O Clã dos Magos - Trudi Canavan

Resenha

Hey pessoal, tudo bem com todos vocês?

Quando recebi este livro para resenhar, estava com outra imagem da história. Contudo, mesmo não correspondendo às minhas prévias expectativas, ele conseguiu cativar e me deixar ansiosos para o lançamento do próximo volume.





Todos os anos, os magos de Imardin reúnem-se para purificar as ruas da cidade dos pedintes, criminosos e vagabundos. Mestres das disciplinas de magia, sabem que ninguém pode opor-se a eles. No entanto, seu escudo protetor não é tão impenetrável quanto acreditam. Enquanto a multidão é expurgada da cidade, uma jovem garota de rua, furiosa com o tratamento dispensado pelas autoridades a sua família e amigos, atira uma pedra ao escudo protetor, colocando nisso toda a raiva que sente. Para o espanto de todos que testemunham a ação, a pedra atravessa sem dificuldades a barreira e deixa um dos mágicos inconsciente. Trata-se de um ato inconcebível, e o maior medo da Clã de repente se concretiza: uma maga não treinada está à solta pelas ruas. Ela deve ser encontrada, e rápido, antes que seus poderes fiquem fora de controle e destruam a todos.
O livro conta a história de Sonea, uma selvagem (termo dado aos magos que não possuem controle de seus poderes) que durante a purificação atira uma pedra em um mago e, não sabendo que possuía poderes, acaba por atravessar seu escudo mágico e deixa-o inconsciente. Após o ocorrido, todos os magos do Clã começam a caçá-la, já que é contra as leis do reino existir um mago fora do Clã. Sonea começa então a fugir, indo dos mais altos lugares até os esgotos para escapar de seu destino, dando inicio então à nossa aventura.

"Sua boca estava seca e parecia cheia de poeira. Engolindo com dificuldade, ela lutou contra o terror crescente. As batidas de seu coração pareciam ruidosas o bastante para traí-la. Será que ele conseguia escutá-la? Ou conseguia escutar o som de sua respiração?"
Pág. 67
Como havia dito acima, eu esperava outro tipo de história neste primeiro livro. Imaginava que Sonea seria capturada logo no começo e começaria seu treinamento para ser uma maga o mais rápido possível, mas, o que realmente acontece, é que os magos passam mais da metade do livro tentando encontrá-la e somente mais tarde que ela começa a aprender a controlar-se. Contudo, esse treinamento não é nada demais, apenas uma espécie de yôga onde ela precisa relaxar e evitar colocar fogo nas coisas sem querer. SÓ. Nada de bolas de fogo, treino de feitiços, etc. NADA. 

"O cheiro de queimado chegou ao seu nariz. Sonea virou-se para ver uma figura estendida com a cara para baixo na calçada a alguns passos de distância. Embora as chamas comessem avidamente suas roupas, a figura parecia imóvel. Em seguida, viu a confusão escurecida que antes era um braço, e sentiu o estômago contorcer-se de náusea"
Pág. 25

Mesmo o livro estando focado apenas no que foi dito anteriormente, ele conseguiu me proporcionar uma ótima leitura. A escrita de Trudi é diferente e fluida. Seus diálogos são dinâmicos, mas infelizmente continham algo que me deixou extremamente irritado. É a terrível mania que os tradutores possuem de colocar palavras típicas da fala, no texto escrito. Isso tira qualquer um do sério, além de deixar o texto feio e  pobre. Um exemplo do que estou falando é este trecho: "Com quem cê tá?". Juro que quando li isso desejei com todas as minhas forças que o livro entrasse em combustão espontânea. Sério produção, parem de fazer isso. É feio e ninguém gosta. ¬¬. Os personagens são muito cativantes, principalmente Cery, cuja lealdade que tem por Sonea é inabalável.

Outra coisa que gostei bastante no livro foi a narrativa em terceira pessoa. Estava com saudades desse tipo de leitura, já que sempre leio algo em primeira, fazendo com que os fato sempre sigam as linhas de raciocínio de uma só pessoa.

Pelo que pude ver ao final do livro, no próximo volume Sonea finalmente ingressa no Clã como um aprendiz e começa finalmente seu treinamento mágico. Teremos também muitas intrigas políticas e jogos de poder, literalmente. Não me estou aguentando de curiosidade para saber todos os mistérios envolvendo o Lorde Supremo. XD

Abraços,
  Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do VDL. Cursa o 6º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, O Sussurro Mais Sombrio  e  Withe Cat.
Twitter/Facebook/Skoob - matheus@vidadeleitor.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.