A Aprendiz - Trudi Canavan

Hey pessoal, tudo bem?

Quando terminei de ler Clã dos Magos eu sinceramente tinha pensado em abandonar essa série. Ele tinha uma narrativa bem arrastada e a autora usava em seus diálogos a linguagem coloquial, para representar a origem da pessoa (favela ou cidade). Contudo, decidi pegar para ler o livro dois e me surpreendi. Além de melhorar, e muito, sua escrita, Trudi Canavan conseguiu me deixar desesperado para ler a continuação. 





Sozinha entre todos os aprendizes do Clã dos Magos, somente Sonea vem de uma classe menos privilegiada. No entanto, ela ganhou aliados poderosos, como Lorde Dannyl, recentemente promovido a Embaixador. Ele terá, agora, de partir para a corte de Elyne, deixando Sonea à mercê dos boatos maliciosos e mentirosos que seus inimigos continuam espalhando... até o Lorde Supremo entrar em cena. Entretanto, o preço do apoio de Akkarin é alto porque, em troca, Sonea deve proteger seus mistérios mais sombrios. Enquanto isso, a ordem que Dannyl está obedecendo, de buscar fatos sobre a longa pesquisa abandonada de Akkarin sobre o conhecimento mágico antigo, o está levando a uma extraordinária jornada, chegando cada vez mais perto de um futuro surpreendente e perigoso.

Após os acontecimentos de O Clã dos Magos, Sonea, após desenvolver seu controle sobre sua magia e melhorar seu comportamento, finalmente começa seu treinamento dentro do Clã. Contudo, por ter como origem a Favela, todos os magos e aprendizes das casas nobres a tratam como lixo e o fato de seu potencial mágico ser maior do que o de muitos deles e de ela já iniciar na Academia com um Guardião, realmente não melhora sua situação. Ela passa por muitas provações, já que um de seus colegas tem como prioridade tornar sua vida miserável. Como se não bastasse, ela ainda deve se preocupar com os passos do Mago Negro, o Lorde Supremo que usa magia das trevas em seus rituais e que parece ter desenvolvido um interesse nada saudável pelos poderes de Sonea. Conseguirá ela se formar na Academia? Ou seu caminho está mais sombrio que a magia praticada por Akkarin?

"Olhando-o através do clarão, ela o viu recuar quando um de seus golpes mais fortes o atingiu. Então, de cima, ela sentiu uma força inesperada atingir o seu escudo. Essa força oscilou, e então, em um intervalo de tempo muito pequeno após o primeiro, veio outro golpe que quebrou seu escudo antes que ela pudesse fortalecê-lo."
Pág. 521

Apesar de ser um livro bem grande, 544 páginas, ele não é tão arrastado como o primeiro, fazendo com que eu o lesse em menos de 3 dias. Contudo, mesmo tendo uma narrativa mais rápida que a do primeiro volume da trilogia, a autora ainda peca por ficar enrolando muito em partes em que não há necessidade para tal - como as partes da busca de Dannyl e a implicância Regin para com Sonea. 

Todos sabem que de todos os seres sobrenaturais que existem os meus favoritos são os magos e bruxas e A Aprendiz conseguiu suprir minha carência de "magia descente" que estou tendo ultimamente. A autora conseguiu captar bem os problemas e benefícios de ser um mago, fazendo com que voltemos às salas de aula onde a magia é ensinada com afinco e determinação. Claro que a maior parte do livro se passa do lado de fora das salas de aula, mas é bom presenciar novamente aquele sentimento de estar andando pelos corredores de uma escola de magia. *__*

"Akkarrin franziu o cenho ao chegar perto dela. Dedos frios passaram-lhe pelo rosto e ela se acovardou. Então, ele pressionou as têmporas de Sonea com firmeza.
Ela sentiu uma presença rondando-lhe a mente, mas era desprovida de personalidade. Não percebeu pensamentos nem sentimentos. Talvez ele não tivesse emoções. Era um pensamento nada reconfortante."
Pág. 291

No primeiro volume da trilogia a autora fez algo que me deixou com muito ódio, que era utilizar de expressões próprias fala durante seus diálogos. Infelizmente não estamos livres desse empecilho no livro dois, mas pelo menos ela diminuiu a frequência com que usava. A diagramação do livro é simples e por incrível que parece não achei erros de revisão (ou se tinha não percebi). Os personagens são bem desenvolvidos mas reafirmo o que disse em outras ocasiões nas redes sociais: muitos deles são despenáveis e estão ali só para encher páginas.

Quem desistiu da trilogia porque não gostou do livro um, recomendo que dê uma chance ao livro dois pois ele pode mudar sua opinião. Agora, quem amou o primeiro livro, recomendo que corra e leia o segundo o mais rápido possível pois o terceiro está para lançar no final de janeiro. ^_^


Abraços,
    Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Cursa o 7º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos.
Twitter/Facebook/Skoob - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.