Belo Desastre - Jamie McGuire

Hey pessoal, tudo bem?

Com uma narrativa envolvente, bem estruturada e cheia de reviravoltas, Jamie McGuire nos apresenta uma relação doentia e fantasiosa onde um personagem que beira a insanidade tenta conquistar uma mulher que, em face a seu passado conturbado, se acostumou ao pouco que lhe é oferecido. É como o autor Stephen Chbosky disse: "Aceitamos o amor que achamos merecer".


Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade. Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa – e deseja – evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade. Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que finalmente encontrou uma adversária à altura. E é então que eles se envolvem em uma relação intensa e conturbada, que pode acabar levando-os à loucura.

O livro conta a história de Travis Cachorro-Louco Maddox e Abby Abernathy. Travis é o cara alto, forte, tatuado e o psicótico pegador da faculdade enquanto Abby é a garota que tenta fugir de seu passado caótico que sempre envolvia bebida, problemas familiares e poker. Eis que os dois se encontram e, não acostumado a ser rejeitado, Travis desenvolve uma certa obsessão em ter Abby para si e está disposto a fazer de tudo para ficar com ela, mesmo que os meios utilizados não sejam os de uma pessoa normal. Com o passar do tempo Abby sucumbe aos "encantos" de Travis e ambos começam uma relação que me fez pensar a cada capítulo que ele iria parar em uma delegacia sendo acusado de colocar Abby em um hospital pois havia perdido o controle de suas próprias ações.

"- O que foi, Mare?
- O Travis está completamente maluco! Ele não fala com a gente, destruiu o apartamento, jogou o aparelho de som pela sala... O Shep já tentou conversar com ele, mas não adianta!"
Pág. 170

Como disse no inicio da resenha, a narrativa da autora é surpreendente. Mesmo não gostando da história em si, tiro meu chapéu para a maneira como ela escreve. Ela consegue envolver o leitor de maneira a fazer com que ele não desgrude do livro de tanta curiosidade para saber o que vai acontecer nas próximas páginas ou se alguém morre. Quando ela começou a descrever as cenas das lutas nos porões da universidade eu pensava: "O_O esse cara vai parar no hospital" aí eu continuava lendo e já pensava "não, ele vai parar é no cemitério mesmo O_O". Aí mais alguns parágrafos abaixo ela já faz uma reviravolta tremenda e você só percebe o quanto estava tenso quando nota a mão suando e a sede de sangue diminuindo...Hahaha

O que realmente me desagradou nesse livro foi a personalidade doentia - posso estar repetindo esse argumento mas é o que mais se enquadra ao que realmente é - de Travis e a falta de padrões de Abby. Sério pessoal, não estou julgando quem gostou do livro ou falando que quem leu e adorou os protagonistas são pessoas sem padrões, mas todos sabemos que um relacionamento assim não é saudável. Inúmeras vezes imaginei que nas páginas seguintes o Travis ia surrar a Abby, o que, cá entre nós, é o que a personalidade dele nos leva a pensar. Um relacionamento desse na vida real iria acabar em tragédia ou cadeia e isso é inegável. A diagramação do livro é simples, porém bem espaçada, o que facilita a leitura. A revisão está impecável.

"Travis pegou a bandeja de Finch e golpeou com ela a cara de Chris, derrubando-o da cadeira. Chris tentou se proteger debaixo da mesa, mas Travis o puxou pelas pernas e começou a enchê-lo de socos e chutes.
Chris se enrolou como uma bola, então Travis o chutou nas costas. Chris se arqueou e se virou, esticando os braços, permitindo que Travis lhe acertasse um monte de socos na cara. O sangue começou a escorrer em seu rosto, e Travis se levantou, com a respiração pesada."
Pág. 199

Bom pessoal, essa é a MINHA opinião, ou seja, não estou criticando seu gosto ou falando mal de quem adorou a obra. Estou apenas expondo o que EU achei dela e os pontos que me fizeram chegar a essa conclusão. Um livro pode agradar a alguns e não agradar a outros. Nenhum livro agrada todo mundo e cabe a nós respeitarmos a opinião daqueles que possuem uma diferente da nossa. ^_^


Abraços,
    Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Cursa o 7º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos.
Twitter/Facebook/Skoob - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.