Ilusões - Richard Bach

Oi amados!
Depois de algum tempo meio longe, viajando no espaço (e um pouco no tempo também), volto a escrever para vocês, com muitas saudades.

Li Ilusões em uma tarde, a princípio por falta de opções, depois confesso que me encantei. Richard Bach conta-nos a história de um solitário piloto de aviões, Richard, que encontra "por acaso" um outro piloto de aviões chamado Donald Shimoda. Intrigado com algumas características peculiares do novo companheiro de trabalho, aos poucos o narrador-personagem conhece e nos apresenta o mestre espiritual, o messias que na verdade é Donald. Este partilha com Richard o manual básico de todos os messias, livrinho pra lá de interessante. Aos poucos, o mestre ensina ao aprendiz os passos de um messias.

Certamente que fiquei desconfiada e ao mesmo tempo curiosa com esse exemplar nas mãos. O livro é interessante, de cunho bastante espiritualista. As máximas soam aos ouvidos de quem está familiarizado ao lado espiritual da vida como clichês, mas ainda assim sem perder a capacidade de levar o leitor a uma reflexão.

É uma visão de messias completamente dissociada do senso comum, foge dos estereótipos e surpreende todos aqueles acostumados a associar a palavra messias automaticamente com Jesus Cristo. Diria até que é um conceito bem avançado de messias e mesmo de espiritualidade. Gosto particularmente de uma passagem onde é feito um paralelo entre o cinema e a vida, numa perspectiva muito maior do que seria rotineiro. De forma geral, é uma grande lição de vida.

Também me agrada a afirmação feita de forma constante nessas páginas de que cada um é responsável por criar sua vida, é dono do seu "destino". Dá um grande destaque ao potencial do nosso cérebro (para alguns, pode soar surreal e muito autoajuda), mas faz pensar sobre como utilizamos nosso potencial mental no cotidiano.

Entre as várias frases interessantes, destaco uma que até agora me faz refletir: "Você ensina melhor o que mais precisa aprender."

Deixo vocês com essa reflexão e com a sugestão do livro, para quem gosta de uma literatura um tanto quanto espiritualista.

Beijos!
Kássia