A Casa das Orquídeas - Lucinda Riley

Resenha

Olá gente, tudo bem?

Esse é mais um livro que me atraiu pela capa e que acabou me surpreendendo de forma positiva. O livro pode assustar pelo tamanho e tem um inicio meio lento, mas se conseguir seguir em frente depois das primeiras 100 páginas vai se surpreender também.




Quando criança, a pianista Júlia Forrester passava seu tempo na estufa da propriedade de Wharton Park, onde flores exóticas cultivadas pelo seu avô nasciam e morriam com as estações. Agora, recuperando-se de uma tragédia na família, ela busca mais uma vez o conforto de Wharton Park, recém-herdada por Kit Crawford, um homem carismático que também tem uma história triste. No entanto, quando um antigo diário é encontrado durante uma reforma, os dois procuram a avó de Júlia para descobrirem a verdade sobre o romance que destruiu o futuro de Wharton Park... E, assim, Júlia é levada de volta no tempo, para o mundo de Olívia e Harry Crawford, um jovem casal separado cruelmente pela Segunda Guerra Mundial, cujo frágil casamento estava destinado a afetar a felicidade de muitas gerações, inclusive da de Júlia.

No centro da trama está Wharton Park, uma propriedade com mais de 300 anos de história e que esconde muitos segredos enterrados debaixo de suas paredes. Entre eles está a trágica história do jovem casal Olívia Drew-Norris e Harry Crawford que tiveram suas vidas totalmente alteradas após o final da Segunda Guerra Mundial.

“Wharton Park foi famosa por sua coleção de orquídeas. Era estranho imaginar que aquelas flores pequenas e frágeis eram originárias de climas tropicais e, ainda assim, lá estavam elas, florescendo no frio hemisfério norte, em meio às planícies de Norfolk.”

No presente, a jovem pianista Júlia Forrester busca se recuperar de uma tragédia que se abateu sobre sua vida voltando a Norfolk e a Wharton Park que havia sido muito importante para ela na infância. Ao visitar a propriedade, Júlia encontra Kit Crawford, que agora é o proprietário da antiga casa. Os dois haviam se conhecido na infância e ainda mantinham certa amizade mesmo não se vendo durante anos. Kit conta a Júlia que está vendendo Wharton Park por não poder arcar com as dívidas e reformas da propriedade, mas pretende manter a casa que era da família dela para si.

Um dia Kit bate a porta do chalé que agora era refugio de Júlia, e lhe entrega um antigo diário que aparentemente pertencia a seu avô. Intrigada com algumas passagens do diário, Júlia decide perguntar a avó sobre o que realmente aconteceu na guerra com seu avô e com os habitantes de Wharton Park. Mas ela não imaginava descobrir segredos que poderiam mudar completamente tudo aquilo que acreditava.

A partir daí passamos a acompanhar a vida de Olivia e Harry e todos os habitantes de Wharton Park no período pré e pós Segunda Guerra Mundial cujos acontecimentos se passam na Inglaterra e na Tailâdia. Não vou me estender mais no resumo para não dar spoiler desnecessário.

O livro é praticamente metade contando a história de Júlia e Kit e a outra metade mostrando a história do casal do passado. Como eu disse antes ele é bem lento até um bom pedaço e você fica sem entender onde vai chegar a história. Mas depois que a trama passa a narrar a vida de Olivia e Harry aí tudo começa a fazer sentido e é quando eu comecei a me interessar de verdade pela história.

Júlia é uma personagem muito forte, que passou por um grande trauma mas não consegue compartilhar sua dor com ninguém. E bem que sua irmã tenta só que ela é a última pessoa de quem Júlia quer ajuda. Mas tudo começa a mudar depois que Júlia permite a entrada de Kit em sua vida.

Kit é o cara perfeito, bonito, sensível, atencioso e que sabe dar espaço a Júlia quando está precisa. Achei-o perfeito até demais, mas não dá pra negar que os dois formam um casal maravilhoso.

Olivia é semelhante a Júlia, uma mulher forte e batalhadora que manteve a propriedade de pé no período da guerra e buscou ser necessária ajudando aqueles que precisavam durante aquele tempo tão difícil. Fiquei com muita pena dela pelo que aconteceu e não posso culpar as atitudes que tomou. Já Harry era um fraco que na realidade nunca quis herdar a propriedade e sim seguir carreira como pianista. Mas ele não sabia como ir contra seu destino.  E quando finalmente ele decidiu fazer aquilo que realmente desejava o destino lhe puxou o tapete. Foi triste o que aconteceu a ele e a todos os envolvidos por consequência.

“Harry sabia, sem dúvida, que havia encontrado o que estivera procurando. Até então, toda a sua vida parecera sem sentido e seu sofrimento recente ampliava a futilidade de sua existência. Ainda assim, em questão de semanas, ele e seu mundo tinham mudado, sem volta.”

O livro é praticamente todo narrado em terceira pessoa. Só algumas partes que são narradas por Júlia. A história é linda e envolvente, faz você se emocionar em vários momentos. Adorei principalmente o final e recomendo a todos que curtem romances e histórias dramáticas.


Abraços,
   Carol Mylius
CAROLINA MYLIUS
Colaboradora e Resenhista aqui no VDL e tem um BLOG com todos os seus trabalhos. É ilustradora por profissão e por paixão. Ama os livros desde criança e tem a sorte de trabalhar com eles buscando ajudar os autores a mostrar um pouco de sua obra através das capas que ilustra. Seus livros favoritos são: Tiger's Curse, PerdidaA Primeira Regra do Mago, Série Academia de Vampiros.
Twitter/Facebook/Skoob - carol@vidadeleitor.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.