Quando Ela Se Foi - Harlan Coben


“Quando Ela Se Foi” é o primeiro livro de Harlan Coben que tive o prazer de ler. Sim, tive prazer em ler essa obra. Coben consegue mesclar suspense, romance e tiradas cômicas com muita maestria.


Myron Bolitar é o nosso protagonista, um quarentão boa-pinta, que vive a vida intensamente, apesar das peças que essa pregou nele. Quando jovem, Myron era uma promessa do basquete, mas que teve de abandonar a sua carreira esportiva antes mesmo dela começar, por causa de uma lesão grave no joelho.

A história já começa de uma maneira que muitos se identificam. Uma briga do tipo “eu e você, lá fora”, que me fez voltar aos tempos de colégio.

Myron recebe um breve telefonema com um convite muito tentador: “venha para Paris”. A dona do convite era um antigo “affair” de Myron, coisa de dez anos atrás, onde ele viveu dias e noites do mais puro sexo carnal. Myron, a princípio, fica tentado a declinar o convite, mas ao receber um fora de sua atual namorada, Ali, não pensa duas vezes e pega o primeiro voo em direção à Cidade-Luz.

Ao chegar em terras francesas, Myron se depara com fatos que ele não imaginaria acontecer nem nos melhores filmes de mistério e ação. Desaparecimento, mortes, células terroristas, Interpol, perseguições e tiroteios passam a ser palavras corriqueiras a esse “garotão” de 40 anos.

Não tem como não dar risadas com os diálogos entre Myron e Win, seu melhor amigo e sócio. Win é o típico rico herdeiro que sempre tem as tiradas certas e que sabe como ninguém controlar a situação. 

Confesso que, em certa altura da narrativa, estava torcendo para que Myron resolvesse seus problemas e voltasse implorando para que Ali reconsiderasse sua decisão, pois em momento algum Teresa, o “affair” antigo de Myron, conquistou a minha simpatia. Teresa Collins me passou a impressão de ser uma mulher egoísta, que não quer se prender a nada, quanto mais se apegar a alguém.

Eu matei a charada da história muito antes de sua revelação, por mais surpreendente que o final possa parecer à maioria das pessoas. Pelo menos nesse quesito Coben não me ganhou.

“Quando Ela Se Foi” é um livro que eu recomendo para todos os leitores, gostem ou não do gênero. É um livro rápido – li ele em apenas duas noites – e agradável. A escrita de Coben é leve e flui ao natural, com expressões e frases típicas do nosso dia-a-dia.

Em certa parte da história, Myron pergunta à sua mãe como ela está de saúde. Eis que a senhora responde que ele só vai saber disso se entrar no seu blog à noite, quando ela irá publicar um post. A senhora “plugada” ainda diz que adora o MyFace, nome que ela se confunde misturando o MySpace e o Facebook.

Depois dessa agradável leitura, outros títulos de Harlan Coben foram adicionados à minha “wishlist”: Cilada, Não Conte a Ninguém, Desaparecido Para Sempre e Confie em Mim.



Abraços
Bruno Thomaz