Estilhaça-me - Tahereh Mafi

Resenha

E ai galera, tudo bem?

Recebi o livro Estilhaça-me, parceria com a Editora Novo Conceito, para resenhar e, mesmo tendo uma história envolvente e uma escrita muito bem trabalhada, este livro deixou aquele gosto de "Faltou algo para ser um must read".





Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.

Juliette é um monstro é uma garota incompreendida que possui uma maldição o poder de infligir dor em quem ela toca, ou seja, um simples apertar de mãos pode te deixar em coma ou te matar. Desde pequena ela é privada de contato humano, não podendo ser carregada ou receber carinho de seus pais, que por sinal são os verdadeiros monstros. E é ai que entra O Restabelecimento, uma instituição que promete à humanidade paz e prosperidade. Tudo o que você tem que fazer é abandonar suas crenças e servir cegamente a todos os seus comandos, mesmo que isso signifique ser um escravo ou não ter o que comer.

Após matar alguém, Juliette se vê desesperada a conseguir ajuda e aceita todas as possibilidades que O Restabelecimento tem a oferecer. O que ela não esperava era que em consequência ela seria trancada em uma cela na qual passaria quase um ano sem comer direito, tomar banho ou ter QUALQUER contato com outro ser humano. Eles a estavam transformando realmente em um monstro uma arma.

"Estou chorando a tanto tempo que tenho certeza de que a água quente de nada é feita senão minhas lágrimas. Minhas roupas estão grudadas à pele. Molhadas e inúteis. Quero tirá-las. Quero afogar-me na ignorância. Quero ser estúpida, idiota, muda, completamente desprovida de cérebro. Quero decepar meus próprios membros. Quero livrar-me dessa pele que pode matar e destas mãos que destroem e deste corpo que não sei sequer como compreender. Tudo está desmoronando"
Pág. 153

Um personagem que me surpreendeu foi Adam, o "amigo" de infância de Juliette que é preso na mesma cela que ela mas que acaba por se revelar uma pessoa MUITO diferente do que eu imaginava. Sua personalidade e ferocidade é tão grande quanto sua capacidade de proteger aqueles que ama.

Outro personagem que chamou muito minha atenção foi Warner. Sua mente psicopata/sociopata é uma coisa de outro mundo, fazendo com que o leitor sinta um verdadeiro medo só com possibilidade de uma pessoa tão doentia dessas existir.

Uma coisa que encontrei, muito, durante a leitura, foram as repetições de palavras, como se a personagem quisesse que elas tivessem algum impacto no leitor. O que não ocorreu, já que tal repetição durante a leitura é cansativa e não instigante. Outro ponto negativo é que, na primeira metade do livro, a autora usa muito de metáforas e analogias para tentar expressar os sentimentos e pensamentos de nossa protagonista, tornando a leitura bem mais lenta. Entretanto, tal fator muda depois da página 160, pois Juliette e Adam começam sua real aventura.

"Meu corpo é uma flor carnívora, uma planta doméstica envenenada, uma arma carregada com um milhão de gatilhos e está mais que pronto a atirar"
Pág. 111

Fora os pontos que citei acima, o livro tem uma leitura mais lenta até a primeira metade, e um desenvolver mais dinâmico a partir da segunda parte. Os diálogos entre os personagens são bem elaborados e a diagramação do livro é diferente do usual, contendo palavras riscadas, o que é bem irritante inovador.

Recomendo a leitura para todos que gostam de algo no estilo X-Men mas que envolva também personagens cativantes e um romance um pouco fora do comum.

Abraços,
  Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do VDL. Cursa o 5º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, O Sussurro Mais Sombrio  e  Withe Cat.
Twitter/Facebook/Skoob - matheus@vidadeleitor.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.