O Lorde Supremo - Trudi Canavan

Hey pessoal, tudo bem?


Lembram quando eu disse na resenha de A Aprendiz - AQUI - que estava surtando para ler O Lorde Supremo? Então, agora estou surtando porque acabou e não poderei mais desfrutar desse maravilhoso mundo que Trudi criou. Confesso que valeu a pena cada momento passado ao lado de Sonea e Akkarin que, com o passar do tempo, se tornaram meus personagens favoritos em toda a trama. Só espero que a Novo Conceito não demore muito para publicar os demais livros da autora, principalmente The Traitor Spy Trilogy que conta uma história que se passa uma geração após os acontecimentos de Lorde Supremo. 






Na cidade de Imardin, onde aqueles que têm magia têm poder, uma jovem garota de rua, adotada pelo Clã dos Magos, se encontra no centro de uma terrível trama que pode destruir o mundo todo. Sonea aprendeu muito no Clã, e os outros aprendizes agora a tratam com um respeito relutante.No entanto, ela não pode esquecer o que viu na sala subterrânea do Lorde Supremo, ou seu aviso de que o antigo inimigo do reino está crescendo em poder novamente. Conforme Sonea evolui no aprendizado, começa a duvidar da palavra do mestre de seu clã. Poderia a verdade ser tão aterrorizante quanto Akkarin afirma? Ou ele está tentando enganá-la para que Sonea o ajude em algum terrível esquema sombrio?

Esta resenha pode conter spoiler dos volumes anteriores. Leia por sua conta e risco!

Ao contrário do volume anterior, a história de O Lorde Supremo começa um ano após os acontecimentos de A Aprendiz, ou seja, um ano se passou desde o duelo entre Sonea e Regin e ele finalmente reconheceu o poder de sua adversária, deixando com as implicâncias de lado. Entretanto, como nem tudo sempre sai do jeito que esperamos, Sonea ainda tem que lidar com o fato de ser mantida refém de Akkarin, o Lorde Supremo que usa magia negra, e ainda lidar com o fato de que inúmeros assassinatos estão ocorrendo na área das favelas. Será que Akkarin realmente é o inocente que diz ser ou ele está apenas tentando enganar sua "protegida" e roubar seus poderes? "Quando a aprendiz supera o mestre, é apenas o começo de um grande embate."

"Uma pontada de tristeza e arrependimento a pegou de surpresa.
"Eu não havia percebido o quanto considerava esse lugar meu lar", ela pensou. "Será que vou sobreviver para retornar e vê-lo de novo?"
"Ou...", uma voz mais sincera acrescentou, "... eu vou voltar apenas para encontrar uma pilha de escombros?"
Pág. 292

Entendedores entenderão! Hahahaha

Este é o melhor livro da série sem sombra de dúvida. Intrigas políticas, assassinatos em série, descobertas sobre a magia antiga e muito mais é o que você vai encontrar caso decida adentrar nessa aventura que literalmente me tirou noites de sono, já que não conseguia colocar o livro de lado e ele é bem grandinho (623 páginas). É palpável a evolução na escrita de Canavan. Seu diálogos ficaram mais elaborados e dinâmicos e, para orgulho geral da nação, ela parou com a terrível mania de colocar expressões própria da fala (para ilustrar a maneira de falar dos favelados) em seus textos.

O desenvolvimento dos personagens foi algo que me deixou de queixo caído e Sonea foi a que mais amadureceu. Durante a leitura não conseguia mais ver aquela garota tímida e revoltada nascida nas favelas de Imardin, já que durante toda a narrativa ela se mostrou uma verdadeira Aprendiz ostentando disciplina, perspicácia e muito poder - quase uma Erza Scarlet *__*. Akkarin foi outro que conseguiu me cativar e se mostrou um Mago de conhecimento, história e poder sem igual.

"Ele começou a avançar e ela sentiu uma torrente de medo. Um último punhado de poder veio até ela e ela o enviou contra o ichani. Este arregalou os olhos quando seu escudo oscilou. Então, quando a última porção da sua magia fluiu, ele caiu. O ataque de calor o trespassou e ele prostrou-se no chão."
Pág. 596

Sonea praticando uma de suas magias.

Apesar de tudo o que foi citado acima, continuei com a sensação de que algumas partes foram desnecessárias, apesar de bem fundamentadas e descritas com excelência  Uma delas é o envolvimento de Dannyl com os "magos errantes" que viviam no pais no qual era embaixador ou seu envolvimento amoroso com seu assistente. Outra coisa que também me desagradou foi o fato de ficar mais que claro que, após os acontecimentos finais, Sonea desenvolveu um importantíssimo papel na história e na guerra e mesmo assim ,em face às suas novas habilidades, eles destinaram-na a uma posição pífia e completamente limitada por regras no final de tudo e isso me deixou muito indignado. 

O conselho que deixo a todos vocês é que, mesmo que o primeiro livro da série seja um pouco lento, vale a pena continuar até o final da trilogia. Garanto que passarão pelos mesmo momentos de prazerosa leitura e turbulência de sentimentos que passei. Principalmente em O Lorde Supremo, que foi o que mais me abalou e me fez querer matar a autora por ter matado um determinado personagem. ¬¬


Abraços,
    Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Cursa o 7º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos.
Twitter/Facebook/Skoob - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.