O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares - Ransom Riggs


Hey pessoal, tudo bem?

Não preciso nem falar o quanto protelei a leitura dessa obra por simples medo. Sim, parece bobo, mas confira a capa abaixo e as fotos e você entenderá o que estou dizendo. Estava com aquele sentimento de que assim que começasse a leitura as crianças possuídas from the hell viriam buscar minha alma. Sorte a minha que o livro se mostrou uma leitura prazerosa - ao ponto de deixar minha adrenalina a mil - e capaz de mudar meu conceito sobre o que é verdadeiro ou não no que tange ao ser humano, já que as pessoas nem sempre são o que aparentam ser. 





Tudo está à espera para ser descoberto em O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares, um romance inesquecível que mistura ficção e fotografia em uma experiência de leitura emocionante. Nossa história começa com uma horrível tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo – por mais impossível que pareça – ainda podem estar vivas.

O livro conta a história de Jacob, ou Yakob - maneira como seu avô o chama, um personagem que desde pequeno acreditou que monstros e coisas extraordinárias eram reais e possíveis. Tal crença se deve ao fato de que seu avô sempre contou histórias de um lugar, o orfanato, onde havia morado quando seus pais morreram na guerra e que tal lugar guarda um segredo capaz quebrar até mesmo as barreiras do tempo. Com o passar dos anos Jacob parou de acreditar em tais contos e passou a pensar que as fotografias que seu avô mostrava eram todas "trabalhadas no photoshop". Eis que o avô de Jake, em um surto psicótico, começa a telefonar para os familiares dizendo que os monstros o haviam encontrado e que o único lugar seguro seria o referido orfanato, cujo protetor era um poderoso Falcão. Tal telefonema foi a última vez que Jake falou com seu avô antes que o mesmo fosse assassinado por algo que poderia ser tudo, menos humano.


Juro que se topasse com essas duas eu correria três dias direto sem olhar para trás!

"Comecei a me sentir estranho. Imaginei estar sendo observado; que as crianças ainda estavam ali, preservados como o Garoto do Pantano, dentro daquelas paredes. Podia senti-las me espiando através de frestas e buracos na madeira."
Pág. 100

Este livro é simplesmente fantástico. Digo isso pelo fato de que ele reúne em suas páginas todos os elementos de uma excelente obra, quais sejam: narrativa misteriosa e envolvente, personagens cativantes e bem trabalhados, diálogos dinâmicos e, por último mas não menos importante, ele é dotado de um trabalho gráfico genial no qual existem fotos - algumas muito bizarras e que me tiraram dias de sono O.o - espalhadas ao longo da história que, quando vistas a esmo não apresentam significado, mas que quando observadas dentro de um contexto pré-estabelecido pelo autor farão você gelar até os ossos. ¹

Outro ponto que achei muito legal no livro foi o TAL segredo que o autor vai introduzindo aos poucos mas que somente depois de vários capítulos é revelado. Sério pessoal, perdi a conta de quantas vezes me peguei roendo as unhas - algumas até o talo - de medo, ansiedade ou síndrome do "tem alguém / alguma coisa agachado(a) no canto do quarto". O_O

Senti mais medo dessa foto do que quando vi os filmes O Grito e O Chamado. O_O

"Ele ergueu a calibre 22 e atirou - pop-pop-pop-pop - perguntando que diabos era aquilo. Ele não tinha visto nada, e eu não conseguia falar para contar a ele, congelado no lugar onde me encontrava, com a luz cada vez mais fraca da lanterna tremeluzindo na mata vazia, e então eu devo ter apagado, porque o Ricky estava dizendo "Jacob, Jake! Ei, Ed, vocêestábemouoquê?", e isso foi a última coisa de que me lembro."
Pág. 32

O único fato que realmente me desagradou na leitura foi que, após o assassinato de seu vô, Jake começa a fazer acompanhamento psicológico e seus pais simplesmente acham que tudo, absolutamente TUDO o que o garoto faz ou pensa em fazer deve ter a aprovação ou opinião do médico. Sério, se o menino está melhor e quer viajar na companhia do pai para apenas ficar longe do local do ocorrido eles pedem opinião do médico. Se ele quer ganhar um carro ele precisa da autorização do médico, se ele precisa disso precisa de autorização, etc. Galera, ele estava sofrendo de estresse pós traumático e não de alguma síndrome na qual ele perdeu completamente as faculdades mentais. Poxa, ele não se tornou um inválido, ele apenas acreditava em monstros de olhos negros e com tentáculos no lugar das línguas... Hahaha.

Por mais que o livro tenha esse ar de mistério e te deixe com um pouco de medo no começo - e ele deixa mesmo - recomendo a leitura desta obra por TODOS sem exceção. Garanto que passará por uma montanha russa de sentimentos durante a leitura e que muitos deles serão completamente conflitantes, o que deixa a história ainda mais sensacional. ^_^


1 - Absolutamente NENHUMA dessas fotos passou pelos processos de photoshop - algumas passaram pelo processo de TRATAMENTO pois são fotos bem velhas, mas não photoshop. Todas foram cedidas por 10 colecionadores que passaram uma vida juntando fotos e revirando caixas antigas.


Abraços,
    Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Cursa o 7º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos.
Twitter/Facebook/Skoob - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.