Gênio do Mal - Catherine Jinks

Gênio do Mal é uma história interessante, mas confusa. A autora cria tantas reviravoltas que o livro chega a ficar maçante em certos momentos. 

A sinopse do livro:
Cadel Piggott tem QI de gênio e fascínio por sistemas de todo tipo. Aos sete anos de idade, já estava ilegalmente invadindo redes de computador. Agora está com catorze anos e estudando para obter seu diploma em Dominação do Mundo, cursando matérias como Desfalque, Desinformação e Falsificação, no Instituto Axis, fundado pelo grande gênio criminoso Dr. Phineas Darkkon. Embora Cadel possa estar muito adiantado para sua idade, no fundo é apenas um garoto solitário. Quando se apaixona pela misteriosa e brilhante Kay-Lee, começa, pela primeira vez, a questionar as implicações morais de seus estudos. Mas será tarde demais para impedir o Dr. Darkkon de realizar seus planos? E será que ele é realmente quem diz que é?


Cadel é um garoto "diferente", que odeia seus pais adotivos e que não possui laços de amizades com ninguém, na escola. Até que conhece o psicológo Dr. Thaddeus Roth e passa a ter uma pessoa em quem confiar. 

Cadel forma-se no colegial e precisa ir para uma faculdade, com apenas 14 anos. Então Dr. Roth sugere aos pais adotivos de Cadel que o matriculem no Instituto Axis, uma faculdade para "pessoas especiais". Na fachada, o Instituto é como uma universidade qualquer, com suas disciplinas de ciência da computação, direito, artes, microbiologia, etc. Mas o que está por trás disso são disciplinas de Infiltração, Lacunas Legais, Falsificação, Contágio, etc.  O Instituto Axis é uma universidade criada pelo Dr. Phinneas Darkoon, gênio do crime e suposto pai legítimo de Cadel.

A história em si é muito boa, com pitadas de suspense, humor, drama, aventura, etc. Mas o que torna a história chata é a demora em os fatos ocorrerem. O livro possui 480 páginas, mas que poderiam ser transformadas em 240 e a história continuar a mesma, talvez até melhor.

Na parte final, ocorrem tantas "reviravoltas" entre os personagens que chega a dar a impressão de que a autora não sabia como o livro iria terminar, e que ela foi escrevendo e mudando de opinião a cada instante. 

O livro em si é lindo, com detalhes preto e branco nas páginas que davam início aos capítulos. A capa também é muito bonita. Um ótimo trabalho gráfico da Editora Farol.

O livro tem um segundo volume, chamado de Esquadrão de Gênios, que já está na minha lista de desejados para os próximos meses. 


Abraços
Bruno Thomaz