Shiver - Maggie Stiefvater

Hi people, what´s up? 

Este livro é tão boring, mas tão boring, que estou com medo de dormir antes de escrever metade desta resenha.

Quando comecei minha leitura, pensei que seria um livro cheio de aventuras e bastante suspense, já que a primeira cena era a de uma garota de 11 anos sendo arrastada para o meio da floresta e quase sendo devorada por lobos. Mas, como nem tudo mundo é Deborah Harkness, acabou por ser uma desapontante história entre 2 adolescentes que vivem um em função do outro (Ouvi alguém gritar Crepúsculo??) e sem um pingo de amor próprio.


Quando chega o inverno, Grace é atraída pela presença familiar dos lobos que vivem no bosque atrás de sua casa. Ela espera ansiosamente pelo frio desde que fitou pela primeira vez os profundos olhos amarelos de um dos lobos e sobreviveu ao ataque de uma alcateia. Esses mesmos olhos brilhantes ela encontraria mais tarde em Sam, um rapaz que cresceu vivendo duas vidas: uma normal, sob o sol, e outra no inverno, quando vestia a pele do animal feroz que, certa vez, encontrou aquela garota sem medo.
Tudo o que Sam deseja é que Grace o reconheça em sua forma humana, e para isso bastaria que trocassem um único olhar. Mas o tempo de Sam está acabando. Ele não sabe até quando manterá a dupla aparência e quando se tornará um lobo para sempre. Enquanto buscam uma maneira para torná-lo humano para sempre, têm de enfrentar a incompreensão da cidade, que vê nos lobos um perigo a ser combatido. 

Neste primeiro volume (sim, mais uma série), a autora nos apresenta uma nova "modalidade" de licantropia, sendo esta proporcionada pelo frio e não pela lua cheia, fato que achei super interessante já que foge das mitologias que estamos acostumados a ler. Em razão dessa "especie" de lobisomem, cada capitulo traz, abaixo do título, a temperatura na qual aquele momento da história se passa bem como o nome do personagem que estará narrando a história (Sam ou Grace).

Sam, o lobisomem, após ser atingido por um tiro volta à sua forma humana mesmo estando no inverno e passa a morar com Grace, SEM que os pais dela percebam que existe um rapaz de 19 anos morando no quarto da filha. 

No decorrer da história é notável o desespero/depressão de Sam quando épocas mais frias chegavam. Segundo a mitologia criada pela autora, quando ele se transformava, sua consciência humana desaparecia, tornando-o um simples lobo. Um ponto que teve um explicação pífia (que vocês, caros leitores, terão que sofrer o que eu sofri para descobrir, ou seja, ler o livro XD ), foi o fato de que Grace foi mordida mas não se transformou, fazendo com que Sam ficasse mais desesperado, pois continuaria sozinho quando voltasse à forma lupina.

Este é um clássico exemplo de como NÃO se escrever um livro. Capítulos excessivos (64 capítulos em um livro de 400 paginas), personagens sem carisma, uma "cura" para a licantropia que demonstra uma extrema falta de criatividade e um final digno de pena. Isso sem mencionar que as páginas são de péssima qualidade e que a colagem feita na lombada foi muito mal feita.

Um ponto positivo foi a capa, toda trabalhada em detalhes de texturas diferentes e uma gota de sangue em verniz centralizado.

Capa brasileira:


Bom pessoal, vale lembrar que esta é a MINHA opinião e que os comentários sobre a qualidade do trabalho feito pela editora é referente à versão AMERICANA do livro.

Abraços 
Matheus Braga - @MatheusBragaM


Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.