O Caso Rembrandt - Daniel Silva

Resenha

Olá gente, tudo bem?

Acho que estou, novamente, passando por uma fase de mudança de gosto literário. No momento tenho ficado com uma vontade louca de ler livros policiais enquanto que romances sobrenaturais estão deixando de me atrair como antes. Bom, vou ver até quando essa nova fase vai durar mas, enquanto isso, minha estante de policiais tem aumentando consideravelmente nos últimos meses. O livro que vou comentar nessa resenha é justamente desse gênero.

Primeiramente o que me atraiu nele foi o título e logo de cara imaginei ser algo semelhante ao Código DaVinci de Dan Brown, livro que gostei muito na época em que li. Os enredos não são semelhantes mas nem por isso deixou de ser uma história excelente.

Em Glastonbury, na Inglaterra, um restaurador de arte é assassinado e a obra em que trabalhava – um quadro de Rembrandt nunca exposto – é misteriosamente roubada. O renomado negociante de arte Julian Isherwood sabe que só existe uma pessoa capaz de encontrar o quadro e levar os criminosos à justiça: o espião israelense e restaurador de arte Gabriel Allon. Após sofrer um atentado, tudo o que Gabriel quer é cortar de uma vez por todas os laços com o serviço de inteligência internacional de seu país, também conhecido como “Escritório”. Mas parece que o mundo das operações secretas ainda não está pronto para deixá-lo em paz. Apesar de sua relutância, ele acaba sendo persuadido a assumir o caso. Ao seguir meticulosamente as pistas que o levam a Amsterdã, a Buenos Aires e, por fim, a uma mansão às margens do lago Genebra, Gabriel descobre segredos perturbadores relacionados ao roubo. Neste intricado quebra-cabeça, a pintura de Rembrandt é a peça-chave que o ajudará a desmascarar uma conspiração capaz de pôr em risco a paz mundial.

Esse livro faz parte de uma série envolvendo o agente do serviço secreto israelense Gabriel Allon e, portanto, alguns fatos acontecidos nos livros anteriores são mencionados ao longo da narrativa. Não encontrei, no entanto, dificuldades para me situar na história e com a descrição apresentada dos personagens no livro é possível distingui-los perfeitamente.

A trama começa com o assassinato de um famoso restaurador de arte e o roubo de um das obras em que estava trabalhando naquele momento; um desconhecido quadro que Rembrandt teria pintando em 1639 retratando sua amante, Hendrickje. O quadro estava escondido durante todo esse tempo e apenas agora iria a público em uma importante exposição sobre o artista em Washington, D.C. 

Sem saber como recuperar o quadro, Julian Isherwood, o dono da galeria que estava negociando o quadro com o antigo proprietário, não tem opções a não ser procurar Gabriel Allon, o famoso agente e também seu amigo de longa data. No início Gabriel reluta em entrar numa outra missão depois de tudo pelo que ele e sua esposa, Chiara, passaram num caso que havia trabalhado anteriormente mas, diante das informações que acaba obtendo em sua pesquisas sobre o quadro, acaba por mudar de ideia. Informações essas que poderiam levar pessoas a matar para obter tão preciosa obra. 

O quadro é apenas a ponta do iceberg de um caso que nos levará da Holanda na época do holocausto até a atual questão mundial envolvendo o Irã e suas usinas de enriquecimento de Urânio. E envolverá não apenas uma agência de inteligência secreta mas três delas num dos melhores casos de espionagem que li ultimamente. Principalmente nos capítulos finais que estava roendo as unhas enquanto lia tamanha era a tensão. 

A história é envolvente e contém muitas reviravoltas além de descrições detalhadas de vários locais por onde a trama se desenvolve. E portanto não é um livro que possa ser lido com rapidez pois exige que o leitor esteja bastante atento a cada parágrafo. Isso foi uma das coisas que me desagradou um pouco, a história tem grandes blocos de textos com descrições das operações, trocando de um cenário para outro várias vezes, e a diagramação é um pouco apertada e com uma fonte miúda o que atrapalha na leitura. Como é comum na maioria dos livros policiais, não conseguimos nos conectar muito aos personagens, pois são muitos e alguns aparecem apenas por um breve período na trama. 

Como disse antes, trata-se de uma série de livros com esse personagem (atualmente são 12 livros publicados nos EUA e apenas 4 aqui no Brasil) sendo esse o 10º livro da série e o primeiro publicado pela editora Arqueiro. Mas, assim como os livros de Harlan Coben e outros semelhantes, cada livro é uma trama fechada não sendo necessária a leitura dos anteriores para entender. Leitura recomendada para aqueles que curtem uma boa trama de ação e espionagem. 


Abraços,
   Carol Mylius
CAROLINA MYLIUS
Colaboradora e Resenhista aqui no VDL e tem um BLOG com todos os seus trabalhos. É ilustradora por profissão e por paixão. Ama os livros desde criança e tem a sorte de trabalhar com eles buscando ajudar os autores a mostrar um pouco de sua obra através das capas que ilustra. Seus livros favoritos são: Tiger's Curse, PerdidaA Primeira Regra do Mago, Série Academia de Vampiros.
Twitter/Facebook/Skoob - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.