com a promessa de que vai voltar para roubar a fortuna das crianças novamente. Não é necessário ser um gênio para saber que as chances desse padrão se repetir nos demais livros da série é enorme, não é mesmo?

Todavia, deixando o enredo de lado, devo ressaltar que a escrita do Tio Snicket ainda continua sendo uma das mais diferentes e mirabolantes de todos os tempos. Ele possui um jeito descontraído e simples de narrar que faz com que o leitor se apegue mais à história e consiga ler suas obras em questões de horas, o que não acontece com alguns autores que mesmo com um enredo mirabolante não conseguem segurar o leitor por serem muito prolixos.

Os personagens principais não apresentaram um grande desenvolvimento em suas personalidades e maneiras de agir, contudo, Tio Monty se mostrou um personagem cativante e bem desenvolvido - mesmo que um pouco "excêntrico". Até a Víbora Incrivelmente Mortífera - sim, é uma cobra - conseguiu me cativar, apesar de eu achar meio exagerado o motivos e intenção que o Tio Monty tem para com o réptil. Um personagem que não gosto é o Sr. Poe, sério, eu gosto mais do Conde Olaf que dele vez que, mesmo sabendo que as crianças estão em perigo e que o Conde está atrás delas, ele se faz de sonso e acaba mais por atrapalhar que ajudar e isso me tirava do sério. 

O trabalho feito pela Companhia das Letras está impecável como sempre, não havendo erros de revisão ou digitação e que, mesmo com uma diagramação mais simples, é um livro muito belo em face a suas ilustrações, tamanho e efeitos de verniz localizado utilizado na confecção da capa. Recomendo que cada um leia a série e tire as próprias conclusões sobre a obra, afinal, Desventuras em Série não é uma série aclamada mundialmente à toa e não é porque eu não gostei do livro que quer dizer que ele seja ruim ou que não valha a pena ler. o/

Abraços,
    Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Cursa o 8º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos
Twitter/Facebook/Skoob/Ask - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.