Branca de Neve - Irmãos Grimm - Camille Rose Garcia

Resenha

Hey pessoal, tudo bem?

Durante toda minha vida ouvi histórias e mais histórias, cada uma diferente da outra, sobre os contos de fadas clássicos como Cinderela, Pinóquio, Chapeuzinho Vermelho e a tão famosa Branca de Neve. Contudo, nunca li, por pura falta de oportunidade, a versão "original" dos Irmãos Grimm. Eis que a Geração Editorial publica tal versão sob as ilustrações da talentosíssima Camille Rose Garcia, me proporcionando assim minha tão sonhada oportunidade.





Originalmente surgida no folclore francês do século XVII, a história de Branca de Neve há muitos anos vem sendo um dos mais memoráveis contos infantis de todos os tempos, repetido durante gerações ao redor do mundo. É a história de uma rainha maligna determinada a se livrar de uma menina – com a pele tão branca como a neve, os lábios tão vermelhos quanto o sangue e os cabelos negros de ébano – que ameaça o desejo da rainha de permanecer a mulher mais bela de seu reino. Esta nova edição destinada a presentear as crianças modernas, apresenta a versão completa do conto dos Irmãos Grimm, com uma interpretação artística original da famosa ilustradora Camille Rose Garcia, que imaginativamente combina o humor com um toque tenebroso de romantismo.
Não há muito o que falar sobre a história que a maioria de vocês já não saiba sobre tal conto de fadas. Contudo tenho algumas ressalvas a fazer, já que as versões mais conhecidas omitem alguns fatos. Em primeiro lugar gostaria de ressaltar que a Branca de Neve da versão "original" é a mulher mais burra existente na face da terra, o que me leva a pensar que esse foi o motivo de escalarem a kirstem Stewart para tal papel na adaptação cinematografia. Sério... se alguém de avançada idade e com um sorriso maléfico, vulgo velhinha de sorriso psicótico, bate na minha porta e faz alguma coisa para tentar me matar, eu NUNCA mais na minha vida deixaria mais ninguém do tipo entrar na minha casa. E o que a Branca de Neve faz? Ela deixa a pessoa entrar na casa mais DUAS vezes. Fala sério, estava pedindo para morrer só pode!
"- Espelho, espelho meu, existe no mundo mulher mais bela do que eu? 
O espelho respondeu:
 - Minha rainha, podeis ser a mais bonita por perto. Mas Branca de Neve é mil vezes mais bela decerto"
Outra grande diferença é com relação ao final do conto. Em várias versões a Madrasta é expulsa do reino para viver na pobreza e sem magia ou é decapitada por algum guerreiro. Contudo, esta versão é finalizada com requintes de crueldade, pala delírio geral da nação,  já que Branca de Neve faz com que ela dance usando sapatos de ferro aquecidos na brasa até cair morta no chão.

Isso é o que tenho a dizer sobre a história, já que o livro não possui muitas páginas e as mesmas sempre são ilustradas, como pode ser observado abaixo e, como podem perceber, o trabalho realizado por Camille Garcia é excepcional, fazendo com que o gótico e o romântico se entelassem em uma harmonia de cores. Cabe ressaltar que a versão do livro é capa dura e possui um acabamento muito bonito.




Abraços,
  Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do VDL. Cursa o 6º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, O Sussurro Mais Sombrio  e  Withe Cat.
Twitter/Facebook/Skoob  Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.